Playstation 3: Optando pelo Original

Olá para todos os leitores. Estou quase chegando ao final dos posts relacionados aos consoles que tive durante minha vida gamer. Hoje falarei sobre o meu escolhido para representar a geração atual (sétima). Vai ser um pouco difícil falar sobre a minha história com ele. Por mais que seja a que está mais clara na minha memória, é o console que mais jogo atualmente e por esta razão acaba não tendo aquela pitada de nostalgia como os demais posts tiveram. De qualquer forma, hora de começar a falar a respeito do PS3.

Breve história sobre o console

Anunciado oficialmente durante a E3 de 2005, o sucessor do Playstation 2 foi lançado em Novembro do ano seguinte no Japão e na América do Norte e em Março de 2007 na Europa e na Oceania. Em terras tupiniquins ele foi lançado oficialmente somente em 11 de Agosto de 2010, com preço acima do que custava quando era importado pelas lojas.

Último console da sétima geração a ser lançado, o PS3 possui hardware superior aos seus concorrentes. Apesar disso, os jogos multiplataformas lançados para ele e para um de seus rivais, o Xbox 360, possuem praticamente ou exatamente a mesma qualidade em matéria de gráficos, som e etc.

Em Agosto de 2009 foi anunciada e lançada uma nova versão do PS3, conhecida como “slim”. Nesta versão reformulada, o processador gráfico que permitia a retrocompatibilidade com jogos do PS2 foi removida para que o custo fosse reduzido. Em contrapartida esse novo modelo é menor e consome menos energia em relação ao primeiro lançado. Além disso foram removidas duas das quatro portas usb e leitores de cartões de memória. Além de reduzir o custo de produção, isto fez com que reduzisse também o preço do produto nas lojas.

Outras informações relevantes sobre o hardware podem ser encontradas na Wikipedia. Ou em diversos sites, já que o aparelho é bastante recente.

Minhas considerações

Não me arrependo nem um pouco de ter escolhido o console da Sony pela terceira vez em três gerações.

Em matéria de jogos, fica difícil avaliar entre ele e o X360, já que ambos possuem a maioria dos títulos iguais. Não são muitos os exclusivos pra cada um, o máximo que acontece em alguns casos é ter certa diferença de data de lançamento para jogos comprados online. Os diferenciais que me fizeram escolher o PS3 estarão sendo citados durante a minha história com ele.

O console em si é ótimo em tudo o que ele tem para oferecer nessa geração. E essa é a proposta dele, de ser um console potente para rodar os jogos atuais. E nesse ponto ele não difere muito de seu rival direto, cada um tem seus pontos fortes e fracos. Em contrapartida, os dois são bem diferentes do Wii, da Nintendo, que visa mais a diversão (“fun factor”). Mas isso deixarei para outro post.

Acredito que a grande diferença está mais para os desenvolvedores mesmo, que costumam afirmar que criar jogos ou portar para esta plataforma é bem mais complicado do que para outras.

Uma coisa ruim para nós brasileiros é o preço do console, dos jogos e dos acessórios. Ainda mantenho a esperança de que esse cenário vai mudar em poucos anos.

Minha história

Olha ele aí!

No segundo trimestre do ano de 2010, após ter visto meu PS2 ter sido destruído e ter comprado um Slim, percebi que não estava mais ligando para as últimas gerações. Na verdade eu estava numa fase de só jogar PES e esporadicamente outros jogos desde o começo do mesmo ano, não estava levando os games muito a sério. Não é a toa que foi nessa época que acabei comprando o PES2010 para PC e um controle de Xbox360 com fio pra poder jogar. Só que meu notebook esquentava um pouco durante as partidas e as vezes isso causava lentidão, especialmente em dias mais quentes, o que começou a me fazer considerar comprar ou um X360 ou um PS3.

Eu já vinha juntando dinheiro há algum tempo e resolvi juntar ainda mais pra comprar o novo console. Escolher qual dos dois comprar foi uma decisão até que difícil, pois ambos são excelentes. Os detalhes que me ajudaram a tomar a decisão eu revelarei agora.

Primeiro de tudo, na época muitos escolhiam a “caixa” por causa da pirataria, já que o PS3 ainda não tinha sido “desbloqueado” de maneira eficaz. Só que eu queria passar a comprar coisas originais, algo que já vinha fazendo com música há algum tempo. Sabia que seria caro e tudo mais, mas justamente por isso sabia que daria mais valor aos jogos e os jogaria até o final. Portanto, pra não cair na tentação de colocar o tapa-olhos e sair colecionando jogos não da melhor maneira, o PS3 ganhou um ponto. Que fique claro que eu não sou nenhum tipo de moralista que luta contra a pirataria. Na minha opinião, cada um faz o que acha que tem que fazer, o basta de pirataria que dei foi na minha vida e não na de ninguém.

