Videogame é entretenimento

Olá meus caros, como estão? Todos bem? Ninguém mal humorado o suficiente pra ler um texto um pouco apimentado e querer mandar ninjas assassinos atrás de mim, né?

Bom, vira e mexe acabo filosofando um pouco por aqui. Durante uma fase da vida em que estive um bocado irritado acabei levantando uma porção de assuntos e colocando nas minhas anotações pra falar a respeito num futuro próximo. Acontece que a fase passou e, mesmo com o humor bem melhor, eu resolvi ler essas anotações e destrinchar cada um dos assuntos listados.

E hoje eu estou aqui para lembrar a todos que os nossos queridos jogos eletrônicos são nada mais que entretenimento e que não entendo algumas reações que vejo não só aqui no mundo virtual, mas no mundo real também. Bom, chega de delongas, vamos ao assunto.

Reação dos haters ao ler este artigo.

Reação dos haters ao ler este artigo.

Acredito que todas as formas de entretenimento tenham “tipões” que são facilmente reconhecidos, tais como os fanboys, os haters, os que se julgam entendidos do assunto, os posers, entre outros que não me recordo agora. Mas queria focar o começo do texto nos dois primeiros, afinal de contas, eles estão muito presentes no mundo dos games.

O pessoal que acompanha o blog há algum tempo sabe que eu fui fanboy da SEGA no passado. Falar a palavra Nintendo perto de mim era o mesmo que falar o nome do time rival do que eu torcia na época, quando ainda me interessava por futebol. Era motivo pra discussão. Como alguém ousava dizer que Mario era melhor que Sonic? Bom, todos sabem que nunca foi e nunca vai ser. Ops, não, quero dizer, isso é outro assunto.

Tanta rivalidade no passado, muitas trocas de farpas entre os fãs e... hoje as empresas e mascotes são parceiros. E quem defendia tanto cada lado enfia a cabeça onde agora?

Tanta rivalidade no passado, muitas trocas de farpas entre os fãs e… hoje as empresas e mascotes são parceiros. E quem defendia tanto cada lado enfia a cabeça onde agora?

O que quero dizer é que eu sei como é ser um fanboy e um hater, então eu acho que posso falar aqui com (alguma) propriedade que tudo isso não passa de uma grande besteira. Sério, o que as pessoas ganham defendendo com unhas e dentes ou atacando de forma pesada algum jogo, franquia ou marca? Não, sério, se alguém tiver uma boa justificativa, coloca nos comentários, por favor. Porque para mim não faz o menor sentido, nem na época em que era fanboy/hater e menos ainda nos dias atuais.

Eu entendo que fazer piadas e gozações com o gosto dos amigos é algo comum nas nossas vidas, especialmente de nós, brasileiros, que adoramos esse tipo de coisa. Claro, estou falando das brincadeiras mais tranquilas, que não ofendem ou desrespeitam. Muita gente acha divertido chegar na escola ou no trabalho e tirar um sarro daquele amigo que torce pro time que perdeu feio na noite anterior, não é verdade? E eu não vejo problema algum nesse tipo de coisa.

Mas existem aqueles que investem tempo demais odiando algo. Eu já vi pessoas em redes sociais passando horas/dias/semanas/meses postando imagens totalmente ofensivas para com determinado jogo, até mesmo pessoas que se dizem fãs da franquia que está sendo ofendida. Isso tudo só porque a pessoa não gosta do tal jogo, o que não significa que o jogo é ruim. Agora, me respondam, pra que? Não seria muito mais interessante gastar o tempo falando bem daquele jogo que gostou tanto ou até jogando novos jogos? Pra que vai ficar incomodando todo mundo no raio da rede social só pelo puro prazer de encher o saco alheio? Repito, se alguém souber a resposta, coloque no espaço dos comentários, por favor.

Tenho visto que está na moda dizer que é o cara que é bravo, irritado ou odeia tudo. Acho que muita gente tenta se inspirar no tal do Angry Birds Video Game Nerd, mas falha miseravelmente. Eu confesso não conhecer tão profundamente o trabalho do cara, mas respeito demais pelo sucesso que ele faz entre os gamers. Só que, até onde eu sei (pesquisando e falando com amigos que são fãs do cara), o AVGN passa o tempo criticando de forma engraçada uma ou outra situação do passado que o incomodou/frustrou e que para muita gente faz sentido por também ter passado pelo mesmo na época. Podem me corrigir se eu estiver errado, mas ele faz tudo isso com muito respeito e, pelo menos na maior parte do tempo, mostrando que gosta destes jogos.

Acontece que tem muita gente que acha que o legal é ficar falando mal, que é isso que faz sucesso. NÃO! Definitivamente não.

Quer ser polêmico? Fale sobre MAMILOS!

Quer ser polêmico? Fale sobre MAMILOS!

Galera, olha só. Alguém aqui gosta de ficar ouvindo uma pessoa que só reclama? Eu aposto que não. É a mesma coisa com quem se acha o tal do irritadão dos videogames e só fala mal dos jogos. Isso não leva a lugar algum, não é engraçado, não é legal, não é divertido e não faz a pessoa parecer entendida do assunto. Se você quer ser um entendido de algum assunto, dê argumentos convincentes de seu ponto de vista baseado naquilo que você conhece, não fique jogando porcaria no ventilador (pra não falar outra coisa) e espalhando por todos os cantos. Não adianta também levantar pontos que não estragam a diversão, mesmo sendo falhas do jogo. Falhas mais técnicas, eu quero dizer.

Muita gente tenta ser polêmica e acaba sendo somente idiota. Li isso em algum lugar e talvez essa seja a grande verdade.

Detesto imagens com textos apenas, mas essa aqui fala uma grande verdade sobre a Era da Internet em que vivemos.

Detesto imagens com textos apenas, mas essa aqui fala uma grande verdade sobre a Era da Internet em que vivemos.

