Maratona Sonic – “Lock On”: Sonic 1, 2, 3 & Knuckles

Olá meus caros, espero que estejam bem!

Chegou a hora de fazer a fusão o “lock on” de cartuchos numerados do Sonic com aquele tal de Dedo no… ops… Meme agora não Sonic & Knuckles e ver que bicho que dá em cada um deles.

Eu aposto que todo mundo aqui já sabe as consequências. Eu mesmo já sabia, mas acabei identificando alguns pontos que não sei se são do conhecimento de todos e vou expressar aqui, além de contar um pouco da experiência e das minhas opiniões sobre o jogo “completo” que conhecemos como Sonic 3 & Knuckles, que eu carinhosamente vou apelidar de S3&K a partir deste momento.

Fiquei me indagando se esta é a primeira expansão oficial dos videogames, não consigo me lembrar de outra. O mais próximo que me recordo foram as inúmeras versões de Street Fighter 2, mas elas não eram apenas expansões, eram novas versões de um jogo. E a galera reclamando de DLCs hoje em dia, pelo menos não tem que comprar todo um jogo novo e pagar preço cheio. Enfim, essa é outra discussão, outro assunto.

Quero mesmo é falar de cada jogo encaixado no &K. Vou separar por jogo para facilitar a leitura.

Sonic 1 & Knuckles

NO WAY!

Pelo menos é esta a mensagem que nos é apresentada assim que ligamos o videogame com o primeiro cartucho encaixado no &K. Ou seja, não tem como colocar o bicho rosa Knuckles no primeiro Sonic. Que pena. Apesar que tem ROM Hacks que fazem isso, mas não vem ao caso.

Na época de emuladores, lembro que vi em algum canto da Internet (ou será que foi antes, em revista?) que quando a gente aperta A, B e C ao mesmo tempo nesta tela, abre a opção de jogarmos um número enorme de fases de Special Stages do Sonic 3 ou do Sonic & Knuckles. A mensagem “NO WAY!” dá lugar à “GET BLUE SPHERES!”. É isso, uma cacetada de Special Stages (que acho que dá para chamar de Get Blue Spheres a partir de agora) pra quem curte. Não é o meu caso, mas tudo bem.

Ainda assim, joguei um pouco e percebi um detalhe interessante. Reparei que a contagem de argolas neste caso é regressiva, ou seja, você já vê de cara a quantidade de argolas que precisa pegar para obter um Perfect. Ao contrário de Sonic 3 e do próprio S&K, que a contagem é progressiva e nunca sabemos quantas precisamos pegar para obtermos o Perfect. Sacada interessante. Já adiantando, isto não acontece quando estamos jogando S3&K, a contagem permanece progressiva.

Não tem muito mais o que falar, foi a única coisa que percebi no pouco que joguei. Então vamos para o próximo.

Sonic 2 & Knuckles: Knuckles the Echidna in Sonic 2

Ao acoplarmos o cartucho Sonic 2 no &K podemos jogar o segundo jogo da franquia de cabo a rabo com o bicho rosa Knuckles. E apenas com ele.

A mudança já é nítida na tela de título, onde vemos o nome do jogo alterado para Knuckles the Echidna in Sonic 2 e o personagem ocupando o lugar do Sonic e do Tails dentro daquela bola com asas que eu não faço ideia de como chamar. Aliás, eu particularmente acho essa tela de título meio feia, ainda mais quando lembramos da original do Sonic 2 que é super bem feitinha. Tudo bem, isso é o de menos.

Mudam as cores do início de cada estágio, cores que lembram o próprio Knuckles e seus sapatos.

Pra quem nunca controlou o Knuckles, as grandes mudanças de jogabilidade é que ele pode planar, escalar paredes e destruir algumas paredes e objetos “quebráveis” só de encostar neles (não há a necessidade de “virar bolinha”). Além disso, ele possui o pulo um pouco mais baixo que o dos outros dois protagonistas, o que de certa forma até chega a atrapalhar em Sonic 2, especialmente no último chefe.

