Um Sonic na vida do Gamer Caduco – parte 3

E aí, galera? Como estão todos?

Finalmente hoje fecharei a trilogia de posts sobre Sonic na minha vida. Neste último post estarei falando sobre a era moderna dos jogos do ouriço e também sobre a coleção que comecei e estou tentando manter dos jogos e outras bugigangas do mascote da SEGA. Vamos lá.

Sonic pós 16 bits

Como já mencionei em outros posts, nunca tive os últimos consoles da SEGA, o Saturn e o Dreamcast. Acabei optando pelos dois primeiros consoles da Sony. Por esta razão, acabei não jogando os dois jogos da série Adventure quando foram lançados. Fui conhecê-los apenas no Playstation 3 e no Game Cube. Na verdade cheguei a ver o Sonic Adventure 2 na casa de um amigo, mas ver o Sonic em 3D me fez ter algum receio e eu acabei só assistindo, não quis jogar. No começo eu era meio resistente mesmo aos jogos 3D, seja por não querer ficar enjoado ou por não gostar mesmo.

Por coincidência, este mesmo amigo me incentivou a comprar um GBA, uma das plataformas que receberam jogos da franquia. Ver Sonic para o portátil foi um tanto quanto assustador. Assim como muitos, estava mais do que acostumado a ver jogos do ouriço competindo com jogos do Mario, da Nintendo. De repente um aparelho da empresa rival recebe um jogo da franquia. Como assim?! De qualquer forma, foi aí que comecei a conhecer os jogos do Sonic para plataformas não SEGA e quando de fato comecei a era moderna. Tive para o portátil os dois primeiros Sonic Advance, inclusive os tenho até hoje. São cartuchos alternativos, a bateria deles não funciona mais. Algo que fez com que eu não os terminasse, mesmo assim adoro ambos.

Capa da Nintendo World, dando boas vindas aos jogos do ouriço nas plataformas da Big-N.

Durante um bom tempo fiquei sem acompanhar novidades da franquia. Foi uma fase que dediquei a maior parte do meu tempo disponível para jogos de (J)RPG, especialmente de SNES (emulador) e PSX. Até que um dia, passeando pelo centro de São Paulo, acabei vendo em uma loja um tal de Sonic Heroes para PS2. Fiquei com aquilo em mente, mas não cheguei a procurar nada à respeito. Mas um dia perguntei a um amigo se ele sabia que existia jogo do Sonic para PS2. Ouvi como resposta: “sim, e é uma PORCARIA!”. Aquilo ficou na minha cabeça, mesmo sabendo que o amigo era nintendista e que não era nenhum fã de Sonic. Algum tempo depois resolvi comprar o jogo.

Sonic Heroes alternativo para PS2, ao lado do Mega Collection Plus (também alternativo)

Difícil fazer um julgamento do que achei no momento em que coloquei a mídia no console e testei. Sabe como é, essa fase do PS2 foi a que eu queria ter uma porção de jogos e não jogava nada. Sonic Heroes entra para a lista dos que eu coloquei pra ver se funcionava, testei e nunca mais voltaram para o videogame. Achei o jogo OK (nada mais além disso). O mesmo acabou acontecendo com Unleashed também, que joguei apenas a primeira fase e nunca mais. Foi a maldita época da vida que eu ligava o videogame para jogar Winning Eleven e só “de vez em nunca” outros jogos. Época da qual não me orgulho, mas eu estava com outras prioridades para investir o pouco tempo livre.

O meu interesse pela franquia voltou com a compra do PS3. Foi também a época que passei a ler mais sobre os jogos do Sonic para os mais diversos consoles. Então comecei a me informar e vi que muitos criticavam da pior forma todos os jogos lançados para as últimas gerações, com a exceção de Generations que teve uma melhor aceitação e o Colors (do Wii) que foi ignorado por muitos. Acabei conhecendo também o tal Ciclo do Sonic, que eu acho bem engraçado, mas não consigo levar a sério.

Nessa fase eu descobri que odiava todos os jogos novos do Sonic sem ao menos tê-los jogado. Tudo por causa das críticas negativas de sites, blogs, revistas, amigos, etc. O que é uma tremenda bobeira, vamos concordar. E aposto que tem muita gente que pensa assim também. E aí que comecei a reparar que existem alguns tipos bem específicos de pessoas que fazem as críticas dos jogos da franquia. OK, não existem de fato esses estereótipos, é tudo uma palhaçada minha ironizando muito do que leio pela Internet à fora. Não levem a sério. Os tais tipos são os seguintes:
– Os que odeiam o jogo baseado em opiniões, fotos e vídeos. Como disse, eu já fui um desses;
– Sonic Haters, ou seja, “é Sonic, é ruim”… na opinião deles;
– Os que ficam reclamando, mas jogam os jogos o tempo todo: se o jogo é curto, reclamam que acaba rápido. Se o jogo tem fases longas, reclamam que as fases deviam ser mais curtas. Se encontrarem bugs, o jogo é mal feito. Enfim, não importa o esforço que a SEGA fizer, eles sempre vão encontrar algo para reclamar e não vão fazer elogios ao que está bom;
– Retrogamers puristas: se o jogo não for feito com sprites e exatamente igual às versões de 8 e 16 bits, o jogo é um lixo. Não importa se jogaram ou não, eles vão dizer que o jogo é um lixo e ponto final;
– Fãs do Sonic puristas: o jogo deve ser jogado com o Sonic e acabou. Qualquer coisa diferente disso é motivo de rage. O grupo é composto principalmente por aqueles que odeiam Sonic Unleashed SOMENTE pelo fato da existência do Werehog;
– Os fãs que aceitam qualquer porcaria: não importa se o jogo é 2D, 3D, bom, ruim, tem bugs, joga com todos os miguxos amigos do Sonic, qual a plataforma, etc. Eles simplesmente engolem o jogo e dizem que gostam.