Em segundo, o controle. Esse é um ponto que causa muita discussão entre os jogadores, mas a verdade é que eu não consegui me adaptar ao controle do X360. Fiquei bons meses jogando PES no PC pra perceber isso. Sempre terminava de jogar com dores nas mãos. Em contrapartida eu adorava o DualShock2, sempre foi um controle que se encaixava bem nas velhas mãos de quem vos escreve. Claro que eu estranhei um bocado a primeira vez que segurei um DualShock3, por causa dos botões R2 e L2 analógicos. Mesmo assim, o console da Sony ganharia mais um ponto.

O terceiro ponto a favor do PS3 foram os jogos exclusivos. God of War III e Gran Turismo 5 chamavam a minha atenção, diferentemente da porrada de FPS que o console da Microsoft possui. Não sei se já falei isso por aqui, mas eu detesto o gênero. Alan Wake também despertava meu interesse, mas a minha vontade de jogar os dois títulos citados no começo do parágrafo era maior. Sem falar que Forza 4 também não existia. Nem o Kinect, embora já fosse um projeto anunciado.

Com tudo isso em mente, arrumei mais uma desculpa pra escolher o Playstation: eu teria um leitor de Bluray se comprasse o console. Não que eu tenha usado ele pra ficar vendo filmes em BD, mas parecia uma boa razão na época. Até o controle remoto pra filmes acabei adquirindo.

Bom, decisão tomada, hora de comprar o videogame. Confesso que a minha decisão foi juntar a grana pra tentar pegar por um preço bem reduzido no “mercado cinza” (Santa Efigênia, para os íntimos). Porém, para a minha surpresa/decepção, ninguém fez um preço que justificasse gastar tudo de uma vez. Logo, acabei usando boa parte do dinheiro pra comprar jogos e fui para uma loja grande comprar o console com diversas prestações (como dizem, “até perder de vista”).

Primeira coisa que fiz ao montar o console foi ligar pro meu primo, que já tinha um PS3. Enchi o saco dele com dúvidas sobre PSN, criei meu usuário e fomos jogar futebol, relembrando as partidas épicas da época do PS2, só que dessa vez ONLINE. Foi uma experiência muito divertida, único detalhe é que só jogamos PES essa vez e nunca mais (jogamos outros jogos, como GT5).

Por falar em jogos, o que eu previa sobre os originais de certa forma se concretizou: eu realmente voltei a jogar os jogos “termináveis” até o final deles. O cidadão aqui voltava a ser um gamer mais comprometido com seus compromissos virtuais, como nos velhos tempos. Inclusive passei a caçar troféus em alguns jogos, até por aumentar o desafio e tudo mais. Mas falarei sobre isso em outro post futuramente.

Jogos!! 🙂

E mantendo o assunto de jogos, seria uma boa hora pra montar aqueles meus rankings injustos que vocês estão acostumados a ver. Porém, acredito que seria uma grande sacanagem montar um Top 15 de uma plataforma que ainda tem muito jogo para ser lançado, então vou fazer um pouco diferente nesse post. Dizer quais jogos joguei, quais demos experimentei e quais desses eu gostei. Que tal? Claro que tem muito jogo aí que eu joguei bem pouco, então pode ser que um dia minha opinião até acabe mudando. Bom, vamos às listas:

God of War III

GOSTEI MUITO

Assassin’s Creed II
Assassin’s Creed: Brotherhood
Batman: Arkham Asylum
Batman: Arkham City
BloodRayne: Betrayal (PSN)
Castlevania: Lords of Shadow
God of War III

Gran Turismo 5

Gran Turismo 5
Guitar Hero: Metallica
Guitar Hero: Warriors of Rock
God of War e God of War II (God of War Collection)
Limbo
ModNation Racers
Mortal Kombat
Marvel Vs. Capcom 3: Fate of Two Worlds
Plants vs. Zombies
Rayman Origins

Sonic Generations

Sonic’s Ultimate Genesis Collection
Scott Pilgrim vs. The World: The Game
Sonic Generations
The Simpsons: The Arcade Game
Sonic & SEGA All Stars Racing