A primeira vez que terminei S2&K foi usando emuladores e tive que bolar uma estratégia para derrotar o mecha do Dr. Robotnik totalmente diferente da que eu usava com o azulão ou sua namorada seu amigo raposinha de duas caudas. Repeti a estratégia dessa vez, foi sucesso.

Afetou também a batalha contra o chefe da Aquatic Ruin. As flechas dos encaixes mais altos dos Totens que sobem não mais altos que o pulo do personagem, daí imaginem vocês que se o jogo cismar em só mandar flechas naqueles encaixes superiores, você vai ter que ter um pouco de paciência pra derrotar o chefe (se não fizer a sacanagem de subir nos Totens ao começar a batalha). Ocorreu comigo.

O lance de escalar paredes permite acessar áreas mais altas de maneira bem mais fácil e ainda facilita para entrarmos em algumas áreas secretas que as vezes são difíceis de acessar com o Sonic não sei bem por qual motivo, em especial as da Emerald Hill.

Há uma mudança sutil nos Special Stages também: as mensagens de COOL e NOK que já possuem cores próprias para Sonic e Tails, também possuem para o Knuckles: azul, laranja e vermelho, respectivamente. Notei um certo lag em alguns momentos jogando com o Knuckles nestes estágios (principalmente no pulo), mas pode ter sido uma má impressão minha ou não estou lembrando se o mesmo acontece no jogo “puro”.

Outra novidade é que, ao sairmos do Special Stage, a quantidade de argolas continua a mesma de quando entramos, e não é zerada como acontece no Sonic 2 sozinho. Facilita um bocado as coisas.

A verdade é que jogar pela segunda vez com o bicho rosa foi uma grande desculpa para terminar pela enésima vez o Sonic 2. Não tinha me dado conta antes, mas fazia um tempão que não o jogava até o fim. A seca era tão grande que eu consegui pegar todas as Chaos Emeralds de primeira, algo que eu não consigo lembrar quando foi a última vez que fiz. Já na Chemical Plant Act 2 eu tinha todas as 7, e aí me surpreendi com a mensagem que poderia me transformar em Super Knuckles.

Super Knuckles? Sério? Sei lá, eu tenho uma certa resistência para outros personagens atingindo a forma Super, acho que mata um pouco a importância do personagem principal e a relação dele com as Chaos Emeralds. Coisa minha, frescura minha, chamem do que quiser, eu tenho consciência disso. Aliás, o Super Knuckles é basicamente o Super Sonic em jogabilidade (mantendo o pulo baixo), a única diferença é que ele passa a escalar as paredes bem rapidamente.

Também notei alguns bugs leves em sprites e colisão durante o jogo, principalmente em ocasiões que em parecia que o personagem não tocava o chão ou ficava como se estivesse “enterrado” nele. Sem falar que os gráficos dele as vezes causam alguma estranheza, como se ele não se encaixasse naquele universo, não sei bem como dizer. Bom dizer que isso tudo não estraga em nada e é até compreensível, o jogo não tinha sido preparado para este “lock on” quando foi concebido.

Ah, a Mystic Cave tem aquela parte dos espinhos que é uma baita sacanagem, onde um buraco bem fundo com espinhos faz com que a gente tenha que esperar pela morte, jogando com o Sonic. Com o Knuckles não acontece, já que ele escala paredes.

Não quis testar se o bug do Super Sonic no fim da fase ocorre com o Super Knuckles (aquele que a gente pula depois de passar a placa e o estágio nunca termina porque fica esperando o personagem tocar o canto “final” da tela). Seria motivo pra eu ficar bravo e largar o jogo, então deixei pra lá. Se alguém souber se ele ocorre também, só dizer nos comentários que eu atualizo aqui.