Eu entendo aqueles que ficam na maior expectativa esperando um novo jogo de determinada franquia e esbravejam ao máximo quando se decepcionam com algo que não era o que ele esperava. É natural. Numa rápida analogia, você fica meses esperando aquela banda bacana lançar um álbum e eles lançam músicas que não atingem o seu gosto por terem mudado o estilo do som ou algo assim, é frustrante, você vai reclamar e eu vou te entender. Muitos irão. A coisa funciona mais ou menos da mesma forma com jogos, muito embora parece que nesse caso, as reclamações atingem um nível muito maior do que qualquer outro entretenimento. É o que parece, pelo menos.

A coisa que eu acho mais bizarra nessa questão toda é o lance da concorrência. O cara curte uma marca X, então na cabeça dele automaticamente ele tem que odiar as marcas Y e Z. O que eu já vi de comentários aí do tipo “a marca Y tem que acabar mesmo”, “chupa marca Z” e outros comentários ridículos similares. Eu pergunto: ainda tem quem realmente quer que a concorrência desapareça? Nunca parou pra pensar que existem benefícios de existir concorrência, como por exemplo ter opções diferentes quando se vai consumir algum entretenimento? Sem concorrência, corremos o risco da qualidade do produto no geral cair, afinal de contas, ele será consumido de uma forma ou outra. As coisas não evoluiriam, ficaríamos na mesmice. Então, pessoas, a concorrência é totalmente benéfica, não torçam para a marca rival de sua favorita acabar que isso não é bom pra indústria. Reafirmo, tirar sarro é normal, mas tem coisas que vejo por aí que chegam a me deixar espantado.

Daí a pessoa acha que está fazendo algum bem falando mal da concorrência de sua marca favorita, mas não passa de um troll desprezível. Infelizmente (para eles) é a verdade.

Daí a pessoa acha que está fazendo algum bem falando mal da concorrência de sua marca favorita, mas não passa de um troll desprezível. Infelizmente (para eles) é a verdade.

Fico incomodado também com toda aquela galera pseudo-intelectual que sempre dá opinião baseado no que lê em sites especializados, como a IGN, por exemplo. Ou que sempre vem falar que tal jogo é bom porque recebeu nota alta no Metacritic. Daí você pergunta o que é um “jogo bom” pra pessoa e ela não sabe te responder, não tem opinião própria, te fala meia dúzia de abobrinha técnica que leu no site ou que o amiguinho falou e não consegue ser convincente. Meus caros e minhas caras, EXPERIMENTEM os jogos antes de destruí-los com palavras por aí. E experimentem com a mente limpa, de nada adianta jogar um jogo “sabendo” que vai odiar. Acreditem, eu mesmo já fiz isso e não foram poucas as vezes. E aprendi o quão ruim é pra mim este tipo de atitude.

Gosto pessoal não indica se um jogo é bom ou se é ruim, detalhes técnicos separados também não, a forma como os sites especializados e outros blogs avaliam um jogo é um tanto quanto frio no meu ponto de vista. Ainda prefiro que as pessoas me digam se a experiência delas com o jogo foi boa ou ruim, se jogar o jogo fez diferença na vida delas, se foi uma diferença positiva ou negativa, o quanto elas se divertiram jogando, esse tipo de coisa. Claro, meu gosto pessoal pelo tipo de discussão de entretenimento, mas é que tem tanto jogo por aí com problemas que é amado por muita gente no mundo inteiro que eu não vejo porque essas coisas impedem de que a experiência do jogador seja boa. Seja problema de bugs, jogabilidade, câmera, som ruim, frames por segundo, etc. As tais falhas técnicas que já mencionei, que em alguns casos estragam a jogatina, mas nem sempre. Outra coisa, gostar de jogos “ruins” é normal, galera. Não se sintam tímidos de gostar daquele jogo ou do outro que todo mundo adora falar mal e/ou que tem nota baixa nos sites.

Outro tipo de “crítico” que é extremamente irritante é aquele que só discorda. Não importa o que você diz, ele sempre vai discordar de você. Estes tipinhos normalmente são encontrados apenas na Internet mesmo, já que é fácil ficar provocando por de trás de um computador. Eu nem vou perder tempo falando deles, e recomendo que vocês ignorem também, pois tudo que eles querem é atenção. São os famosos trolls que eu digo desde o primeiro post. Ainda mais aqueles que não têm coragem de se identificar, usando nicks anônimos e endereço de e-mail inválido ou algo próximo disso.

Gente, melhor eu parar por aqui o post reclamando de reclamões. Antes que vocês reclamem.

Negócio é o seguinte: joguem e divirtam-se! Discutam pontos importantes com seus amigos, não se irritem mais do que o necessário. Videogame é entretenimento e só, não deve trazer irritações. A não ser aquele chefe “desgramento” daquele jogo difícil que te fez ver a tela do Game Over inúmeras vezes. Mas desse tipo de irritação a gente gosta, não é mesmo? Então fica o conselho de que parem de perder tempo odiando as coisas. Vale lembrar que ficar falando negativamente de algo também faz propaganda deste algo, podem acreditar.

Como o título do post já sugere e eu vou repetir pela enésima vez, videogame é entretenimento, então gaste seu tempo se divertindo jogando jogos que você considera bacana, não fique perdendo seu tempo caçando imagens em ferramentas de busca ou em um gerador de Memes só pra ficar falando mal daquele jogo que você não gosta. Alguém em algum lugar do mundo gosta, o jogo é destinado a ele e muito provavelmente ele não vai ver a sua preciosa imagem zombando do game. Desperdício de tempo.

Claro, isso tudo são apenas sugestões, cada um sabe o que faz com a própria vida e o tempo livre.

Todo mundo tem uma lista interminável de jogos pra jogar, não adianta esconder. Então aproveitem bem o tempo de vocês!

Todo mundo tem uma lista interminável de jogos pra jogar, não adianta esconder. Então aproveitem bem o tempo de vocês!

