PSP: Mais um Portátil Inseparável

Olá gamers, como estão? Espero que todos bem!

Hoje vou falar sobre o console portátil da Sony que foi lançado prometendo ser o Playstation 2 portátil.

Breve história sobre o console

Em 2003 a Sony anunciou durante a E3 que estaria mergulhando de cabeça no mundo dos videogames portáteis. Porém, somente no final do ano seguinte a empresa lançou no Japão o PlayStation Portable, mais conhecido como PSP, para tentar desbancar a Nintendo em um mercado em que ela sempre dominou. O portátil foi lançado no final de Março de 2005 nos EUA e no começo de Setembro do mesmo ano na Europa.
O PSP contava com hardware bastante potente para a época em que foi lançado e prometia rodar jogos que tivessem qualidade gráfica e sonora próxima ao dos jogos lançados para o Playstation 2. Ele também é capaz de executar outros tipos de mídia, como fotos, músicas e vídeos, além de possuir conexão WiFi, luz interna, entrada para cartões de memória nos padrões da própria Sony (Memory Stick) e saída de vídeo para TV.
Informações mais técnicas sobre o aparelho, assim como outras informações sobre os modelos podem ser encontrados em sites como a Wikipedia.

Minhas Considerações

O PSP como hardware é fantástico, como sempre a Sony investiu pesado nesse sentido e não nos decepcionou. Só que seus jogos são mais para um público mais hardcore ou então mais preocupado com recursos modernos do que a diversão em si. Na verdade esse ponto foi observado por um amigo que não vou dizer quem é, mas que com certeza se identificará nos comentários. Numa conversa este ano mesmo sobre o portátil, ele classificou os jogos dele como “sérios“. Isso me fez parar pra pensar e eu não pude discordar dele.

Uma coisa que me incomoda bastante nele é que o direcional analógico é ruim de usar e também muito frágil, não canso de ler posts em fóruns espalhados pela Internet de pessoas reclamando dele quebrar ou querendo dar um jeito de consertá-lo. O meu mesmo está ruim, ele fica como se estivesse sendo movimentado. Isso atrapalha um bocado em uma porção de jogos.

Mas de resto eu gosto dele como um todo: é confortável pra segurar, tela grande, além de possuir botões e direcionais digitais também confortáveis.

Minha História

Aí está o PSP Caduco!

Como vocês puderam ou podem observar em posts anteriores, eu sempre gostei bastante de consoles portáteis. Quando começou a disputa entre DS e PSP, eu não me interessei tanto por nenhum deles. Porém, conforme o tempo foi passando, comecei a ver o PSP com bons olhos. O problema é que ele sempre custou muito caro, não somente o console em si como seus jogos. Isso fez com que eu desistisse dele por um longo período, que se encerrou quando foi lançado para esta plataforma um certo jogo que eu gosto pouco, um tal de Final Fantasy Tactics.

Quando li a respeito do jogo com história revisada, novos jobs, novos personagens únicos e etc, fiquei maluco! Comecei a procurar em todos os cantos da Internet por um emulador de PSP, até chegar a conclusão de que não existia. A notícia foi chocante, até porque eu já havia até baixado a iso pra poder relembrar a maior parte do jogo e conhecer o que foi colocado de novo.

Dadas estas condições, comecei a juntar dinheiro pra comprar um. Estava tão empolgado que do dia em que decidi comprar o PSP até o dia que comprei acabei pegando 14 jogos. Bom, o dia tão aguardado chegou e acabei comprando o portátil. Foi em uma Sexta-feira, dia 01/08/2008. Fiquei entusiasmado, mal consegui trabalhar o resto do dia, pois queria colocar o videogame pra funcionar e tinha que esperar chegar em casa. Nem preciso dizer que o primeiro jogo que eu coloquei foi o tal já citado, né? Mas o interessante é que ele me permitiu conhecer diversos bons jogos, até mesmo remakes de jogos que não havia jogado pra valer, tais como Megaman Powered Up, Mega Man Maverick Hunter X, Castlevania: The Dracula X Chronicles, entre outros jogos exclusivos e ports (calma que o Top 15 está chegando).