Outra estranheza foi ver o Knuckles em cima do Tornado pilotado pelo Tails. Frescura minha de novo, mas eu estranhei.

Acho que para S2&K é isso. Chegou a hora de falar do que é considerado o capítulo completo e definitivo do terceiro jogo da franquia.

Sonic 3 & Knuckles

Antes de contar a experiência de jogar mais uma vez os dois jogos juntos, queria contar a minha primeira experiência com S3&K.

Na época do lançamento dos jogos, como mencionei no texto do S&K, nem sabia que dava pra juntar os cartuchos. Como falei, o cartucho que eu tinha jogado não era original e não tinha encaixe para outros jogos.

Além disso, também mencionei anteriormente que eu estava vivendo outras experiências com um PC 486, que posteriormente se tornou um 586 (ou Am5x86, um concorrente direto do Pentium 100 da Intel, embora menos potente) e me permitiu acesso à Internet para diversas maravilhas, entre elas os emuladores.

Tudo isso coincidiu com a época que entrei na faculdade, época que comecei a estudar justamente computação e tudo que se relacionava com esse mundo me enchia os olhos.

E foi justamente na faculdade que me contaram que os dois jogos poderiam ser jogados juntos e que havia uma fase extra quando jogamos desta forma e obtemos todas as 14 Chaos Emeralds. Aí, claro, bateu a curiosidade no Caduco aborrecente adolescente.

Os três patetas...

Os três patetas…

Isso tudo ocorreu no final dos anos 90, baixar emuladores e ROMs demorava uma eternidade em conexão discada (só depois da meia noite). Ainda mais que a gente só podia ficar com os jogos durante 24 horas, era triste ter que apagar e baixar de novo (claro, todo mundo fazia isso).

Agora o detalhe curioso é que eu fui procurar os dois jogos juntos e nada. Só encontrava os dois separados, cada um com pelo 2 ou 3 megas de tamanho, era coisa pra caramba pra baixar. Em algum site eu descobri que havia um esquema que juntava as duas ROMs e transformava na versão final S3&K.

Então eu coloquei os dois jogos pra baixar com o meu incrível GetRight, fiquei conversando no ICQ enquanto concluía os downloads, peguei o tal do IPS Patcher (que, a grosso modo, aplicava customizações nas ROMs, inclusive era capaz de juntar os jogos). Assim que tudo acabou, coloquei tudo no mesmo diretório e rodei o comando que gerou o jogo que eu estava esperando. Senti como se fosse o hacker mais incrível do mundo, o que é bem ridículo de se pensar nos dias de hoje, mas eu me senti mesmo. Hilário!

Só pra lembrar que o Robotnik continua sendo o personagem mais rápido da franquia.

Na época aproveitei alguma madrugada ou tarde de sábado pra encarar o jogo de cabo a rabo, pegar todas esmeraldas e ver a tal fase extra. Pra mim foi um pouco marcante, mas não tanto quanto deveria ter sido. Não sei dizer o porque.

Naquele dia eu usei um truque sujo: save states. O senhor supremo da cagação de regras a esta hora já tem mais de 1400 pedras na mão para começar a arremessar, eu não ligo. É bom dizer que usei os saves apenas nos começos de Special Stages, porque eu sempre fui uma negação neles (nem gostava na verdade) e queria as Esmeraldas. Então só dava Load em caso de falha no estágio especial, mais nenhum momento. Aceitei as perdas de vida, os Continues que acabei gastando e tudo mais.

Eu também acabei fazendo o patch com Sonic 1 e 2, mas acho que nem vem muito ao caso porque eu mal olhei pro resultado.

Acho que pra época é tudo que tenho pra dizer, então vou focar um pouco no que achei da experiência de juntar os cartuchos e jogar diretamente no console de cabo a rabo sem save states e quaisquer outros artifícios proporcionados pelos emuladores.