Típico fã que aceita qualquer coisa…

Claro, existem muitas pessoas que fazem críticas negativas aos jogos e que estão cobertas de razão, pois possuem bom argumentos para criticar seja qual for o jogo. Acredito inclusive que seja a maioria das críticas que vejo em blogs. Mas não em todos os lugares na Internet, infelizmente. Enfim, como já disse, não levem estes estereótipos à sério, é tudo uma zueira da minha parte, embora existam pessoas que se encaixam neles. Eu mesmo estou me encaixando perfeitamente no último caso. Sério, depois que venci o preconceito gerado por comentários alheios e resolvi experimentar os jogos, consegui extrair alguma coisa de bom de cada um deles.

Atualmente estou jogando o Unleashed no PS3 e digo que tenho meus momentos de diversão, mas também tenho os de raiva. Importante que sinto vontade de continuar jogando, o dia que eu for fazer uma análise dele, vou dizer os prós e contras, sem ficar descendo a porrada em detalhes que não deveriam ser tão importantes assim pra definir um jogo como bom ou ruim. E isso de momentos de diversão e stress não aconteceram apenas com Unleashed, mas com quase todos que joguei, Adventure (1 e 2), Heroes, etc. Fugiram disso as duas versões de Sonic Generations (PS3/X360/PC e 3DS) e o Colors (Wii). Inclusive, dos lançados para consoles de mesa e PC, estes dois últimos foram os únicos que me fizeram ficar aflito para voltar pra casa pra jogar. Todos os outros foram mais motivados por algo similar à “não estou fazendo nada melhor agora, acho que vou jogar”.

Numa coisa eu concordo com a grande maioria: o Sonic cresceu e se tornou irritante, com suas atitudes de aborrecente adolescente, cool, descolado, mala, jovem, radical ou sei lá qual o melhor termo que define esta nova fase dele. Toda vez que ele abre a boca eu tenho vontade de quebrar a televisão no meio. Todo carisma que ele tinha na fase retrô dele foi perdida em sua fase moderna. Um grande exemplo disso é Sonic Generations, quem jogou deve ter adorado ver o Sonic clássico sem falar uma só palavra e deve ter se irritado com os “iá”, “rá”, “cool” e mais as palavras/frases “sou foda” do moderno. As poucas vezes que gostei dele falando foi em alguns momentos que ele faz alguma piada satirizando o Eggman/Robotnik.

Oi, eu sou cool! E chato pra caramba quando abro a boca…

Para finalizar, o que na minha opinião NUNCA perdeu a qualidade foi a trilha sonora da série. Todos os jogos que joguei até hoje possuem músicas fantásticas, muito empolgantes e que me dão vontade de ouvir até quando não estou jogando. Isso desde sempre, em todas as gerações. E não dá pra simplesmente ouvir, tem que cantarolar ou assoviar. Tem hora que, ouvindo a música, dá vontade de levantar e sair correndo feito um maluco. Muitas das músicas dos jogos são extremamente viciantes.

Coleção do Sonic

Desde que passei a optar pelo original, ou seja, quando adquiri o PS3, passei a ter gosto por jogos em bom estado, caixas e manuais. O que me despertou a vontade de começar uma coleção, já que já tinha alguns videogames e queria ter outros de volta. Só que, como todos sabem, colecionar videogames é um bocado caro aqui no Brasil, não importa se são jogos/consoles novos ou antigos. Nessa época, muitos blogs escreveram sobre colecionismo, talvez por ser um assunto que vem ganhando força ultimamente.

Em um destes textos (não me recordo em qual), o blogueiro deu a dica de dar uma direção à coleção, ou seja, escolher um tema/objetivo ao invés de ficar colecionando um monte de coisa. Percebi que minha coleção não tinha um direcionamento, estava comprando de tudo um pouco. Por conta disso, abracei a dica na hora. Como sou fã do Sonic, por quê não fazer uma coleção de coisas da franquia? Foi o que eu fiz.

Ela está pequena ainda, na minha opinião. Segundo uma lista que criei para me organizar, falta muita coisa ainda para ser adquirida. Junto com esse post estou colocando no ar uma página fixa no blog que vai ter as atualizações da coleção. Assim como a página do Gamer Caduco no Facebook, que já contém as fotos da coleção há algum tempo (inclusive diferentes da página do blog).

Toda a coleção até a data do post.

E é isso, pessoal. Encerrada a trilogia. Espero que todos tenham gostado. Se estiverem colecionando algo relacionado à games e/ou ao Sonic, contem as experiências nos comentários. Vocês podem usar o espaço para me xingarem também, caso alguém tenha ficado ofendido com os estereótipos de gamers comentaristas de Sonic e etc. Fiquem a vontade, o espaço lá é de vocês.

Grande abraço a todos.

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Coleção, Outros, Personagens, Sega, Sonic e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

30 respostas para Um Sonic na vida do Gamer Caduco – parte 3

  1. Ironicamente nunca joguei os de GBA, agora que voltei a ter um pode ser que venha a fazer parte da minha coleção, agora este “Gems” ae tem pro Cubo, qualquer dia vai pra coleção também. Sobre os jogos 3D joguei apenas os dois Adventures no Dreamcast: no primeiro eu achei um porre as fases que não eram do Sonic, era torturado com aquela história forçada e sem necessidade que inventaram e quase quebrei o Dreamcast de raiva por conta da maldita câmera. O dois eu achei melhor, mas ainda não é lá essa maravilha, isso ficou bem claro quando fui jogar a versão do Cubo ano passado e vi que não suportava mais o jogo. Sobre esses jogos de Sonic com zoofilia, Sonic Medieval e Sonic Lobisomem você vai me desculpar, mas um estupro desse eu não tenho estômago para encarar, é bizarro demais e matou o personagem. As trilhas sonoras eu também acho legais, mas acho que prefiro as músicas fora do jogo do que dentro, sabe porque? Elas nada mais são do que um reforço dessa fase “cool” do ouriço. Em uma comparação inevitável, você vê que Mario por exemplo apesar de ter até trilha sonora orquestrada (excelente diga-se de passagem) ainda mantém a mesma linha musical, o que dá todo um clima nostálgico aos jogos modernos.