GOSTEI

LittleBigPlanet 2

Astro Tripper (PSN)
Assassin’s Creed
The Beatles: Rock Band
Brain Challenge (PSN)
DJ Hero
DJ Hero 2
Dance Dance Revolution
The Elder Scrolls IV: Oblivion
Final Fantasy XIII
Guitar Hero Smash Hits
Guitar Hero: Van Halen
Grand Theft Auto IV
Infamous
Kung Fu Rider

Virtua Tennis 4

Lego Rock Band
LittleBigPlanet
LittleBigPlanet 2
Mini Ninjas
Pro Evolution Soccer 2010
Pro Evolution Soccer 2011
Street Fighter IV
Sports Champions
Sonic Adventure
Super Street Fighter IV
Super Street Fighter IV: Arcade Edition
Sonic the Hedgehog 4: Episode I
Sonic Unleashed
Sega Superstars Tennis
Tiger Woods PGA Tour 11
The Shoot
Virtua Tennis 2009
Virtua Tennis 4

GOSTEI POUCO

Sonic Unleashed

2010 FIFA World Cup South Africa
AC/DC Live: Rock Band Track Pack
Bomberman Ultra
Guitar Hero III: Legends of Rock
Guitar Hero World Tour
Guitar Hero 5
Kick-Ass

NÃO GOSTEI

Band Hero
BioShock 2
Guitar Hero: Aerosmith
Mortal Kombat vs. DC Universe

CLÁSSICOS REOMENDADOS (PSN)

Daytona USA

Altered Beast
Comix Zone
Daytona USA
Final Fantasy V
Golden Axe
Sonic The Hedgehog
Sonic the Hedgehog 2
Sonic CD
Streets of Rage 2

GOSTEI MUITO (DEMO)

OutLand

Asura’s Wrath
Kingdoms of Amalur: Reckoning
Mega Man 9
Mega Man 10
Moon Diver
Outland

GOSTEI (DEMO)

Tumble

Catherine
Castlevania: Harmony of Despair
Choplifter HD
Darksiders
Elevator Action Deluxe
Infamous 2
Kung-Fu Live
Lego Pirates of the Caribbean: The Video Game
Pac-Man Championship Edition DX
Start the Party
Trine 2
Tumble
Time Crisis: Razing Storm
Tiger Woods PGA Tour 12: The Masters
Uncharted: Drake’s Fortune
Uncharted 2: Among Thieves
UFC Undisputed 2010

INDIFERENTE (DEMO)

Bayonetta
Dragon Age II
Echochrome II
Enslaved
Heavy Rain
The King of Fighters XIII
Need for Speed: Hot Pursuit
Pro Evolution Soccer 2012
PlayStation Move Heroes
Street Fighter III: Third Strike — Online Edition
Top Spin 4
Vanquish
Yakuza 4

NÃO GOSTEI (DEMO)

Duke Nukem Forever
Dungeon Defenders
EyePet: Your Virtual Pet
FIFA Soccer 11
Ghostbusters: The Video Game
Iron Man 2
Resident Evil 5
R.U.S.E.
Racquet Sports

Espero poder conhecer muito mais jogos, mas de preferência sem gastar muito. Aliás, a grande desvantagem da originalidade é que eu acabei gastando mais do que devia com jogos e acessórios para o console. Quem entra nessa tem que tomar cuidado com aquele negócio de querer ter tudo que as duas gerações passadas nos acostumaram (especialmente pela pirataria). E com os preços daqui, complica bastante. As vezes vale muito mais a pena importar e cruzar os dedos para não ser taxado.

Controles / Move / Eye / Controle remoto

Pessoal, vou encerrando esse post que ficou um bem maior que o esperado. Última coisa que tenho a dizer é que o PS3 está completamente ativo e assim estará por mais alguns anos, pois a fila de jogos que tenho pra jogar nele é bem extensa e preciso fazer valer todo o investimento.

Agradeço a todos pela visita e sintam-se a vontade para expressar suas opiniões e/ou contar suas histórias sobre o console (e, por que não, sobre seus rivais também?).

Grande abraço.