PSP e os acessórios

O portátil me deu a opção de relembrar vários clássicos também através da emulação, embora ela nunca tenha funcionado muito bem pra mim. O aparelho vivia travando dependendo da plataforma e jogo escolhidos. Porém, acabei usando bastante o PSP para jogar os clássicos de PSOne, tanto os que eu já conhecia quanto os que vim a conhecer jogando nele.

Poder levar um quase PS2 pra qualquer lugar pra mim sempre foi uma alegria tremenda. Ele sempre me proporcionou bons momentos de diversão em lugares onde não haveria tanta assim e também me ajudou um bocado a superar alguns momentos de insônia. Muito melhor jogar deitado diretamente no portátil do que ficar levantando pra trocar de jogo ou qualquer coisa do gênero, isso sem falar que, apesar de eu adorar o Tactics, ele é um jogo bem parado. Não sei dizer quantas vezes dormi com ele ligado no peito com o jogo rodando aguardando algum comando meu.

Chegou a hora do TOP 15. Alguém tem alguma dúvida de quem fica em primeiro?

FF Tactics: horas e mais horas de jogo.

TOP15

01. Final Fantasy Tactics: The War of the Lions
02. Crisis Core: Final Fantasy VII
03. Mega Man Powered Up
04. Patapon
05. LocoRoco
06. Final Fantasy IV: The Complete Collection
07. Mega Man Maverick Hunter X
08. God of War: Ghost of Sparta
09. Virtua Tennis 3
10. Castlevania: The Dracula X Chronicles
11. Dungeons & Dragons Tactics
12. OutRun 2006: Coast 2 Coast
13. God of War: Chains of Olympus
14. Tactics Ogre: Let Us Cling Together
15. The Lord of the Rings: Tactics

Menções Honrosas

Alien Syndrome, Atari Classics Evolved, Dante’s Inferno, Disgaea: Afternoon of Darkness, Dissidia: Final Fantasy, DJ Max Fever, Dragon Ball Z: Shin Budokai, EA Replay, Final Fantasy, Final Fantasy II, Grand Theft Auto: Liberty City Stories, Harvey Birdman: Attorney at Law, The Legend of Heroes: A Tear of Vermillion, The Legend of Heroes II: Prophecy of the Moonlight Witch, Lego Batman: The Video Game, Lego Indiana Jones: The Original Adventures, LittleBigPlanet PSP, LocoRoco 2, Marvel: Ultimate Alliance, Patapon 2, Phantasy Star Portable, Sega Genesis Collection, Star Ocean: First Departure, Street Fighter Alpha 3 Max e Virtua Tennis: World Tour

Esse não rolou…

5 Piores jogos

01. Rock Band Unplugged
02. Michael Jackson: The Experience
03. The Simpsons Game
04. Sonic Rivals
05. Sonic Rivals 2
.

Primeiro lugar já era esperado, não? Mas os demais jogos do TOP15 eu queria deixar claro que coloquei as primeiras versões de Patapon e LocoRoco por eles terem sido títulos inovadores, independentemente de suas sequências serem melhores ou não. Muita gente pode criticar que jogo X é melhor que Y, mas eu mais uma vez montei a lista me baseando em inovações e o que cada um dos jogos acrescentou na minha vida gamer. Não é por ele ser um AAA que ele vai ficar melhor colocado na lista. Aliás, mais uma vez devem ter faltado vários jogos amados por muitos, mas que eu acabei não experimentando.

Sobre os piores, eu sou fã de jogos musicais desde o primeiro Dance Dance Revolution, mas adaptar pra portáteis é uma péssima idéia. A não ser que os desenvolvedores tragam algo de novo ou diferente para esses jogos. DJ Max foi um jogo que me agradou, mas Rock Band Unplugged e Michael Jackson: The Experience não tiveram o mesmo sucesso. O jogo dos Simpsons me incomoda muito a jogabilidade e Sonic Rivals eu não consegui ter a mínima paciência pra jogar. Nenhum dos dois. E olha que, como já disse por aqui, sou fã de carteirinha do ouriço azul da SEGA.