    PS: mui bacana essa sua coleção 😀

    • Gamer Caduco disse:

      Fala Tchulanguero!
      Os Sonic Advance do GBA são muito bons, eles não perderam muito do que a fase mais clássica possui: jogabilidade 2D, desafios, etc. Mas também possuem o grande problema de ter disponível pra jogar com diversos personagens, apesar de não frustrar tanto quanto os Adventure. Falando neles, a história do primeiro realmente enche o saco, fora que diversas vezes fiquei perdido nos tais “Adventure Fields” procurando a entrada para a próxima fase. E a câmera é realmente deprimente. O segundo ainda não joguei seriamente, passei algumas fases e tal, mas é realmente difícil ter paciência nas fases do Tails e principalmente do Knuckles (e seus equivalentes no Dark Team).
      “Sonic com zoofilia” foi ótimo! hahahaha! Eu na verdade desconsidero estes jogos, o Unleashed quando foi lançado, lembro de dizerem que era um Spin Off da série, então se quisessem transformar o ouriço até na Barbie eu não ficaria tão incomodado como alguns ficaram, o jogo tem suas partes boas (acredite, até nas fases noturnas… mas são poucas, a maioria é irritante).
      Vou falar um pouco melhor de cada jogo mais pra frente, quando der início à maratona aqui no blog. Já estou tentando jogar os jogos justamente pra poder falar deles sabendo do que estou falando.
      Pô, vc me deixou numa sinuca aqui quanto à comparação com Mario. As músicas do bigodudo são fantásticas, mas definitivamente elas possuem uma pegada mais nostálgica mesmo, adoro as trilhas sonoras de praticamente todos os jogos da franquia. Mas é meio complicado fazer a comparação com Sonic, mesmo que inevitável (entendo, vivemos a época da gloriosa batalha entre as empresas e seus mascotes). De fato as músicas dessa era moderna são mesmo para representar a fase “cool” do Sonic, mas aí é que tá. Elas realmente representam bem isso. As músicas tem essa pegada “cool” e são boas, foram bem feitas, os caras que receberam a ordem de compor músicas desse tipo cumpriram bem com seu papel. O mesmo não pode ser dito aos caras que montaram scripts de falas e atitutes para o ouriço. Nem os cabeçudos que inventaram coisas que definitivamente tentaram matar a franquia. Mas acho que sua opinião pode mudar um pouco quando vc jogar o Sonic Colors, a trilha sonora é menos o tal do “rock cool” que eles costumam impor. Cada “mundo” tem uma música e cada um dos Acts desse “mundo” é um remix diferente, o que eu achei genial, pois ficam marcadas na cabeça sem ficar repetitivo e todas são bastante divertidas e bem feitas. Fora que tem os Special Stages que possuem as mesmas músicas só que mais retrô, usando sons de 8 e/ou 16 bits.
      Acabei me empolgando aqui, fã é uma droga mesmo, sempre defende o que acha legal… kkkkk… como disse, falarei um pouco mais quando estiver falando de cada jogo, mas no geral é mais ou menos isso… hehe!
      Valeu Tchulanguero! E valeu também pelo elogio da coleção! 😀
      Abraço

      • Ah, vou esperar então você falar sobre estes jogos pra saber o nível da parada, rzs.

        Sobre as trilhas sonoras novas longe de mim acha-las ruins ou mal encaixadas, o que você disse tá certo, os caras fizeram o que foi pedido para fazer e isso tem seu mérito. Mas continuando a minha comparação com Mario, que não é sobre os jogos ou personagens em si e sim como ambos foram conduzidos ao longo do tempo em termos de desenvolvimento, o problema é que a música é utilizada como uma forçação de barra para que Sonic pareça descolado, que aliado à histórias nada a ver e jogabilidade cheia de defeitos tornou os jogos atuais ruins, então o meu problema com a música é mais pelo conjunto do que elas mesmas.

        Eu até fico sem entender o porque dessa coisa toda de tornar o personagem em um adolescente chato (redundante né? rzs), o que eu mais gosto nos Sonics antigos é justamente a simplicidade dos jogos e o seu aspecto até infantil e fantasioso, nada mais era do que a história de animais lutando contra um cientista malvado, é perfeito para que se possa focar mais na jogabilidade e funcionava antes perfeitamente bem.

        Putz, e você tá me tiçando mesmo a jogar o Colors hein? 😛

        • Gamer Caduco disse:

          Ahhh, agora eu entendi, eu tinha entendido outra coisa. Mas enfim, nesse ponto vc tem um bocado de razão. Concordo com vc levando em conta que antigamente as músicas dos jogos eram mais “casadas” com as fases, hoje alguns jogos forçam mesmo uma música mais “descolada”. Acho que é o caso dos Adventure, que dão sim uma forçada de barra. Não acontece em outros, como já mencionei, o Colors. Eu acho pelo menos. Aliás, eu cito bastante não pra te convencer que o jogo é bom, mas sim pq realmente curti o jogo quando joguei (continuo jogando na verdade). Pode ser que vc um dia experimente e ache o jogo ruim, como aconteceu por exemplo com o Heider Carlos (veja o comentário dele).

          Mario definitivamente tem suas músicas bem “casadas” com as fases, isso é um fato!

          Redundante foi boa! huahuahuaauh! Mas enfim, também não entendi essa da SEGA. Tudo bem que desde sempre eles quiseram associar Sonic à “atitude”, era assim que o marketing vendia o Sonic quando o comparava ao Mario. Só que vai entender pq diabos eles quiseram que ele crescesse e ficasse com todo esse palavreado xarope. Sinto falta desse aspecto fantasioso ao qual vc se referiu e da história mais simplificada. Vamos ver se a SEGA aprendeu com o Generations que a galera sente falta do Sonic clássico e faz algo tipo um reboot, ou corta as cordas vocais do Sonic moderno ou coisa do gênero… hahaha!

          • Olha, só se ela mudar de idéia, os caras já haviam dito que Generations seria a despedida definitiva do Sonic clássico 😦

            • Gamer Caduco disse:

              Eu lembro de ter lido isso e lembro de ter lido algo sobre um dos caras da SEGA dizer um “nunca diga nunca”, querendo dizer que inicialmente estava fora dos planos, mas que não sabia como poderia ser no futuro. Tomara que eu não tenha sonhado com isso e tenha lido mesmo! hahahaha

  2. Briza disse:

    “AI QUE artigo BONITINHO!”