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Consoles, Playstation 3, Sony e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

14 respostas para Playstation 3: Optando pelo Original

  1. kanonclint disse:

    Cadu, se tiver o PES 2012 , o convite já esta feito de minha parte. O PS3 foi uma escolha natural da minha parte.
    Antes da morte da Sega (nos hardwares ) , ainda na na quinta geração de consoles ( os 32 bits), onde eu possuía os três consoles , Saturn, Playstation, e N64, o console da Sony já havia conquistado a minha preferencia. Mesmo depois de comprar o Dreamcast, o Playstation ainda era soberano. Isso foi bom para mim, pois de certo modo , eu agora tinha uma outra casa ( a Sony ), e por isso eu não fiquei muito chateado quando a Sega anunciou sua saída do mercado de consoles, principalmente depois do anuncio do Playstation 2.
    Eu comprei meu PS3 (40 gigas) , em junho de 2008, e Devil May Cry IV, foi meu primeiro jogo detonado nele.Foi uma época de transição na minha vida,aos 29 anos, eu era um homem recém casado, e as responsabilidades aumentaram assustadoramente.
    Terminei 54 jogos para o PS3 até hoje, o melhor na minha opinião disparado foram os games da série “Soul’s” , Demons Souls , e Dark Souls. Já estou no segundo console, o primeiro de citei acima, morreu de YLOD em setembro de 2010 , mas logo em seguida comprei o slim de 120 gigas que esta comigo até hoje, a sucata do antigo, dei de entrada em um Xbox360.
    Acho que o PS3,trouxe de volta o gosto pelos originais , até algumas locadoras voltaram do limbo. A diferença dos originais em relação aos piratas, é que você acaba sendo muito mais criterioso na hora de comprar um game, uma vez que o preço é salgado, e o jogo tem que ti dar retorno ( satisfação , e diversão ). Muito diferente do estilo “Jack Sparrow” , onde muita gente tinha dezenas, as vezes até centenas de jogos piratas, mas que no fim não joga-vão nem metade deles. Eu tive a minha fase assim, tenho uns 60 jogos piratas de Ps2, e muitos deles nem coloquei no console até hoje.
    Em contrapartida, tenho 22 jogos do Ps3 , somente 2 deles ainda não terminei, tenho também muitos jogos da PSN também. Ai segue a minha lista de jogos, quem quiser me adicionar meu ID-Kanonclint .

    Blue Ray games – Batman AA e AC, Soul Calibur V e IV, Army of Two 40TH, Resident Evil 5,PES 2012 e 2010 , Fifa 11, Need for Speed Hot Persuit, Star Ocean – Last Hope, Socom IV, Dark Souls, Super Street Fighter IV, Red Dead Redenption, Uncharted 3, Elder Scrolls IV-Oblivion, Elder Scrolls V-Skyrim, God of War 3 , Darksiders .

    PSN games – Daytona Usa, Outland, Limbo, Plant vs Zombies, Hard Corps Uprising, Sonic 1,2,4,Streets of Rage 2, Trine, MoonDiver, Hydrophobia, Resident Evil 4 , Dungeons Hunter, Scott Pilgrim, Super Street Fighter 2 HD Remix , e Super Puzzle Fighter 2 Turbo.

    Eita , olha o tamanho desse post Cadu !!!

    • Gamer Caduco disse:

      Putz, Kanon, eu não tenho o PES2012. Fiquei um pouco decepcionado que não teve evolução (pelo menos aparente) entre o 2011 e ele. Isso foi o que eu senti jogando a demo do jogo. Inclusive se tiver o 2011, só me falta o troféu online! hahaha!
      É muito interessante saber que vc teve a oportunidade de comparar 3 videogames de uma geração e a partir delas fazer suas escolhas futuras. A grande maioria das pessoas acredito que escolheu um “lado” e foi evoluindo isso por ter gostado da(s) geração(ões) anterior(es).
      Estou devendo a mim mesmo os dois “Soul’s”, estou louco pra conseguir o Demons (quero começar por ele mesmo).
      O primeiro modelo do PS3 tinha bastante esse problema de YLOD, né? Eu burro no começo não sabia que no Slim isso era incomum e na primeira vez que o PS3 deu uma daquelas travadas históricas que precisa tirar da tomada eu achei que tinha perdido o console, é engraçado lembrar disso agora. Mas na hora…
      Dos jogos em comum, dá pra gente jogar os Batman (nunca vi o modo online deles), o SSFIV, Daytona USA, qualquer um dos Sonic, SoR2, Hydrophobia (se tiver multiplayer) e SSF2 HD Remix. Adicionei vc lá já tem algum tempo e ainda não jogamos nada, dá pra combinar de jogar qualquer um desses aí tranquilamente.
      E boa idéia, vou atualizar meu post com meu ID da PSN.
      Valeu a presença e o comentário novamente, Kanon! E não se preocupe com o tamanho dos comentários, eu prefiro desse jeito, mais completos, contando histórias e tudo mais!
      Abraços

  2. Willi JRCW disse:

    Graaaande Caduco, maravilhoso post!