Primeiro de tudo: a junção dos jogos torna a experiência bem completa, bem épica mesmo. Se você nunca fez isso na vida, faça um dia, você não vai se arrepender.

Os três patetas – Parte 2

Entendo perfeitamente quando alguém diz que os dois juntos é o melhor Sonic que existe, é algo que impressiona e diverte bastante mesmo. Mas discordo, ainda acho que mesmo juntos eles não conseguem bater no Sonic 2. Opinião pessoal, tem nostalgia envolvida, coisa de gosto mesmo. Por isso sou capaz de entender a opinião diferente, embora o 3 puxe muito pra baixo na minha humilde opinião.

O que eu não entendo é o porque de não ser comum S3&K aparecer em coletâneas ou novas versões. De verdade, não entendo. Até alguns jogos menos famosos de Game Gear aparecem nos eShop e Virtual Console da vida, mas S3&K não é tão comum de aparecer. Queria saber se tem algum problema de licença ou técnico, embora nada disso faça sentido na minha cabeça. Não fui atrás de entender o porque, se alguém souber e quiser comentar, agradeço.

Não faz muito sentido eu repetir tudo que falei nos dois posts anteriores (3 e &K). Entretanto, queria mencionar algumas diferenças que acabei notando enquanto jogava e outros pontos que gostaria de discutir e/ou relembrar.

Primeira coisa que percebi foi que, ao pegar um cartucho onde havia terminado o 3 com todas Chaos Emeralds, vi que o slot de save aparece como Zone 7 (e as Esmeraldas obtidas) ao invés de Clear, que é o que aparece com o jogo “desplugado”.

Aliás, vale mencionar que os slots de save trazem um conforto imensurável pra alguém que já está na vida adulta e não consegue mais terminar jogos “em uma sentada”. Eu ainda acho que isso é termo de certo gênero musical que anda fazendo sucesso na atual era e que não tem lá muito pudor, mas enfim.

O legal é que os saves são inteligentes. Claro que o espertão aqui tentou sacanear e voltar pra um Giant Ring pra pegar uma Chaos Emerald que deixou passar num dos Special Stages do S&K (que ao meu ver são mais difíceis). Só que o Giant Ring simplesmente desapareceu depois do reset e mesmo depois de desligar o videogame e ligar de novo. Toma essa, Caduco cheater dos infernos.

Enfim, acho que ficou claro que comecei o jogo do zero, né? De cara percebi outra mudança: a música quando o Knuckles aparece mudou. Ficou a do S&K, mesmo nas fases do S3. O que me fez perceber que não foi só esta música, mas a da tela de título, invencibilidade, vida extra, Super Sonic e qualquer outro tema musical que seja “comum” aos dois jogos acabaram ficando com as versões feitas para o &K. Bacana, tirou um monte de coisa que eu detesto da minha jogatina. Mudou também a música do último chefe do 3, tocando música de chefe normal, evidentemente.

Vale mencionar que nos Special Stages a contagem de argolas ficou padrão, ou seja, progressiva. Diferente do que acontece no Get Blue Spheres (Sonic 1 & Knuckles).

Existe uma tentativa de cutscene entre o 3 e o &K, mas eu achei bem sem vergonha. Cai a plataforma da Launch Base e aparece o Tails carregando o Sonic voando. Filmei, mas acho que ficou zoado. Vou colocar mesmo assim.

Aliás, pra quem não sabe, não há como jogar com o Tails no S&K sozinho, o que é outra novidade. Divertido poder jogar com a dupla nas fases, o Tails acaba ajudando na luta contra a primeira versão do último chefe do &K, mas atrapalha no segundo (bate na hora errada e o Sonic passa pelo chefe e cai no buraco, aconteceu só 4 vezes comigo).

Ah, depois que pegamos todas as Esmeraldas do 3, podemos virar Super Sonic. Depois disso, nenhuma Giant Ring do 3 dá acesso aos Special Stages, apenas soma mais 100 argolas no… no… seja lá onde for que o Sonic guarda essas coisas.