    Caraca, q legal sua coleção! Nem sabia que tinha tanto jogo de sonic assim ahuahu

    • Gamer Caduco disse:

      Artigo bonitinho? Mas este nem é o artigo do Sonic clássico? “Má como pode ser verdade uma p**** dessas, hein Bátima? Me explica essa p****!”… kkk
      Então, eu talvez não tenha chegado nem na metade de jogos do Sonic, contando todos os consoles SEGA e os não SEGA. É coisa pra caramba! Estou aceitando doações em dinheiro pra comprar mais jogos! hahaha!
      Valeu Briza!
      Abraço

  3. Heider Carlos disse:

    Muito boa a série de posts. O único jogo do ouriço que achei intragável foi o Colors pra Wii. Não consigo jogar por mais de 10 minutos… Até o dos Cavaleiros do Rei Arthur eu gostei, e acho que ele é um dos mais criticados. Gosto muito do ouriçom também, a ponto de só jogar com ele no Smash Bros Brawl ^^ E parabéns pela coleção, que está muito foda.

    • Gamer Caduco disse:

      Caramba, sério mesmo que vc não curtiu o Colors pra Wii? Eu curti pacas esse jogo, até hj ainda jogo ele, mesmo tendo terminado (ainda não fiz tudo o que tem pra fazer).
      O Black Knight não posso opinar ainda, não o joguei o suficiente pra isso, mas não parecia ser tão ruim quanto as pessoas falam. É aquele tal negócio, colocaram uma espada na mão do Sonic e o jogo vira um lixo para algumas pessoas, mesmo que elas nunca tenham jogado. Mencionei isto no post.
      Tem o Werehog no Smash Bros Brawl? Nunca joguei nenhum Smash Bros, vou ver se experimento algum dia e desço a pancada em todo mundo usando o Werehog também! hehehe
      Valeu pelos elogios e pelo comentário, Heider!
      Abraço

  4. Willi Weiss disse:

    Muito bom, Caduco. Verdade esses estereótipos aí, todos eles existem. Não há um fã “normal” da franquia, que jogue e diga se é bom ou não, que goste ou que não goste. Há “haters” e “amantes cegos”, e assim nossa querida franquia fica desgastada. Muito legal sua coleção, hehe. O objetivo da minha era só colecionar jogos de PS3 e nada mais que isso. A direção da minha era, e ainda é, montar uma coleção “perfeita”, só com jogos que eu goste MESMO. Só que como jogos originais são caros e eu sou um adolescente (não tão chato quanto o Sonic kkkk) de 15 anos, não dá pra ficar brincando. Daí tô optando por downloads, claro, sempre sem abusar como fazia no PS2, baixar demais e jogar de menos. Tô moderando. E assim se baixo e não gosto, posso deletar, não preciso me estressar tentando arrumar alguém que compre de mim. Coleção virtual (HD externo) é legal também, o que muda é que não tem caixinhas. ^^

    Ótimo texto Caduco, bem legal mesmo. Aguardando agora para ver qual será a próxima novidade do blog (desculpa se nós leitores estamos fazendo pressão por novidades, não é intencional xD).

    Grande abraço!

    • Gamer Caduco disse:

      Sim, faltam fãs normais da franquia, de fato! Não sei se isso a desgasta, acho que a culpa tá mais pra própria SEGA que não sabe bem o que fazer nem com ela e nem com as outras. E nós que gostamos da empresa ficamos torcendo para que alguém grite “RISE FROM YOUR GRAVE” e a ressuscite. Seria bom para nós, jogadores.

      Sobre o colecionismo, é complicado mesmo quando vc não tem o próprio dinheiro. Ficar esfolando a carteira dos pais ou responsáveis é complicado, bom, já falamos sobre isso antes, né? 🙂
      Um dia vc mata essa vontade de colecionar jogos, não tenho dúvidas de que vai acontecer.

      E não tem que pedir desculpas não, tem é que botar pressão mesmo! hahaha! As novidades virão, mas podem atrasar um pouco, entrei numa fase complicada da vida aqui que tá me tomando quase todo o tempo. Mas já tenho idéia de qual será o próximo post, então não vai atrasar tanto assim.

      Valeu Willi!
      Abraço

      PS: Ri bastante do “não tão chato quanto o Sonic”… huahuahuahuahua!

  5. kanonclint disse:

    O grande problema do Sonic nesta chamada “fase moderna”, foi aquilo que o fez famoso, e agora se mostra o maior de seus problemas, …… a sua VELOCIDADE.
    Sim amigos, a velocidade do ouriço, que o catapultou ao estrelato, é a mesma que tem afundado sua carreira.
    Em sua essência, Sonic, na sua fase clássica, era um side scrolling plataforma.O que o diferenciava dos demais, era a sua velocidade, e a forma como esta influenciava na física do jogo.
    Essa receita de velocidade, física diferenciada, aliada aos gráficos sensacionais, e uma trilha sonora igualmente excelente , e claro junto com o carisma do personagem, fizeram de Sonic, um dos imortais do mundo dos games. Mas……
    A chegada da geração 32bit, instaurava uma nova tendencia; gráficos poligonais, e a partir dai teve inicio o calvário de nosso herói.
    Nem todas as franquias conseguiram se adaptar as 3 dimensões, outras obtiveram grandes resultados, como foi o caso de Mario, Sonic , de modo geral, não obteve sucesso.
    E na minha opinião isso se deve muito ao fator velocidade, e como esse fator deva ser implementado no “core” da jogabilidade. É muito difícil fazer com que a velocidade, tenha uma sincronia de qualidade com a câmera, e ao mesmo tempo, uma boa jogabilidade, e respostas precisas. Todo jogo mais recente do Sonic, sofre de um, ou outro problemas que citei, quando não de todos ao mesmo tempo, ai fica complicado.
    Soma-se a isso, uma pré disposição singular da Sega em detonar a imagem de seu mascote , e pronto, esta feita a me…da toda.
    Cada jogo do Sonic, deveria ter ares de “grandioso evento” , e não de “carne de vaca” , com uma quantidade enorme de jogos, de qualidade duvidosa que saem a todo momento.Sonic, já virou motivo de chacota, e a Sega tem muita culpa nisso. Ao contrario da Nintendo, que sempre teve muito mais cuidado com a imagem, e sobretudo qualidade dos jogos de suas principais franquias.
    Na minha opinião a Sega deveria dar férias para o Sonic, e trazer do “afastamento” , outro grande mascote,… Alex Kidd.
    Acho que Alex, teria muito mais condição de se enquadrar nas novas mecânicas, do que Sonic.
    O problema, é que a maioria dos games de Alex Kidd, foram lançados para o Master System.E todos nós sabemos, que o Master não foi um sucesso nos principais mercados de games (Japão, e EUA) , talvez por isso , a Sega nunca tenha trazido Alex de volta.
    Mas eu sou brasileiro, e não desisto nunca, e ainda chegara o dia em que jogarei um game AAA do Sonic,