    Se me permite, também vou contar a minha história com o PS3: Foi em 2011, eu havia comprado o PlayStation 2 há pouco mais de um ano (mais ou menos na metade de 2010), mas um certo Baixaki Jogos, claro, conseguia me fazer babar pela atual geração. E mesmo tendo um PS2 e gostando muito dele, eu queria um videogame da geração atual. Um Xbox 360.

    Só que, independente se fosse Xbox ou PS3, ambos estavam muito caros. Eu não sou o cara que pede dinheiro pro seu pai pra NADA, eu posso até sofrer um pouco, mas procuro me pagar TUDO. Só que, indiferente se fosse dinheiro meu ou do pai ou de quem fosse, nós não tínhamos condições de pagar mais de mil reais num videogame. Aí veio aquela sensação de “nunca vou ter” ou de “compro quando me formar na faculdade”.

    Foi então que correu a notícia, na cidade onde eu morava (nos mudamos na metade de 2011) que ia ter uma feira no salão da cidade. A feira ia ser num sábado de manhã. Teria produtos pela metade de seus preços originais.

    Naquela semana eu decidi: é aqui que vou pegar meu console next-gen! Passei a semana inteira pesquisando muito sobre os dois videogames, PS3 e Xbox, falando com amigos e colegas que tinham, vendo as qualidades e defeitos de cada um, enfim. E o grande erro: eu estava firme no Xbox, justamente pelo fato da pirataria. “Nossa, dá pra gravar jogos que nem no PS2? É esse que eu quero!”

    Foi aí que descobri através de um amigo, que o desbloqueio do Xbox é um saco de se fazer, não é como o do Wii ou o do PS3 que você pode fazer em casa, aquele tem de se mandar num TÉCNICO pra fazer. E aqui na nossa região, nem loja de games tem, quanto mais um técnico! Aí eu pensei: Se é pra comprar ORIGINAIS, então vou com o PS3, pois os exclusivos deles são melhores que os do Xbox. Nem que eu compre um jogo por mês, sei lá, mas vou com o PS3.

    Passei um sábado de manhã inteiro numa fila do lado de fora do salão, em baixo de uma garoa, só pra poder entrar e levar o meu console. Estava decidido: Ia ser PlayStation 3!! Depois de umas três horas em pé na fila, entrei no salão, fui correndo atrás do videogame, achei um, e já fui pagando, e já levei pra casa, todo feliz da vida!! Estava decidido: vou mantê-lo bloqueado e só vou jogar jogos originais. Em MOMENTO ALGUM me arrependi da decisão, pois era o controle que eu estava acostumado (joguei com o de Xbox e detestei, além de suar a mão e ter uma pegada ruim [pelo menos pra mim]) os jogos exclusivos, ao meu ver, são MELHORES, o próprio menu é mais bonito e organizado do que o de Xbox, e ainda: O PREÇO. PAGUEI 600 REAIS PELO MEU PS3!!! Enquanto o Xbox estava 800, ia precisar de técnico e o escambau, levei o PS3 por 600 reais, com direito a um controle melhor, a jogos melhores, a um console mais bonito e que dá menos problema, enfim, tudo de bom, como você mesmo disse!

    Fiquei uma semana com o videogame só nos menus kkkkkk. Comprei um jogo pela internet (Ratchet & Clank Future: Tools of Destruction, recomendo fortemente) e mais outro numa lojinha que tinha aqui (Assassin’s Creed, Cadu me perdoe, mas eu DETESTEI). Comprei o da lojinha no mesmo dia que o que eu comprei da net chegou pelo correio, aí testei os 2. Adorei! O PlayStation 3 se tornou meu orgulho, meu troféu, o bem mais precioso que eu tenho!!!

    E a conduta seria essa: só jogos originais. Não desfiz a conduta. Mas mesmo assim desbloqueei o PS3.

    Nunca fui muito fã de jogar no PC, eu nunca gostei. Sempre preferi muito mais o sofá e o controle do que a cadeira e o teclado. E, vendo que o PS3 emulava DE TUDO e com uma qualidade SUPERIOR à dos emuladores de PC, não deu outra: Desbloqueei o PlayStation 3 só pra jogar SNES, Mega, Atari (até Atari!!), NES, Master, GBA, tudo isso na TV! Cara, eu tenho um console que vale por vários!! E tudo com emulação ótima!