Agora chega. Peço desculpas pelo desabafo e pelo tom mais agressivo, vocês leitores frequentes (pelo menos os que sempre se identificam) não merecem ler esse tipo de coisa, pois vocês sempre foram muito conscientes até mesmo quando a opinião era inversa da minha. Mas infelizmente na época em que planejei o texto, estava vendo coisas erradas demais, pelo menos no meu julgamento.

Que fique claro que este texto não serve de indireta para ninguém, nem amigos, nem conhecidos, nem parentes, nem colegas, nem frequentadores deste ou daquele ambiente real ou virtual, nem absolutamente ninguém em especial. Eu apenas quis compartilhar alguns pensamentos com vocês para que refletissem junto comigo para, quem sabe, tornar nosso amado entretenimento algo pacífico.

Obrigado a todos pela leitura. Podem descer a lenha, se acharem necessário. O espaço dos comentários é pra isso.

Grande abraço e até o próximo post.

Muita paz para todos!

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Assuntos Aleatórios, Assuntos... err... polêmicos. Bookmark o link permanente.

36 respostas para Videogame é entretenimento

  1. Texto longo , porem muito bom ! mimimim sou intelectual e escrevo texto longo mimimimimimiimim.

    Só tenho uma coisa a dizer LAST OF US.

    Parabéns pelo texto mesmo vc não tendo falado dos gamers hispsters ..

    • Gamer Caduco disse:

      Intelectual não, meu caro, prolixo! hauhuahuahuauhauha
      Já te falei pessoalmente, mas repito aqui: eu cortei coisa desse texto pra não ficar tão longo. Mas o duro é que eu cortava um parágrafo e adicionava dois. Aí era complicado. E um deles falava dos gamers hipsters, viu? ahuahuahuauhahuhua
      Lastófus depois de Shadow of TV Colosso, calma! haauhahua
      Valeu pelos parabéns, leitura e comentário.

  2. Felps disse:

    Boa Cadu, vídeo game é diversão!

    Texto muito bom, mas eu odeio RPG mesmo assim… Huahuahuhaua…

    • Gamer Caduco disse:

      Mas, como te falei, vc não acorda e antes de dar bom dia pra família vc diz pro mundo “EU ODEIO RPG! RPG É A ESCÓRIA DO UNIVERSO! MORRA RPG!”… kkkkkkk… as vezes um dia vc acaba gostando de algum RPG, mais ação, que é mais a sua cara. Eu também nunca gostei de jogos de tiro em primeira pessoa e hj fico noiado pra jogar BF3, como vc bem sabe! ahuhuauhahua
      E sim, videogame é diversão! Esse é o espírito!
      Valeu mano!

  3. Concordo plenamente!
    Muito bom o texto, parabéns!

  4. Rafael disse:

    Excelentes conselhos Cadu! Quando eu tento entender alguns seres humanos sempre me lembro daquele episódio do Simpsons em que o Bart ganha um elefante. No final do episódio tem uma frase assim: “Well, animals are not like people, Mrs. Simpson. Some of them act badly because they’ve had a hard life, or have been mistreated…but, like people, some of them are just jerks.”

    • Gamer Caduco disse:

      Rá, muito bom mano!
      Eu não lembrava desse episódio, que pena, pois cabe muito bem este trecho no post com certeza! Mas ter aqui nos comentários já é de grande valor.
      Espero que os conselhos sejam valorosos para todos! hehehe
      Valeu Brizo!

  5. Carlos Henrique Ribeiro disse:

    Muito bom o texto Cadu. Acho que o que mais irrita são os caras que não jogam o game é ficam criticando o game baseado na opinião de outros ou porque o jogo é concorrente.

    • Gamer Caduco disse:

      Sim, eu me incomodo um bocado especialmente com o primeiro grupo. O que eu vejo por aí de crítica negativa ctrl+c/ctrl+v em redes sociais e fóruns… vc não tem idéia! E concorrência eu já cansei de ver também, mas esses eu ainda consigo ignorar melhor.
      Valeu Carlão!

  6. Poxa Caduco, tô muito puto com você. Ficou falando de texto apimentando e tal, aê eu vim aqui achando que iria ver uns peitos e bundas… 😛

    Sério, as vezes eu tenho a impressão de que todos os jogadores de vídeogame são adolescentes, porque ser um idiota na adolescência é normal, todo mundo que já passou por essa fase sabe disso.

    Sobre essas opniões furadas baseadas em um emaranhado de informações verdadeiras dispostas de formas desconexas, o que me deixa mais triste é saber que elas parte justamente de sites especializados e até mesmo podcasts e blogs conhecidos. Parece que rola uma disputa para saber quem é o mais babaca e arrogante.

    Esse lance de melhor jogo é algo que eu sempre brinco bastante, mas encaro como extremamente pessoal. Quando eu digo que acho Killer Instinct 2 o melhor jogo de luta já feito e Metroid Prime 2 o melhor jogo de todos os tempos, não é brincadeira, eu acho isso mesmo. Mas eu sei exatamente quais os defeitos desses jogos, e é fácil saber quando o cara que fala que não gosta deles está falando sério ou sendo um retardado.