    Valeu Cadu!!!

    • Gamer Caduco disse:

      Fala Kanon!
      Gostei bastante dos pontos que vc levantou, eu concordo com muito do que vc disse!
      De fato a velocidade deve ter influenciado muito nos problemas da SEGA pra lançar um jogo poligonal na era 32 bits, tanto é que não tivemos jogos da série para o Saturn, né? Teve aquele tal Sonic-R, mas ele é jogo de corrida, não o considero como da série, apenas da franquia. Tá mais pra Spin off e tal.
      Na geração seguinte saíram os Adventure. O primeiro tinha exatamente esses problemas que vc citou: a câmera sem sincronia, jogabilidade no mínimo estranha e os bugs infames.
      Agora vem um contra-ponto: a velocidade ficou boa nos últimos jogos, Generations e Colors. Unleashed tinha tudo pra ter isso bem também (nas fases diúrnas, claro), só que aí as vezes a câmera dá aquelas surtadas e vc se ferra por conta disso (entrou em um dos problemas que vc citou). O problema dos dois jogos que souberam usar a velocidade é que, na maiorias das partes 3D (já que os jogos mesclam 3D e “2.5D”), o jogador fica “preso nos trilhos”. Não que isso estrague a diversão, mas estraga o desafio na grande maioria das vezes. Unleashed não tem o problema dos trilhos, mas a câmera atrapalha e algumas vezes, pelo menos no PS3, a resposta não é tão precisa (outro ponto que vc levantou).
      Acredito que esse lance da velocidade a SEGA tem como resolver nas próximas versões 3D, mas eu prefiria que ela continuasse lançando sidescrollers, realmente são bem mais divertidos. Acho que finalmente ela começou a acertar a mão pra trabalhar em outros hardwares que não sejam dela. Acho que inclusive li isso em um comentário seu em algum lugar que agora não me lembro.
      Agora, o que mais gostei foi o que vc falou sobre “carne de vaca”. De fato a SEGA se arrebenta nisso. É só ela anunciar algum jogo da franquia e o povo já começa com as gracinhas pela Internet. E é muito jogo na tentativa desesperada de algum emplacar e nada de colocar qualidade. Concordo com vc, deviam colocar o Sonic na geladeira após o Sonic 4: episode II e deixar lá por um longo tempo, deixar a galera sentir saudades e enquanto isso tentar desenvolver uma engine sem problemas pra depois construir um jogo AAA. Eu só não sei o quanto isso seria problemático pra empresa em termos financeiros, as vezes não é viável por falta de receita, vai saber.
      Esse lance de trazer Alex Kidd de volta é um sonho seu, meu e de muitos outros! Uma pena que só nós brasileiros e alguns europeus que gostamos dele! hahaha! Mas é verdade, nunca tinha pensado, ele se encaixaria perfeitamente nas mecânicas 3D atuais. Daria um bom jogo. Só tirar algumas maluquices tipo pagar pra ter um item e ter a chance de não pegá-lo pq perdeu no Jankenpo! Tá doido, né? Aquele Alex Kidd in Enchanted Castle tem umas coisas bem estranhas.
      Valeu Kanon!
      Abraço

  6. Dactar disse:

    Olá Caduco,mais um ótimo texto!
    Eu também tive uma resistência com os jogos 3D no início, fui aceitando o PSone aos poucos.
    A capa de Nintendo World pode parecer inocente a um gamer mais jovem mas ao vê- la fiquei com arrepios,juro pra você que até hoje eu não assimilei direito o fim da SEGA Hardware e o Sonic “rodando” na Nintendo.
    Adorei suas definições de jogadores,confesso que fui um Retrogamer purista por um certo tempo,hoje sou muito mais “cabeça aberta” a novos jogos do Sonic e novidades estranhas,como os controles de movimento.
    Leave Sonic Alooone! Ha ha ha ha!Boa!

    Sua frase:
    ” Toda vez que ele abre a boca eu tenho vontade de quebrar a televisão no meio. Todo carisma que ele tinha na fase retrô dele foi perdida em sua fase moderna. ”
    Juro,você lavou minha alma com esta frase,simplesmente PERFEITA!

    Sua coleção está linda.Que saudade em ver a capa do Sonic para Master com aquele “2MEGA” na lateral…são detalhes que jogadores que começaram no Playstation jamais irão compreender.

    Até a próxima Caduco!!!

    • Gamer Caduco disse:

      Se vc também teve as fases de “resistência com jogos 3D” e “retrogamer purista”, então tivemos uma vida gamer bem parecida mesmo.
      O fim dos hardwares SEGA e suas franquias aparecerem em outras plataformas, especialmente da Nintendo, é de fato um tanto quanto assustador até hj. E o que dizer então dos jogos que misturam Mario e Sonic disputando esportes olímpicos? A primeira vez eu fiquei maluco. Fico tão noiado com isso que eu sempre escolho Sonic, Tails, Knuckles ou Eggman quando vou jogar! hahaha! No máximo o Shadow… e olha que eu gosto dos jogos do Mario!
      Vc citou o Sonic de Master System com a caixa e tudo mais, sabe que esse foi “O” jogo que impulsionou a coleção? Eu estava desanimado com ela, até que um certo dia abri o Mercado Livre e dei de cara com o cartucho sendo vendido, sendo que ele é meio raro de achar completo e estava com preço até que razoavelmente barato pra um jogo completo. Depois que comprei e ele chegou em casa, eu surtei e fui atrás de uma porção desses jogos que agora fazem parte da coleção. De fato, como explicar isso pra quem começou na ou depois da geração Playstation? Difícil, viu? Nós que estamos um pouco mais “maduros” sabemos bem o significado disso!
      E, sobre a frase, acho que muita gente pensa assim. É uma tristeza o que a SEGA fez com o próprio mascote. Ainda sonho que ela abandone o moderno e volte a utilizar apenas o clássico nos jogos, mas duvido que aconteça.
      Valeu Dactar, por todos elogios e pela visita/comentário!
      Abraço

  7. João Roberto disse:

    Fala, Caduco!!