Update em 26/08/2012: comecei a jogar o primeiro Sonic Rivals e gostei do jogo, não sei por qual razão não gostei dele na primeira vez que tentei jogar. Enfim, removidos do Top 5 de Piores.

Caixa e manuais do PSP

O PSP era bastante presente na minha vida há alguns anos atrás, levava ele para tudo quanto era canto. Hoje ele ainda é jogado, mas normalmente fora de casa, quando o levo junto dependendo do lugar que vou. Em casa ele fica quase que completamente parado por causa da concorrência com o PS3. Mas tenho consciência que ainda tenho muito o que jogar e terminar nele.

É isso, galera. Como sempre, espero que tenham gostado. O espaço dos comentários está aí para que vocês possam expressar suas opiniões. Então fiquem a vontade e comentem, se quiserem, é claro.

Abraços a todos!

Megaman X: Maverick Hunter

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Consoles, Portátil, PSP, Sony e marcado , , , . Guardar link permanente.

16 respostas para PSP: Mais um Portátil Inseparável

  1. Willi JRCW disse:

    Haha, pensa num cara pouco ansioso pra ler!

    Ótimo post, Caduco. Eu inclusive, antes de comprar um PS2, estava em dúvida entre o PS2 e o PSP, e quase comprei o PSP! Mas acabei ficando com o Play porque na época eu não comprava jogos originais (um ou outro de vez em quando) então, pra baixar os jogos, o PS2 era mais fácil, mais acessível.

    Enfim o tão esperado post saiu, hehehe! Aguardando os próximos! Grande abraço, Caduco!

    Obs: É Castlevania: The Dracula X Chronicles, e não Castlevania X: Dracula’s Chronicles. E o outro lá é Mega Man Maverick Hunter X. ^^

    • Gamer Caduco disse:

      Putz, vc tá certo! Obrigado pela observação, já estou corrigindo o post aqui. Engraçado que no Top 15 ambos estão corretos. Na parte errada, escrevi meio que “rascunhado” e não corrigi na revisão, passou desapercebido. Acontece. De qualquer forma, obrigado! 🙂

      Sobre o PSP vs PS2 em questão de baixar jogos, o PSP sai um pouco na frente na minha opinião, já que vc não precisa gravá-los em mídia nenhuma, basta ter um cartão de memória suficientemente grande. Mas o PS2 possui jogos melhores.

      Já comecei a esboçar o próximo post pra poder lançar na semana que vem sem falta, vou tomar cuidado pra corrigir as “rascunhadas”… hahaha!

      Abraços!

  2. Adinan disse:

    Excelente post! Me deu até vontade de pegar um PSP. Na época acabei optando pelo DS, que também é um ótimo portátil. Mas tem muito jogo bom no PSP e o fato dele rodar jogos do PS1 o tornam ainda mais atraente. Talvez eu acabe pegando um PSP quando o preço ficar mais em conta.

    Abraços

    • Gamer Caduco disse:

      Cara, acho que vale a pena o PSP, os motivos estão pelo post. Só que realmente ele é muito caro aqui no Brasil. Pô, em 2008 eu paguei no “mercado cinza” bem menos do que ele vale hj oficialmente. É ridículo, já era pra esse preço ter caído faz tempo. Mas a Sony e o governo do nosso querido país cheio de impostos acho que não se entendem muito bem. Pior que isso é o PS2 custando caro até hoje também.
      Abraços

  3. Sol disse:

    Graças a portabilidade do PSP pra jogos do PS1 pude terminar o Spyro: Year of the dragon, pois este jogo quando rodado no PS1 tinha um bug nas versões pirateadas que não permitiam concluí-lo.