    Mas é isso aê Caduco, vídeogame é puro entretenimento, então não percam tempo e vão jogar! Hwa hwa hwa… desculpa, eu não resisti 😛

    • Gamer Caduco disse:

      Pô cara, foi mal, vc pensou em outro tipo de pimenta! Não era da vermelha que eu tava falando. Da próxima vez eu faço um texto assim. Ou melhor, encho de imagens! hehehehehe
      Vc falou tudo: normal ser um idiota na adolescência, a gente nem sabe o que tá acontecendo no raio do planeta! hehehe… e de fato as vezes parece mesmo que na Internet tem muito adolescente falando de games, tá doido!
      Eu sinto isso as vezes dos tais sites especializados. Rola muita babacada mesmo, acho que essas coisas dão ibope, sabe? Chama a galera de adolescentes pra comentar em Rage e aumenta a quantidade de visualizações do site. E comentários também. Bom? Ruim? Justo? Idiota? Certo? Errado? Eu não sei ao certo, sei que não gosto disso. O duro é que incentiva a ter mais e mais… e mais. Um saco. Arrogância nunca é bom! NUNCA!
      Ah, eu esqueci de dizer, mas odeio Killer Instinct… kkkkk… zueira, eu sei que vc sabe, cansei de pentelhar vc lá no VJ! com isso! hahahahaah! Mas eu sempre que faço isso, faço em tom de zueira, como vc bem sabe. E é normal a gente ter jogos favoritos, mas o duro é quando o cara, ao invés de falar do favorito dele, para pra atacar os concorrentes. Eu prefiro vc falando de KI2 e MP2 do que, sei lá, metendo o pau em Mortal Kombat, falando que “NUNCA VAI SER UM KILLER INSTINCT” ou coisa similar, sabe? A não ser que vc esteja zuando, mesmo que pense isso. Tem gente que exagera muito. Se é que podemos chamar de gente. Ops, me irritei demais! kkkkkk
      E, tenho que confessar, eu cheguei a escrever isso de que videogame é entretenimento e vão jogar!… ahhuahuahuahuahua… ia até linkar o VJ!, mas acabei mudando pq eu sei que vc me cobraria royalties. Mancada!
      Valeu Tchulanguero!

      • Aê você tocou em outro ponto, e vou usar o exemplo mesmo que você deu: Mortal Kombat é um jogo ruim, sempre foi e só melhorou um pouco no último. Se não fosse pelo sangue, tripas, etc, ninguém jogava. Mas isto não impede a galera de gostar do jogo, que aliás é o que mais tem, adoradores da franquia, e nem isso é errado. Aê que mora o perigo: quando o cara sai do campo técnico e/ou gosto pessoal para atacar o gosto dos outros… sem ser na brincadeira.

        Para usar o VJ! em outros blogs, é preciso preencher um formulário de 50 páginas, reconhecer firma em cartório, anexar cópia de todos os seus documentos (também autenticados) e entregar para os meus advogados. Após isso, você faz um depósito de R$ 5000,00 em minha conta bancária. Dependendo do meu humor no dia, eu penso no seu caso 😛

        • Gamer Caduco disse:

          Só isso? Mê vê 10 desse aí então, com picles, por favor! Fritas acompanham! E um suco de maracujá pra eu ficar calmo pra pagar tamanha quantidade de dinheiro! kkkkkkkkkkk

          Eu infelizmente tenho que concordar contigo sobre Mortal Kolgate! No último eu diria que melhorou MUITO, pq ficou um jogo bacana. Os anteriores fizeram sucesso por esses fatores que vc mencionou e mais o lance dos “atores”, mas criou muito fã por aí, com certeza. Fã que, se ler essa discussão, já vai ficar bravo! kkkkkk

  7. kanonclint disse:

    Hehehe, agora fiquei curioso pra saber oque é que tava ti deixando irritado naquela época. Mas achei bastante interessante o post. Vou procurar opinar de uma forma bem clara, porem extensa kkk.
    Bom,… Como diria o “filosofo” Milton Neves ” Futebol é a coisa mais importante dentre as coisas menos importantes da vida “. No nosso caso substitua o futebol por videogames, e ai se chega mais ou menos a conclusão do que eu penso dos nossos amados games.
    Sim, videogames pelo menos para mim é mais do que entretenimento. É um estilo de vida, ou uma filosofia como queira. Pode parecer coisa de louco, mas é assim que eu enxergo.
    O problema maior hoje em dia, é a forma com qual as pessoas expressão a sua opinião. E ai vem uma ferramenta crucial………., a internet.
    A internet é capaz de fazer com que qualquer pessoa na face da terra seja ouvida, e atraves dela dar sua opinião para o “mundo” todo vamos dizer assim.
    Cadu, você sabe que do mesmo modo que você, eu também fui um Seguista no passado, mas talvez eu não tivesse a mesma rejeição em relação a Nintendo que você por acaso tenha tido. Eu sempre apreciei os consoles da Nintendo desde o inicio, mas a minha preferencia sempre foi pelos consoles da Sega. Você afirmou que foi um fãnboy, e um hater naquela época, agora imagine se naquela época já existisse internet……….Que estrago você não causaria hein ???kkkk
    Hoje somos homens feitos, eu tô com 35 anos, e ainda sim eu me lembro de um debate bem acalorado que tive uma vez com o Sabat no Retroplayres em um post que comparava a Sega com a Nintendo. Se mesmo adulto as vezes a gente sai do tom, imagine essa molecada de hoje em dia. Se bem que também existe muito marmanjo barbado que parece não ter crescido nesse meio também.
    Bem, mas eu concordo com a mensagem que você quis passar. Vamos jogar mais, e jogar mais pelos games em sua essência , sem se preocupar com notas, graficos, e acima de tudo com a opinião dos outros, vamos nos focar na experiencia individual que cada game é capz de proporcionar.