    Por motivo de força maior, eu não pude ler teus textos nas datas, então li todos agora e falarei de todos aqui.
    Primeiramente, gostei bastante, Fez eu me lembrar de quando fui na casa de um amigo e ele tinha o Sonic2. Naquela época eu tinha só um Atari e sonhava em ter um MegaDrive com apenas 2 jogos: Sonic 2 e Street Fighter 2.
    Sobre o “Game Caduco Shoes Box”, bem, eu nunca poderia rir disso, pois eu fazia mesas de “Pinball” usando uma prancha de madeira e pregos para todos os lados. Fazia caminhos com arame e usava bambu para bater na bola que era, na verdade, uma bolinha de gude (ou burica, ou ainda, burquinha – como dizem por aqui). Ah, Eu também tive sonic 1 do Master Sistem (que vinha na memória) e engraçado, eu também me frustrei com ma falta de várias argolas quando atingido. Ainda assim fui até o fim e é tão bom quanto o de Mega…
    Teu escrito me lembrou outra coisa. Eu também tenho a Nintendo world com o Sonic na capa. Na época eu ainda não estava tão ligado nos games, estava na transição PS1/N64 em que eu jogava apenas Winning Eleven e, de uma hora para outra, passei a jogar apenas 3 jogos: Super Mario 64, Mario Kart 64 e Goldeneye 007. Então, saber que Sonic havia sido lançado para um console Nintendo era quase um pecado. Mas tudo bem. Sonic Adventure mesmo, só fui conhecer no PC, assim como Sonic CD só conheci na compilação para PS2. Querendo ou não, fanatismos à parte, a nova era sega multiplataforma permitiu que eu jogasse games que nunca tinha visto (e nem falo de emuladores). Aliás, gostei bastante de Sonic advance, mas, de uma maneira geral, os games de Sonic em 2D acabam sendo muito parecidos, o que faz com que eu jogue mais e mais os meus títulos favoritos de sempre, como Sonic 2 (Zerei de novo na semana passada Sonic 2 com minha filha gritando “Não quero Sonic, quero Mário!”)

    Por fim, acho que sou um fã de Sonic purista, pois não gosto de deixá-lo de lado para pegar outro personagem, mesmo que Tails e Knucles seja muito bons, mas isso é preferência pessoal, nada de mais…

    Ufa! Acho que escrevi bastante desta vez.
    Como sempre, quando leio algo aqui fica meio difícil de comentar, pois me lembra muito minha infância, o que é muito bom. Parabéns, ótimo texto. Ótimas lembranças!!!!

    Abs!! T+

    • Gamer Caduco disse:

      Bacana, vc já sonhou então em ter o Mega com os dois melhores jogos que ele possui, na minha humilde opinião! O post que fiz sobre o console não me deixa mentir! 😀
      Gostei do esquema de pinball com pregos, bolinha de gude e etc, fica um “brinquedo” funcional! Eu tenho a impressão de ter visto algo parecido com isto na minha infância, só que menos elaborado. Só se eu estiver confundindo com alguma outra coisa, mas enfim…
      Eu não tive a Nintendo World com o Sonic na capa, na época eu era bem Seguista, embora o termo não existisse. Não aceitava console de mesa da Nintendo dentro de casa (curioso que eu tive o Gameboy e o GBA, mas deixa pra lá), só aceitava jogar na casa de amigos. Isso acabava servindo para revistas também, sempre comprava (ganhava, na verdade) somente as que mesclavam as duas empresas ou que falassem apenas da SEGA. Criança é um bicho doido, não? hahaha!
      Não sei se entendi o que vc disse sobre os jogos 2D serem parecidos, vc diz os de portáteis? Se for, eu tenho a mesma impressão. Todos os Sonic Advance são meio iguais mesmo, e de certa forma o Sonic Rush e o Sonic Colors (ambos de DS) lembram um bocado os Advance. Mas, como eu gosto, então pra mim tá tudo ótimo! hehehe
      Sobre outros personagens, eu aceito o Tails numa boa, mas já tenho uma certa resistência com o Knuckles e os demais. Eu cheguei a zerar o Sonic 2 com o Knuckles, mas fui meio que forçando mesmo. De toda forma, jogar com o Sonic acaba sendo melhor em todos os jogos, inclusive os de olimpíadas que misturam Mario e Sonic! hahaha… olha eu fã neurótico.
      Brincadeiras a parte, curti muito o que vc escreveu sobre sua filha gritar que prefere Mario, uma das coisas que me fez gostar muito dos jogos do bigodudo é justamente isso dos jogos dele serem jogos para todas as idades, a forma como é feito é inocente o suficiente pra cativar qualquer criança e a jogabilidade e o desafio são divertidos o suficiente pra cativar todo mundo! Vcs jogaram o Sonic 2 juntos ou ela só assistiu?
      Bom, é isso ae! Valeu pela leitura de toda a saga de uma vez, deve ter dado um certo trabalho! E pelo comentário também, claro!
      Abraço

  8. João Roberto disse:

    Fala, Caduco!!