    E assim sigo com meu PS3 até hoje. Tenho vários jogos (mais que você, hehe =P *zuera*), tenho ele desbloqueado para emular o que eu quiser, e estou aproveitando muito mais do que um Xbox que eu teria que mandar para um técnico, gravar os games em DVD, baixá-los (minha internet baixa a 40 KB/s… jogo de 8 giga é um martírio) e nem emuladores eu teria. Fora que seria 200 reais mais caro! xD

    Por causa do desbloqueio, me limito a jogar apenas os jogos feitos para o último firmware que foi desbloqueado (o 3.55). Com isso, qualquer jogo que precise do firmware 3.56 pra cima (ou seja, jogos lançados a partir de janeiro de 2011) eu não posso comprar, pois vão pedir atualização, e com isso vão bloquear o console. Então, quando quero MUITO um título que não vai rodar no meu videogame (pois vai bloqueá-lo) eu BAIXO ele. Sim, demora uma semana, mas eu não sô estressado. Nem HD externo eu tenho, tenho apenas um pen drive de 16GB por onde transfiro os jogos que baixo (só baixo até 8 GB, mais que isso já é exagero) para o HD do PS3. Continuo com a conduta de “só originais”, esses aí eu baixo por ser emergência mesmo, mas não porque eu quero baixar e largar os originais, não, longe disso (tanto que até agora só baixei Sonic Generations! E agora estou baixando o Mortal Kombat, que vejo que você tem original rsrs).

    Nunca gostei de online então esse é um recurso que não me faz falta, até porque nós não temos roteador, e com o PC no quarto, não é viável num APARTAMENTO puxar outro ponto de internet na sala. Então eu tinha meu Play bloqueado só pra jogos originais e nada mais que isso! Sem PSN, sem nada! Assim com ele desbloqueado, tenho jogos de BD, tenho de PSN que eu baixo no PC e transfiro (nada de gastar dólar haha) e ainda os emuladores. E com essa limitação que tenho em comprar só jogos originais mais antigos, acabo não comprando esses lançamentos que a mídia cai em cima (só se for um que eu quero muito, como eu disse) e acabo comprando jogos mais antigos que eu nem colocaria a mão se pudesse ter os lançamentos. Fora que os antigos são mais baratos, aí ALÉM DE TUDO eu gasto menos grana!!! Aproveitamento total, com o Xbox eu teria isso?? Não!

    Então, é isso. Aqui está mais um bíblia minha, hehe. ^^

    Grande abraço Caduco, e tudo de bom pra nós e pros nossos PS3’s!

    PS: E agora com o PS3, o PS2 foi pra uma caixa no armário. Mas não me desfiz dele! Está lá, ainda gosto dele e ainda jogar-o-ei! Mas por enquanto vou aproveitar tudo que o grandão preto da Sony tem, e depois, um dia talvez, daqui um tempo, abro a caixa do meu PS2, e pego ele como se fosse novo!

    Abraaaaaço.

    • Gamer Caduco disse:

      Boa Willi, gostei da história!
      O curioso é que eu quando era mais novo também evitava ao máximo pedir dinheiro pros meus pais, eu sempre achava que já “custava” caro demais pra eles. E vc pagou realmente barato no console, o que é bem legal de saber! Parabéns!
      Pq vc detestou o Assassin’s Creed? Falta de legendas, muito repetitivo ou algo assim? Eu achei ele legal, mas depois que joguei os seguintes (II e Brotherhood), percebi que o primeiro é bem fraquinho! Ratchet & Clank eu tenho algum deles que peguei de graça em uma das minhas contas com aquele xabu da PSN, mas sinceramente nunca nem coloquei o jogo pra rodar, eu nunca joguei nenhum jogo da série e nem sei como é. Mas verei com certeza!
      Então vc é mais um da turma dos não-PC gamers! Legal saber, pois tem muita gente migrando pra PC ultimamente e isso é meio triste pra quem prefere os consoles, tipo eu. Enfim, isso justifica o desbloqueio. Emulação. Eu pensei em emular também no PS3, mas nesse caso prefiro usar o Dingoo ou no máximo PSP mesmo. Na pior das hipóteses, ambos ligam na televisão.
      Não sabia que os jogos mais atuais rodam normalmente se forem baixados. Mas faz todo sentido. Usa alguma custom firmware? Não que eu queira desbloquear o meu, mas é sempre bacana saber dessas coisas, eu gosto de tecnologia no geral, então é um assunto interessante.
      Esse lance de comprar jogos mais antigos eu acabei fazendo bastante no começo, pois me doía muito gastar mais que 100 reais em um jogo. Não que deixou de doer, mas parece que eu fiquei um pouco mais tolerante. Mas nunca gastei mais que 140 em um jogo, acho que acima disso é muito abuso. Na verdade qualquer coisa acima de 100 reais é abuso.
      Sabe que eu jogo muito pouco online? Muito pouco mesmo! Eu também prefiro offline, mas jogar com amigos é sempre legal, e hj em dia não consigo mais combinar de jogar com eles na casa deles ou na minha, os horários nunca batem. Então nada melhor que ter o recurso online disponível pra isso, é bem mais chato vc não poder ficar provocando ou então rindo/xingando as provocações do amigo. Mas acaba “quebrando um galho”. Agora, jogar com quem nunca tive algum contato (pessoalmente ou por internet) eu meio que tenho alguma aversão. Sempre acho que se eu perder serei trollado e ficarei irritado, então evito. Videogame é diversão, certo? Irritação só se for com jogos extremamente difíceis, pra ter aquela sensação de vitória depois que o desafio foi passado.
      Enfim, valeu mais uma vez pela visita e pelo comentário, Willi! E mantenha sim o PS2 guardado, a não ser que vc realmente precise se desfazer dele. Aposto que vc ainda vai jogar alguns jogos nele.
      Abraços