    • Gamer Caduco disse:

      Fala Kanon, como está? Tudo blz? Andou sumido, hein?
      Fiquei contente com seu retorno e pelo fato de vc ter captado 100% da essência deste texto que escrevi, fiquei realmente impressionado!
      Sua analogia com o que diz o Milton Neves é bem interessante, faz todo sentido pra mim. Eu também tenho esse esquema de “way of life” com games (e com música também, mas deixa pra lá! hehe). Se não fosse assim, eu não teria este blog e nem lia/comentaria outros blogs, pode acreditar. Mas eu sempre me policio e tento lembrar que é puro entretenimento e que não posso ficar irritado com certas discussões. Mas esse lance de qualquer um poder escrever/ler/opinar é bom e ruim ao mesmo tempo, as coisas precisam ser ditas com consciência e nem sempre isso é feito. Mais ou menos o que vc falou, mas com outras palavras.
      Estrago que eu farina na época? Acho que não, na época eu era fechado a beça, eu guardava minhas opiniões seguistas só pra mim, só agora que eu sou um tagarela desmiolado que fica escrevendo e falando feito maluco sobre games! kkkkkk… mas foi bem pensado por vc isso, tenho que admitir! huahuahuahuahua
      Eu me lembro desse debate, Kanon. Me lembro muito bem. As vezes a gente perde mesmo a linha! hehehe… eu as vezes tenho minhas discussões com a galera lá do Retroplayers também, mas a gente faz muito em tom de brincadeira, não dá pra levar muito a sério.
      O Rafael Paes falou no comentário dele algo parecido com o que vc falou, sobre galera que parece não ter crescido, ficou na adolescência pra sempre. É triste, mas…
      O jeito é jogar e parar de nos preocupar com o que dizem as pessoas que estão preocupadas em irritar mesmo. Eu não focaria na experiência individual somente. Sim, passei a apreciar jogos multiplayer online, vc deve ter reparado no PS3. A propósito, vc estava jogando recentemente (ou está) um jogo que eu peguei emprestado e estou pra começar, o Tales… achei divertido, pena que demorei pra terminar minha fila pra tentar jogar em paralelo. Agora já era! hehe
      Sobre o que me irritou? Bem, deixa pra lá. Digamos que parte estava no texto e eu removi antes de clicar no Publicar. Mas não é nada com alguém que leia e comente aqui ou com blogs que costumo ler e comentar. Foi problemas em redes sociais mesmo, mas vamos deixar isso pra lá! hehehehe
      Valeu Kanon!

      • kanonclint disse:

        É isso mesmo Cadu, eu tô jogando o Tales of Graces. Sempre gostei muito da serie Tales, e mesmo Graces não sendo o melhor da serie , ainda sim estou me divertindo um bocado com ele. Na verdade já terminei o jogo, estou agora correndo atrás de alguns segredos que passaram batidos durante a campanha. Esse game talvez se encaixe em um dos pontos que você citou no post. Ele não é um “blockbuster” , não tem os melhores gráficos, e nem as notas mais altas nos diversos sites internet a fora. Mas ele segue aquela receita tão conhecida pelos fãs, e que no fim sempre acaba me prendendo.
        Ainda sim ( fugindo um pouco do tema se me permite ) , é curioso notar como o gênero JRPG definhou, principalmente em relação aos RPGs ocidentais como Skyrim, e Dark/Demons Souls ( ainda que estes últimos fossem produzidos por um estudio japonês. A linearidade exagerada é algo que vem me aborrecendo muito nos JRPGs ultimamente , FFXIII que o diga. Sempre houve uma preocupação em colocar o jogador na linha do enredo, mas não me lembro dessa linearidade abusiva nos JRPGs do Super Nintendo, e principalmente do PS1.
        Mas eu ainda tenho fé que vá aparecer um JRPG tão bom e tão marcante pra mim como foi Dragon Quest VIII do PS2, esse sim o ultimo épico desse gênero que joguei.

        • Gamer Caduco disse:

          Então, eu tô curioso, mas ainda tenho um jogo na fila pra terminar antes. Nunca joguei pra valer nenhum jogo da série Tales, mas sempre tive curiosidade pelo sistema de batalha ser diferente e tudo mais. Quero saber se me interesso por um jogo assim.
          Sobre os JRPGs, eu sou um pouco suspeito pra falar deles. Recentemente joguei o tal do Persona 4 (PS2/Vita) e achei BEM bacana, a ponto de se tornar o meu segundo RPG favorito (perde só pro Chrono Trigger). Não que seja melhor que outros ou qualquer coisa assim, mas o jogo tem bem a cara de RPGs niponicos mesmo, história envolvente, personagens carismáticos, jogabilidade bacana, músicas muito boas, etc. Ele tem o problema que vc mencionou, a linearidade. Mas aí entra algo que eu até menciono no texto, o gosto pessoal. Particularmente, não gosto muito de jogos que me dão MUITA liberdade, pq eu fico meio perdido, sem saber o que fazer. Não é do gênero, eu sei, mas se me derem um GTA pra jogar, eu vou ficar HORAS espancando todo mundo na rua e não vou sair daquilo, talvez eu pare pra fazer uma missão, mas se ela falhar eu vou ficar irritado e sair matando todo mundo na rua. Quando parei pra jogar o Oblivion (o antecessor do Skyrim), meio que acontecia isso também. Entrei pra guilda de Magos, me tornei o fodão lá, tentei entrar pra de ladrões e de guerreiros, mas a história do jogo que é bom eu praticamente não joguei. Daí quando vc sai do game e olha a pilha de jogos pra jogar crescendo, dá desespero. Só pra te explicar pq eu não me incomodo tanto com esse fator. Claro, quando o jogo te deixa extremamente limitado é bem chato. Tipo, vc só pode ir pra UMA cidade pq todo o resto tá de alguma forma fechado, isso as vezes é um bocado frustrante. A não ser que seja começo de jogo.
          Ainda não comecei a jogar o simulador de tunel de metrô (FFXIII), mas pretendo um dia. Sério que ele é exagerado de linear? Aí é provável que eu me incomode.
          O Dragon Quest VIII que vc mencionou é um dos jogos mais épicos que joguei também, totalmente carismático, sem falar no jogo em si (jogabilidade, desafio, etc). Nessa geração eu não vi nenhum JRPG que tivesse a mesma qualidade, mas não cheguei a jogar muita coisa também.
          E eu ainda devo Demon’s Souls, né? Vc já tentou me convencer a platinar esse jogo mais de uma vez, melhor eu parar de falar agora antes que vc tente a terceira vez! Se é que a conta tá certa! kkkkk… o meu esteve emprestado a um amigo (o mesmo que me emprestou Tales). Ele fechou o jogo e falou um monte também pra me convencer a jogar. E aí a fila só vai aumentando… que tristeza…. tem como entrar numa sala do templo (Dragon Ball) que um ano dentro dela passa em uma hora do tempo real? Daí daria pra diminuir um pouco! hahaha!
          Ah, e o Tales of Xilia vc chegou a jogar? Estou curioso com ele também.
          Valeu Kanon!