    Adorei o post! =]
    Bjos

    • Gamer Caduco disse:

      Que bom que o PSP te permitiu isso. Eu acredito que a maior das vantagens da retrocompatibilidade é justamente te dar a oportunidade de conhecer ou de jogar até o fim algum título que vc largou no passado por qualquer razão: desde bugs (como vc disse) até o fato de existir algum lançamento que te interessou mais na época.
      Estou em débito com vários títulos de vários consoles por falta da tal compatibilidade (ou por não querer jogar em emuladores).
      Obrigado por mais um comentário e pelo elogio. 🙂

  4. Pra falar a verdade eu nunca coloquei a mão em um PSP, mas analisando as informações que eu leio na internet, creio que o maior problema dele foi justamente querer ser uma réplica de um console de mesa, não é algo que funcione muito bem, os jogos devem ser diferentes. Ae acontece dele ser ótimo para jogar em casa ou rodar emuladores, mas não muito legal para jogar em qualquer lugar, que é a premissa básica de um portátil. Acho difícil ele passar no teste do ônibus, rzs… mas em termos de hardware realmente parece ser uma aparelho fantástico, fora que tem muitos jogos bons, eu vivo brincando nos sites de Patapon 😛

    • Gamer Caduco disse:

      Acredito que isso explica o “jogos sérios” que meu amigo disse então. Faz todo sentido.
      Sobre o “teste do ônibus”, eu não sei se entendi o que significa… huahuahua. Mas sei que o PSP é bem visado, daí dependendo do ônibus que vc pega é meio complicado ter coragem de tirá-lo da mochila.
      E não sabia disso sobre os sites de Patapon, vou ver se procuro. Embora seja mais fácil jogar no PSP mesmo, né?
      Abraços

      • O teste do ônibus é muito simples: um jogo só é portátil se você consegue jogar ele mesmo em um ônbius lotado, rzs. Note que isto não é indicativo de qualidade, apenas que ele não cumpre a premissa básica de um portátil, que é poder ser jogado em qualquer lugar e situação (ou quase). Mas ainda tem esse lance de ser visado também, mas isto é outra história.

        Sobre os sites de Patapon, são os sites oficiais do jogo aonde é possível jogar um demo. Pra quem tem PSP é claro que é melhor nele mesmo, mas como eu não tenho ae eu brinco no site mesmo as vezes, rzs.

        • Gamer Caduco disse:

          Aaah, entendi sobre o teste do ônibus! Gostei! hahaha
          Definitivamente o PSP não passa por esse teste. Mas aparentemente não vejo o 3DS passando também. Nem o Yogurte (Vita). Os mais antigos (exceto Lynx e o Game Gear) parecem passar tranquilamente, especialmente o GBA. Agora tudo faz sentido!

          E entendi também sobre os demos dos jogos do Patapon. Achei que existissem sites que teriam feito jogos similares ou mesmo uma versão “alternativa”. Nesse caso fico com o PSP mesmo, embora eu não tenha chegado nem na metade do jogo até hj… hehe! Preciso pegar ele pra jogar pra valer.

  5. Pingback: DINGOO: OLD IS COOL! | Gamer Caduco

  6. aki é rock disse:

    Cara PSP é tudo de bom pra emular ele é fantastico tenho a versão do God of War com o desenho do Kratos atrás do portatil jogo as vezes pois tenho muitos jogos de PS2 ainda pra jogar fora que tenho um GBA com alguns jogos originais pra jogar.E um PSX que comprei a algum tempo pois tenhos jogos ainda fora que sempre sai algum jogo traduzido por fã.

    • Gamer Caduco disse:

      Bacana, esta versão do PSP que vc tem é legal pacas. Mas vc tem jogado mais emuladores no aparelho ou joga jogos do PSP mesmo também nele?
      Tenho alguns pra jogar nele ainda, mas a lista de jogos pra terminar aqui só cresce! E pelo visto a sua fila tá grande também… hehehe.
      Valeu!
      Abraço

  7. Pingback: PS Vita: Hardware não é tudo | Gamer Caduco

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s