      • Willi JRCW disse:

        Bah Caduco, na questão dos pais, eu penso do mesmo jeito que você cara. Eles lutam e se esforçam pra nos sustentar, para manter nossa moradia, de vez em quando nos dar algum luxo, então a gente fica até meio sem jeito em pedir alguma coisa. Nem que fique sem por um tempo e economize, mas não me sinto à vontade pedindo para meu pai comprar. Pena que a maioria da garotada hoje em dia não pensa assim (olha eu aqui, com 15 anos, falando como se tivesse 25 sobre crianças de 10-11 kkkk), é “pai me dá ou eu faço o burro” ou nada. Infelizmente, a nova geração tá se criando na base da mordomia. Vê alguém vendendo picolé na praça? Ninguém. Eu comprei o PS3 com o dinheiro de jogos piratas de PS2 que eu vendia pra um cara na rodoviária, e também com o salário que eu ganhava do meu avô, quando trabalhava com ele na cidade onde morávamos. Agora que nos mudamos uma moça me substituiu, estou sem trabalhar ;(

        Não curti o Assassin’s Creed simplesmente por não ir com a cara dele! Eu não gosto de jogos assim “mornos”, com pouca ação. Gosto de estar sempre me mexendo, fazendo alguma coisa. Assassin’s Creed tem aquelas partes de “seguir as pessoas, escutar a conversa” e isso eu já não curto não. Caso raro, devo ser uma das poucas (pouquíssimas) pessoas que não gosta de Assassin’s Creed na atualidade. Mas gosto é gosto, e no meu, Creed não entra!

        Ratchet & Clank eu recomendo fortemente cara, eu e meu amigo jogamos o 2, o 3, e esse Future do PS3, por sááábados à fio! É um jogo single player, mas é legal passar o controle quando passa de fase, salva ou morre. Era assim que fazíamos. Nos divertíamos pra caramba! (inclusive lembrei agora que analisei um dos jogos da série no Point, dá uma conferida: bit.ly/y5je87) Cara, concordo com você, jogar multiplayer pessoalmente é algo único! E pensar que a anos atrás isso não era nada especial, hoje com o online isso se tornou algo singular e, repetindo a palavra, especial! Eu sou daquele que sempre que pode reúne as pessoas pra jogatina, não gosto de online, só jogo SNES online com um amigo meu que não é daqui, do contrário só jogo multiplayer pessoalmente! É melhor cara, justamente pelos motivos que você disse.

        Cara, quanto aos jogos baixados, o que acontece é que na internet o jogo que você baixa geralmente vem JOGO + FIX. Fix é o termo usado para definir um arquivo do próprio jogo editado (PARAM.sfo e/ou EBOOT.bin) para que o jogo funcione numa firmware mais antiga do que para a qual ele foi projetado! Um jogo de PS3 geralmente tem o arquivo PS3_DISC.sfb e duas pastas, PS3_GAME e PS3_UPDATE. TODOS os jogos de PS3 são assim, esse arquivo e essas duas pastas. Ao baixar, vem uma terceira pasta, onde estão os fix (esses PARAM e EBOOT que eu falei antes). O próprio jogo já tem esses arquivos, mas os que vem na pasta fix são editados, aí tudo que você tem que fazer é substituir os originais por esses da pasta dos fix, e pronto, jogo otimizado, agora é passar pro HD e jogar! Se você já tem o jogo, você pode baixar o fix separadamente, lembrando que CADA JOGO TEM SEU PRÓPRIO FIX (só não tenho Rayman Origins ainda porque não saiu fix pra ele ainda). É bem interessante isso, eu sou como você, mesmo não aplicando ou usando algumas coisas, gosto de saber como funciona.