          • kanonclint disse:

            Hahahahahaha , essa do simulador de tunel de metro foi excelente ! Mas nesse caso ( FFXIII) é mais ou menos isso mesmo. O jogo tem um dos melhores sistemas de batalha da serie na minha opinião, mas para por ai. Tales of Xillia eu comprei mas tá na fila. Acredito que ele seja melhor que o Graces pelo que andei lendo por ai, até porque o Graces é uma versão HD de um game lançado originalmente para o Wii.
            Mas dê uma chance a serie Tales, é uma serie lendaria dos JRPGs, Graces foi o sexto episodio da franquia que eu terminei, e o que eu posso dizer, e´que serie continua tão boa como sempre. O sistema de batalha , e o carisma dos personagens são os pontos altos da serie

            • Gamer Caduco disse:

              Eu nem o sistema de batalhas do FFXIII cheguei a ver direito, mas tenho curiosidade. Provavelmente não vou odiar tanto o jogo então, pq as vezes prefiro uma batalha bem feita num jogo linear do que um jogo com batalhas mais “mornas” e muitas side quests e etc. Questão de gosto, claro.
              O amigo que me emprestou o Graces tá curtindo o Xilia. E também é fã da série, então provavelmente vc vai curtir. Sei lá, tô chutando! hahaha… essas malditas filas de jogos que nunca acabam!
              Mas vou dar uma chance sim, só acabar o Last of Us que tá demorando mais do que eu esperava e eu começo o Graces F. E, se curtir, aí vou investir no restante da série.
              Eu curto muito jogos com personagens carismáticos (Persona 4 que o diga), pelo visto vou curtir sim a série.
              Valeu Kanon!

  8. Cherry Pie disse:

    Boa tarde!
    Bem, primeiramente, eu gostaria de dar os parabéns. Em primeiro lugar, ao dono da casa pelo texto e também aos seus correligionários pelos comentários! Tô sem palavras!
    Há tempos algo não me deixava de olho tão arregalado! Não ficava assim desde a última vez que meu pai me deu uma bronca daquelas (e faz tempo! Só para constar).
    Apesar de eu estar passando por aquela fase de completo descontrole hormonal feminino, não tem pq mandar nenhum ninja assassino. O dia em que falar a vdd for crime, então parem o mundo, pq eu vou querer descer!
    Creio que todo bom gamer que se preze já deva ter sido ‘fanboy’ de alguma coisa em algum momento de sua vida! Quer seja um jogo, um console, uma produtora… Não adianta negar! Todos nós caímos nessa tentação em algum pedaço da nossa existência. É natural.
    Agora, a diferença está na intensidade com que defendemos nossos pontos de vista. Como diz um sábio ditado, “Todo ponto de vista é visto de um ponto”.
    Discussões sobre games são sempre legais, mas a partir do momento em que começamos a comprometer coisas mais importantes em nome de uma ideologia vã, é hora de pisar no freio e rever alguns conceitos.
    Tipo: acorda pessoal! Quem tem que se preocupar exageradamente com os jogos são as produtoras! São elas que ganham a vida com este trabalho!
    Nós somos dotados da incrível dádiva de sermos os consumidores finais! O nosso trabalho é APENAS JOGAR O JOGO!!! De que adianta ficarmos degladiando-nos uns aos outros??? Isso por acaso vai tornar o jogo mais ou menos interessante? Claro que não!!
    Muito pelo contrário! E engana-se aquele que acha que não se deve dar a devida atenção a este tipo de assunto! É incrível a capacidade que as pessoas têm de acabar com as relações mais fortes por causa de uma divergência de pontos de vista! Pura e simplesmente! O FATO DE EU AMAR INSANAMETE OU ODIAR DEMONIACAMENTE ALGUMA COISA NÃO ME DÁ O DIREITO DE TRUCIDAR COM QUEM QUER QUE SEJA! ISSO É DOENTIO!!
    Quanto ao questionamento levantado (…Agora, me respondam, pra que? Não seria muito mais interessante gastar o tempo falando bem daquele jogo que gostou tanto ou até jogando novos jogos? Pra que vai ficar incomodando todo mundo no raio da rede social só pelo puro prazer de encher o saco alheio? Repito, se alguém souber a resposta, coloque no espaço dos comentários, por favor…), eu diria que:
    Após fazer uma reflexão sobre o tema abordado, cheguei à conclusão de que a resposta para o questionamento do post seria: Problemas de personalidade, orgulho excessivo e ego inflado!
    É a chamada ‘competição predatória’, onde o indivíduo deve buscar se sobressair aos demais a todo custo. Aí eu questiono: pra que isso? O que se ganha (além de uma irritação indescritível, quase a ponto de se dar à luz a um alien)??? Qual é a graça??
    Esse tipo de postura costuma vir de pessoas que não estão seguras consigo mesmas, pessoas que não sabem ‘perder’ (muitas vezes, no sentido literal da palavra. Afinal, jogar videogame também significa perder de vez em quando!) São pessoas que não aceitam ou não querem admitir que ‘são ruins’ em algo, ou que ‘não sabem’ alguma coisa. Pessoas que têm dificuldade em reconhecer que são humanas, e, portanto, têm falhas. Pessoas que não sabem aceitar suas mais humildes e tolas limitações. Digo isso com propriedade, pois já fui um desses tipos. Hoje em dia, me arrependo amargamente. Meu Deus! Como perdi tempo naquela época!!!!
    Posso dizer que na época em questão eu apenas “ganhei”: solidão, vergonha, ruptura de relacionamentos e toda a sorte de desgraças que recaem sobre um ser humano prepotente. (ah, sim. Um dia a desgraça chega! E como chega!)
    Quando eu chegava em algum lugar, todos saiam de perto, pois a minha presença não agradava. Ás vezes agimos assim por nos acharmos “bons demais” para os outros. Meu, na boa: ninguém é tão bom que nunca vá perder em algum jogo! E ninguém tão ruim que nunca possa ganhar!
    Querem tirar a prova???
    Quando achamos que estamos incrivelmente bons em algo, é hora de tentar jogar online! Meu, o mundo é muito grande! Em algum momento, sempre haverá alguém melhor do que nós! Como minha mãe sempre diz: “A TRISTEZA DE UM FOLGADO É ENCONTRAR OUTRO BATENDO NA PORTA!!!”
    Quanto a se basear em opiniões alheias para opinar a respeito de um jogo ou sobre o que quer que seja, apenas alego o seguinte: “QUEM VAI PELA CABEÇA DOS OUTROS É PIOLHO!!!” >=-P
    Isso não passa de bobeirice e perda de tempo!
    Tecnologia apenas não é critério para avaliar a qualidade de um jogo!
    Fosse assim, os jogos antigos estariam perdidos, contudo, sabemos que está infinitamente longe de ser!
    Pra finalizar, o negócio é o seguinte:
    As experiências somos nós que fazemos!
    O importante e curtir, e de preferência ao lado de quem mais gostamos!
    Acho que no fundo, o pessu que fica por aí trollando os outros é tudo um (com o perdão da expressão) bando de mal-amados! Não digo nem pelos outros, mas por si próprios!
    Porque quem curte mesmo uma boa jogatina, junta a galera (ou vai sozinho mesmo), liga o console, põe o jogo e vai se divertir!
    Com um Atari que seja já fazem a festa!
    Bem, é isso!
    Agora, por favor, me esclareçam uma pergunta:
    IGN??? Metacritic??? Com o que se come isso???
    Ô_Ô
    Vlw vlw!!
    Bjs.