    Se nós jogamos juntos? Não, não dá. Minha filha tem 2 anos de idade, mas é só eu chegar em casa que ela começa a falar “Põe Mário”, que na verdade é Mario Kart Wii – Ela fica assistindo a abertura infinitamente e começa a rir quando a Peach aparece e fica dizendo: “Princesa!” Ela também gosta de ver Donkey Kong country, e nas minha revistas ela sempre fica falando; “Olha. Link!” Claro que fui eu que ensinei, mas ainda assim é legal. Nesse dia que zerei o Sonic 2 ela fica gritando,mas segurava o 2º controle como se estivesse jogando Minha esposa sempre diz que eu consegui a parceira de jogatina que sempre quis, é só esperar ela crescer um pouco. Ah! Ela também pede pra ver “Stit Fait.”

    Olha, pode parecer meio idiota, mas acho que vou fazer outro pinball daqueles, depois tiro foto e te mando. hahaah Pena que uma fator fundamental é a imaginação, que já não é a mesma…

    Quanto a Nintendo world,bem, eu tenho umas 50 e poucas em casa, fora outras como Ação Games e ou Plug n´play. sei lá, eu gosto de ver o que falavam dos games na época. É o meu lado “antigo” que não quer morrer…

    E quanto aos sonic advance é bem isso que você achou mesmo…

    T+

    • Gamer Caduco disse:

      Nossa! Bem que vc pode deixar, no caso de Sonic 2, ela controlando o Tails. Vai ser muito mais útil que ele sendo controlado pelo computador, pode ter certeza! hahaha! Se é que vc não faz isso já. O legal que ela não atrapalharia e começaria a pegar alguma noção do jogo. Muito bacana ela já tão nova se interessando por jogos, com certeza daqui um tempo ela será a sua sonhada parceira de jogatina. Muito legal!

      Eu não acho que pareça idiota, acho bem legal a idéia! Aposto que não só eu, mas muitos babariam de ver um negócio desses! 😀

      Vc manteve suas revistas intactas então? Eu ainda tenho algumas em casa, pretendo soltar um post sobre isso, mas algumas estão recortadas pq a mula aqui achava isso legal, inclusive na coleção dá pra ver uma caixa que acabei fazendo com recortes destas revistas. Algumas inclusive foram jogadas fora ao longo do tempo, aquele negócio da mãe dar bronca que tá ocupando espaço e não está nem sendo lida e te obrigando a se desfazer. Uma pena. Mas que é legal reler essas revistas, é sim! E vc tem uma porção delas, deve se divertir à beça com as notícias dos jogos de muito tempo atrás sendo escritas como sendo uma grande novidade!

      Valeu João Roberto!
      Abraço

      • João Roberto disse:

        Hahaha!!
        Eu já quase não tenho espaço aqui em casa! Mas o lado bom é que ninguém reclama das minhas revistas, que ficam em um quarto só para meus videogames. E sim, eu as mantenho o mais intacta possível, e também procuro edições antigas nos sebos da cidade. Eu nunca contei, mas se for ver tenho mais de 100 revistas. Eu não consigo jogar nada fora, deve ser algum distúrbio, rsrs. Mas é tanto papel que eu já estou ficando louco. Pra você ter uma ideia, outra coisa que eu gosto bastante são revistas em quadrinhos (Homem-Aranha, X-Men, Batman e por ai vai…), e são umas 1000. Se for contar os livros, já vão mais de 100 também. E revistas diversas, como super Interessante, mais uma 100. Pra ajudar eu tenho algumas réplicas de carro, alguns bonecos. Como diria o Robin: “Santa falta de espaço, Batman!”

        Eu só contei isso para mostrar como eu tento manter viva a infância na memória, e os videogames estão ai para isso também!!

        Ah, ia esquecendo: Tenho jogo de botão também!!

        E você? Também guarda mais alguma coisa assim?

        Abraços.
        T+

        • Gamer Caduco disse:

          Ah, bacana! Vc ainda procura as revistas, quadrinhos e etc. É bacana manter viva essa época da vida, fora que vc acaba preservando muito da história em um ambiente. Eu acredito que isso é ótimo, pois acabará no futuro dando a oportunidade de mostrar aos mais jovens como eram certas coisas. Ou será que isso é um pensamento de velhos chatos? huahuahuahua. Espero que não!
          “Santa falta de espaço, Batman!” foi ótima! kkkk

          Jogo de botão era algo que eu jogava muito quando criança, mas o pior que passava a maior parte do tempo jogando sozinho, jogando campeonatos imaginários com times imaginários (tinha até uniformes desenhados e escalações escritas). Se bobear esse tipo de coisa devo ter até hj também. Curiosamente, os times que mais gostava sempre venciam os campeonatos. Pq será, né? kkkk

          E guardo mais outras coisas, como cartas e presentes que fui ganhando de amigos. Tenho uma sacola enorme com várias tranqueiras dentro, até camiseta assinada da época do primário e ginásio tem lá dentro. Só que essas coisas estão todas na casa dos meus pais (inclusive o futebol de botão), ainda preciso buscá-las um dia, se é que terei espaço para guardá-las em algum canto.

          Definitivamente somos duas pessoas muito nostálgicas! 😀
          Abraço

          • João Roberto disse:

            Putz! Legal…

            E é verdade, somos nostágicos mesmo, hahahaha.
            E é bom, também, saber que não sou o único!!
            Abraço.
            T+

  9. Muito interessante o post, mas o que mais me chamou a atenção foi esta parte:

    “Nessa fase eu descobri que odiava todos os jogos novos do Sonic sem ao menos tê-los jogado. Tudo por causa das críticas negativas de sites, blogs, revistas, amigos, etc. O que é uma tremenda bobeira, vamos concordar. E aposto que tem muita gente que pensa assim também.”

    Isso é o que acontece com a grande maioria das pessoas, e pior, as vezes vão jogar já com aquela imagem negativa e falam “Tah vendo que porcaria?! Eu já sabia que era assim!”.

    Eu sou fãzaço do ouriço, e também reconheço que tem jogos que não são tão legais, apesar de eu ter gostado de todos da saga principal, sem exceção. Da era 3D o que menos gosto é o Colors, que é um dos mais elogiados, e um dos meus favoritos é o 2006, que é um dos mais critciados. Creio que a mídia acaba tirando a liberdade do jogador pensar e tirar conclusões próprias sobre o que ele joga.