        Então é isso Caduco, nah, nem tem que agradecer, sou seu fã pra caramba, chego a esfregar as mãos (tipo de felicidade) quando tem post novo seu. Gosto MUITO de você, do seu blog e do seu trabalho. Continue (assim não… hehe) MELHORANDO (o Caduco vai entender essa frase ^^). Abração.

        • Gamer Caduco disse:

          Te digo que isso não é exclusividade da geração atual de crianças, isso aconteceu na minha infância também. Talvez não fosse tanto quanto é hoje. Internet deve complicar muito as coisas.
          Entendi o lance do Assassin’s Creed. Tem coisas nele que me incomodam também, por exemplo, ficar toda hora stealth… eu não sou totalmente fã disso, por isso nunca parei pra jogar Metal Gear. Prefiro o “modo rambo” mesmo, sair na cara dos inimigos e cacetear todo mundo. Mas isso não me impediu de gostar dos AC. De qualquer forma, gosto não se discute, eu perguntei mais por curiosidade mesmo. Mas fez todo sentido o que vc disse, a falta de ação te faz não gostar de RPG também, certo?
          Vou dar uma olhada no post sobre o Ratchet & Clank, eu ainda estou devendo ler o Yoshi Island e mais um que salvei no meu leitor aqui (esqueci agora), é que está faltando tempo mesmo.
          O lance dos fix eu conheço por causa do PSP, pelo visto o esquema é bem parecido… acho que só não é igual pq no caso do PSP tem as CFW que “enganam” a segurança de checar qual a versão de FW tem o aparelho.
          E eu agradeço sim, com certeza. O blog vai sobreviver de comentários (e de teimosia da minha parte), não penso em transformar ele em algo “sério” nunca. Quero manter ele pessoal e deixar de espaço para que as pessoas contem suas histórias também com os consoles e, futuramente, com jogos. E ultimamente tem dado certo, pois a maior parte dos comentários que chegam sempre contam alguma história. Então o objetivo do blog vem sendo cumprido e o mínimo que posso fazer é agradecer a cada um que deixa um pedaço da sua história gamer por aqui. Então mais uma vez, agradeço!
          Grande abraço

  3. Eu também entrei nessa fase de só originais. Cansei dessa ladainha de baixa ISO, arruma mídia que se dá melhor com o leitor do console, grava, testa, joga, trava… eu quero chegar em casa cansado do trabalho e simplesmente colocar o DVD no vídeo-game e jogar. E isto que você disse é verdade, ter muitos jogos é sinônimo que não iremos nos dedicar direito a nenhum, comprando a coisa já muda de figura completamente.

    • Gamer Caduco disse:

      Pois é, fora que outro dia eu estive pensando no quanto que o computador ficava ligado baixando ISO, especialmente na era PS2. Se somar o trabalho que vc tem, mais o preço da mídia, mais o preço de ir comprar a mídia, mais o tempo de gravação e o tempo de PC ligado fazendo download, capaz que já custe uma boa porcentagem do preço de um jogo. Sem contar quando corrompe arquivo, somem fontes, etc. Qualquer dia eu faço toda essa conta, sério.
      Mas é bem o que vc falou mesmo, bem melhor chegar em casa e gastar o tempo livre apenas colocando mídia/cartucho no console e jogando. A dor de cabeça se limita ao mundo virtual e nada mais.
      E o lance da dedicação, ela muda bastante quando vc sabe que gastou X “dinheiros” no jogo.
      Valeu!
      Abraços

  4. Pingback: 3DS: NOVO PORTÁTIL NA VIDA | Gamer Caduco

  5. Pingback: Um Sonic na vida do Gamer Caduco – parte 3 | Gamer Caduco

  6. Pingback: Motion Sickness (ou Cinetose) e a influência nos games | Gamer Caduco

  7. Pingback: Troféus/Conquistas | Gamer Caduco

  8. Pingback: BGS – Brasil Game Show 2013 | Gamer Caduco

  9. Pingback: Nostalgia e Videogames | Gamer Caduco

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s