    • Gamer Caduco disse:

      Olá Cherry Pie!
      Viu só? Pessoal aqui sempre chega com ótimos comentários, não troco isso por nada!
      Engraçado vc falar que arregalou os olhos e lembrou do seu pai te dando bronca. Primeiro me senti mais velho do que já sou… kkkkkk… segundo que eu me senti dando bronca e… tá, foi um pouco, mas foi de leve! huauhahuahua
      De fato falar algumas verdades não deveria nunca ser crime, mas o duro é que sempre tem quem se ofenda, infelizmente.
      Acho que essa época de fanboy que vc mencionou dos gamers deve ser ligada à adolescência, como disse bem o Rafael Paes e, indiretamente, o kanonclint. Época que a gente tá tentando se entender e tudo mais, acho que é natural ter esse tipo de coisa.
      Vc mencionou algo que eu esqueci de colocar no texto e eu tinha pensado a respeito: quem ganha com disputa de fanboy não são os fanboys, mas sim produtores e desenvolvedores. Sim, vc falou tudo! É essa a idéia! Acho ótimo que meu ponto de vista foi muito bem observado pela galera aqui, nunca imaginei que um post que eu achei que afastaria pessoas fizesse com que eu me sentisse tão apoiado! hahaha! Ótimo, né?
      SIM, é DOENTIO esse lance que vc falou de briguinhas por causa de entretenimento, algumas pessoas precisam rever os conceitos delas.
      Problemas de personalidade, orgulho excessivo e ego inflado explica… eu adicionaria mais um item: falta de atenção! Não que ela não tenha atenção, mas ela precisa de mais e mais. É triste.
      Realmente é triste esse lance de saber que, quem toma esse tipo de atitude, vai um dia sofrer todos esses problemas que vc também passou um dia. Mas infelizmente é assim que o ser humano aprende.
      Derrota online é algo interessante, sempre tem alguém muito mais viciado! hehehe
      Adorei o lance dos piolhos, agora vou chamar todo mundo que é assim de gamer piolho! kkkkkkk
      E vc parece ter ficado bem mais brava que eu falando sobre o assunto! hahaha! Se eu achei que meu post era “apimentado”, seu comentário foi uma bela torta de cereja cheia de pimenta, raíz forte e sei lá mais o que! Baita porrada! hehehe… mas, sério, eu te entendo. E como entendo.
      IGN e Metacritic se come com pimenta! Só digo isso! hahahaha!
      Valeu “Spicy” Cherry Pie!
      Bjs

      • Cherry Pie disse:

        ah meu caro… sabe como é TPM gamística, né??
        puríssima cereja japaleño!!!!! SIMPLEMENTE CALIENTE!!!
        parabens mais uma vez!!
        pra esse post eu ergo a camisa e visto a bandeira!
        Ops, perae, é o contrário!
        nada de topless!!! sou moça de família!!!!
        kkkkkkk
        beijos e bom fim de domingo!!

  9. Cherry Pie disse:

    Ah, me perdoem!!!
    Sei que o texto acima virou uma ladainha, mas ainda tem mais essa que esqueci de mencionar (no tocante às pessoas que fazem nossos olhos de penico nos fazendo ler coisas nada a ver e se escondem atrás do computador): O anonimato é inconstitucional!!! Ou seja, cada vez que um indivíduo comete uma groselha dessas, ele está ferindo nossa Lei Mor que expressamente diz:
    “É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”. (CF, art.5º, inciso IV).
    Quer groselhar, groselhe! Mas seja homem ou mulher o bastante para arcar com o peso de suas palavras!!!
    Resumindo: Chuuuupaaa trollers!!!!!