    Outro game que acho incrivelmente injustiçado do ouriço é o “Black Knight” para o Wii. O jogo concertou tudo que foi criticado no antecessor (elogiadíssimo) Secret Rings. Fora gráficos sofisticadíssimos, músicas ótimas, uma historinha simpática, fases criativas, e boa jogabilidade. E sabe pq o jogo é criticado? “Pq Sonic tem uma espada”, e somente por isso as pessoas vão dizer que o jogo é ruim, e também vão dizer que a jogabilidade é ruim pela espada. O jogo ao invés de ser “correr e pular”, ele é “correr e chacoalhar”, mas não deixa de ser a mesma coisa.

    Enfim… o ouriço é muito injustiçado.
    Parece que um defeito no jogo do Sonic tem muito mais peso do que qualquer outro jogo.
    E qualidades nos jogos do Sonic não são tão importantes quanto em outros jogos.

    • Gamer Caduco disse:

      Victor, obrigado pela visita e pelo comentário. Aliás, curti bastante o que vc escreveu!
      O que vc mencionou (“Tah vendo que porcaria?! Eu já sabia que era assim!”) é a coisa mais comum que vejo por aí, tanto quanto o fato de ter algum detalhe no jogo que fazem com que as pessoas o odeiem (a espada, o werehog, etc). Estes jogos, se fossem estrelados por personagens desconhecidos e não fosse o universo Sonic, seriam bem avaliados por aí e não seriam chamados de porcaria, eu tenho certeza disso. Se fosse Mario então, o jogo seria considerado uma obra de arte.
      Sobre o que eu falei, infelizmente tem muito “Maria vai com as outras” por aí. E tem aqueles que ainda dizem que se a maioria diz que é bom/ruim, então o jogo é bom/ruim. NÃO! Isso me lembra a frase que um amigo me disse uma vez: “Coma fezes! Bilhões de moscas não podem estar erradas!”. Eu acho que o importante é vc jogar o que gosta e pronto, se quiser discutir a respeito, que seja uma discussão saudável.
      Enfim, eu sempre fico contente quando vejo um fã de Sonic coerente. E seu comentário me provou que vc é um. Nunca joguei o 2006 pra poder te falar o que acho, embora tenha o jogo (no momento ainda estou um pouco enroscado no Unleashed). Mas não duvido que seja divertido mesmo, até agora o que li de crítica do jogo mais pareceu “mimimi” do que defeito mesmo. Já o Colors é um dos que mais gosto da era moderna, mas entendo quem não curta o jogo, exceto se disserem que é pq tem os Wisps (daí cai na categoria do ódio pela espada, werehog, etc). Ou pq ele não é igual ao de Mega Drive. Pô, viúva do Sonic do Mega Drive é complicado, eu concordo que seja a fase dos melhores jogos da franquia, mas ignorar o restante dos jogos pq não é exatamente igual chega a ser engraçado. Estes mesmos reclamam de outros jogos dizendo que não são inovadores. Daí eu fico sem entender o que eles querem, dá um belo de um paradoxo.
      Finalizando, vc disse algo que faltou no meu post, mas que penso exatamente igual: são as últimas 3 linhas. Elas refletem a realidade. Tem jogo que tem um defeitinho aqui, outro ali e mesmo assim é apontado como um dos maiores jogos de todos os tempos. Qualquer pequeno defeito em jogo do Sonic o transforma em “outro erro da SEGA” e/ou “porcaria”. Um pequeno defeito consegue neutralizar inúmeras qualidades de um jogo do Sonic. Vai entender. De fato, ele é muito injustiçado. Mas, paciência…
      Valeu, Victor! Visite sempre!
      Abraços

  10. aki é rock disse:

    Esta ai uma franquia que ja foi muito boa viu hoje em dia ta meio fraco com a excessão do Sonic Generation que é demais joguei muito na casa do meu amigo tenho o Sonic Collection de PS2 e a edição de 15 anos de aniversário do Sonic no GBA original com caixa e manual funcionando perfeitamente.Só zerei o Sonic Adventure do Dreamcast esse eu também tinha original e com uns quatro personagens hoje em dia sinto falta de jogar ele denovo viu .

    • Gamer Caduco disse:

      Sonic Adventure é bacana, eu gostei. Fui jogar só no PS3, mesmo, tive pouquíssimo contato com o Dreamcast. Infelizmente. Mas não entendi, vc não chegou a completar a campanha com todos personagens?
      A edição de aniversário de 15 anos do GBA é uma que estou procurando pra colocar na coleção, mas ainda levará um tempo. Bacana que vc mantém até hj original completo!
      Generations foi sem dúvida o melhor jogo da franquia desde o final da era Mega Drive, mas existem outros jogos que não são exatamente ruins se vc não se incomodar com alguns detalhes. Mas acho que aí vai muito do gosto e da paciência da pessoa.
      Valeu Rock!
      Abraço

  11. Ahh sabia que tinha conta nisso aqui ! huahuahua
    Olha, interessante essa tua trilogia ! Haha
    E realmente, pelo o que eu li e entendi, eu odeio ficar lendo comentários, vendo videos e afins sobre jogos novos ou antigos já que o gosto é muito particular !
    E Cadu, vou assaltar tua coleção viu ! Coleção foda ! Parabéns !
    Se voltei jogar Sonic nesses últimos meses, é totalmente por influência tua ! Mas continuo sem paciência para zerar !
    E estou te devendo fotos do Sonic , de Mega , o Japones né?!
    Me cobra po … vou tirar logo mais e te mando !
    Abraços !

    • Gamer Caduco disse:

      Olha só, encontrou a conta do WordPress! UHU! hahaha
      Pô, não assalta minha coleção, nem tem tanta coisa assim. Tem que procurar uma coleção mais completa, ou vc vai ter trabalho pra adquirir os que faltam! huahuahuahuahua
      Mas valeu pelos elogios.
      E que bom que te influenciei a jogar Sonic, agora vou tentar te pentelhar até vc zerar logo e ser feliz por ter zerado Sonic! Daí vc vicia e vai querer zerar TODOS com TODAS as esmeraldas! hehehehe!
      Valeu João Marcos!

  12. caio disse:

    sonic é legal

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s