    • Gamer Caduco disse:

      UHAHUAHUAUHAHUA!
      Eu prefiro deixar os anônimos realmente anônimos, ou seja, o comentário nem aparece aqui. Então não se preocupe com eles, eles não merecem a atenção que necessitam. 🙂

  10. MarvoxBrasil disse:

    Acho fantástico, quando vejo textos que expõe a realidade de forma macro-ambiental. Hoje em dia, com a “ajuda” da Internet, ficou muito fácil a aproximação entre videogames e pessoas. Existe mais espaço para o que chamamos de liberdade de expressão, e que muitas vezes acaba sendo posta como gasto desnecessário de energia. A pessoa pega um jogo lá, joga até o fim, e mete o pau em tudo o que jogou, ou seja, gastou-se mais de 10 horas à toa. Só para reclamar?! Assim como você Gamer Caduco, também jogo de tudo, não importa a geração. Posso pegar um jogo de 1980 e um jogo de 2013 que eu me divirto do mesmo jeito, porque eu gosto de jogar. Todos os jogos que eu joguei, independente do que a imprensa por aí disse, eu acho divertido e eu não me importo de ressaltar a paixão que tenho pelo jogo. Existem jogos que eu não gostava quando muleque e que depois, ao rejogar, hoje enxergo eles de outra forma, porque eu entendi o que se passa no jogo. E o lance é bem por aí, jogue sem medo de ser feliz.

    Cara, você mandou muito bem, abraços!

    • Gamer Caduco disse:

      Marvox, sensacional! Vc também captou muito bem o que eu quis passar no texto, agradeço a vc também pela compreensão! hehehe!
      O que vc falou é a mais pura verdade. Pq raios a pessoa passa 10 horas jogando um jogo que ela não gostou? Quem dera eu tivesse esse tempo pra jogar até o que não gosto! huahuahuahua!
      Legal esse lance de aproveitar todas as gerações de jogos sem nenhum tipo de preconceito, pq infelizmente tem precoceitos de todos os tipos dentro do mundo dos games, né? Eu também já rejoguei jogos que detestava no passado e curti muito depois de velho justamente por entender melhor a proposta do jogo e tudo mais, exatamente da forma que vc falou. Infelizmente já aconteceu o contrário também, mas a idéia é exatamente essa que vc falou. Jogar sem medo de ser feliz, não se importar de dizer que gostou do jogo mesmo que o planeta inteiro tenha odiado. Se todos os seres humanos fossem iguais, o mundo seria um porre, não é verdade?
      Valeu pelo comentário e pelos elogios! 🙂

  11. Ótimo texto Caduco!!

    Não vou escrever muito aqui pq acho que a gente já conversou muuuuuuito sobre isso, quase diariamente, kkkkkkkkkkkkkk

    Mas é isso mesmo, definiu bem, temos que encarar como diversão e não transformar isso em algo desagradável para ambos.

    Mas se tem algo que irrita é o tipo hater de internet, por isso evito ao máximo, só entro em briga mesmo com amigos, quando vejo que estão indo para o lado hater, kkkkkkkkkkk

    Parabéns mano!

    • Gamer Caduco disse:

      É, pois é, a gente discute isso pelo menos semanalmente, não tem jeito! uahuhahuauhahua…
      Discutir com amigos é normal, até pq muitas vezes é muito mais um monte de palhaçada do que algo pra valer mesmo, é igual discutir música e outras coisas.
      Hater de Internet a gente ignora, não vale a pena perder tempo. Já pessoas da própria Internet com opiniões fundamentadas e que, mesmo que não gostem de determinadas coisas, respeitam o gosto dos outros, a gente discute na boa, né? Desde que não seja desagradável pra ambos (repetindo o que vc disse… kk).
      Valeu TH!

  12. Willi Weiss disse:

    Texto simplesmente excelente amigo Cadu, você encaixou com maestria cada palavra, e utilizou argumentos na medida certa e que conseguir explanar tudo, sem deixar nenhum detalhe pra trás. Vou até compartilhar no Facebook. E é realmente isso que acontece, principalmente agora nesse fim de ano quando escolhem os “melhores do ano”, não dá pra descer nos comentários que o cara se irrita. O que eu menos suporto é aqueles “Jogo X > jogo Y > All”, meu, isso é MUITA falta de argumento, é notável que quem faz isso NÃO TEM capacidade de produzir um argumento construtivo e às vezes até fala só por inveja de não poder jogar um dos títulos. É gosto pessoal, gosto pessoal não é um decreto universal que todo mundo tem que aceitar. O pessoal tem que deixar a galera jogar em paz e dar risada, o gosto pessoal de cada um é que vai apontar a qualidade do game.

    Grande abraço e um ótimo 2014 Cadu, muitas alegrias e felicidades pra ti e pra toda a sua família!

    • Gamer Caduco disse:

      Pô, grande Willi, tava sumido, rapaz! Não que eu possa dizer algo, olha eu aqui respondendo praticamente 2 meses depois… mas a vida deu uma acelerada nos últimos tempos! hehehe
      Cara, vc falou tudo… esse negócio de “>” me irrita profundamente, ainda mais quando surgem exageros. Ainda tenho a impressão que as pessoas fazem isso pelo puro prazer da provocação, as vezes nem devem pensar isso de verdade, só querem aparecer e irritar mesmo. Ou é muita falta do que fazer, eu sinceramente não sei. Mas que rola uma falta de argumento enorme, isso com certeza rola, vc tá coberto de razão. E bem verdade quanto ao gosto pessoal, infelizmente muita gente não sabe entender isso. Uma pena, mas… a gente vai seguindo em frente. E rindo, claro!
      Valeu Willi, ótimo 2014 pra vc e para a família também, meu caro!
      Abração

  13. Pingback: Dificuldade X Diversão | Gamer Caduco

  14. Pingback: Preconceitos nos Games – Parte 2: Preconceitos dos gamers com os não gamers | Gamer Caduco

  15. Pingback: BGS – Brasil Game Show 2013 | Gamer Caduco

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s