Depois, ao acessarmos as fases do &K, as Giant Rings aparecem brilhando. Ao acessarmos a primeira delas, entramos no Hidden Palace Zone e as Esmeraldas se separam do Blue Blur, ou seja, nada mais de Super Sonic a partir deste ponto.

Super Sonic vs Hyper Sonic

Na Hidden Palace acessada via Giant Ring, podemos escolher em qual fase especial entrar para tentar obter uma Super Emerald. Ao pegarmos todas as 7, Sonic poderá virar o Hyper Sonic. Esta versão é ainda mais rápida, pula mais alto e ainda pode se projetar a frente como o escudo de fogo, sendo que no momento que apertamos o botão, dá um clarão na tela e todos inimigos levam dano. Pouco exagerado e apelativo, não?

Daí que eu acreditava que é este Hyper Sonic e somente ele que nos leva à fase adicional: The Doomsday Zone. Fase onde perseguimos em pleno espaço o Dr. Robotnik, que tenta levar embora a Master Emerald em seus veículos.

Daí que numa conversa com amigos eu resolvi pesquisar um pouco sobre o assunto e descobri que ter o Super Sonic bastaria pra acessar a fase. Ela é acessível, inclusive, no S&K separado.

Com os cartuchos acoplados, caso o jogador reúna as 7 Esferas do Dragão Chaos Emeralds e não entre em nenhum “Super” Giant Ring do S&K, pelo que li daria acesso à fase também. Não testei.

Mas no meu coração esta fase só abre com o Hyper Sonic, pra mim ele que tem poder o suficiente pra voar em pleno espaço sideral e ninguém mais. Podem me julgar. Eu mesmo já estou me julgando.

É bom mencionar que, por vias normais, a fase só é acessada pelo Sonic. Não faz parte do roteiro do Tails sozinho ou do Knuckles. Entretanto, com truque de seleção de fases e modo debug ativado, dá pra jogar a fase com os outros dois personagens.

Aí vem todo aquele papo que sem a Master Emerald o mundo pode entrar em colapso e aí que começa o anúncio do fim, pra mim. Aqui fica nítido que o Sonic parou de ser somente o amiguinho da floresta e dos animaizinhos pra ser o supreme modaFOCA herói do mundo. Daí é só ladeira abaixo, mas nem vou me adiantar nisso. Só sei que começou aí a megalomania desnecessária do Sonic Team.

Enfim, eu adoro a fase, adoro a música dela. Fazer uma última fase que se diferencia do restante do jogo é bem ousado, tipo de coisa que gera revolta em alguns jogadores. Não que eu ache que eles estão errados, mas eu adoro esta fase. E foi ótimo jogá-la diretamente no console, foi marcante, foi divertido!

Melhor ainda que desta vez eu sabia o que fazer nela, na primeira vez eu quase me lasquei porque demorei pra entender qual era o esquema.

Outra coisa que não descobri nesta jogatina, mas há alguns anos quando comprei os cartuchos e só tinha o Mega japonês (que tenho desde a infância): Sonic 3 possui trava de região, só que esta trava é ignorada quando encaixamos o cartucho no Sonic & Knuckles. Será que a SEGA percebeu esse furo antes da produção/lançamento?

Ficou um pouco longa esta parte do post, peço desculpas, mas acabei escrevendo logo depois de terminar o jogo, tô completamente “no hype”, como dizem.

Antes de encerrar o post, permitam que eu conte o resultado de outra curiosidade que tive antes de começar a jogar o S3&K.

Outros jogos & Knuckles?

É, pois é, eu fiquei curioso pra saber o que aconteceria se eu encaixasse outros jogos no Sonic & Knuckles. Vou contar o resultado caso a caso, mas já adianto que todos de alguma forma abrem o Get Blue Spheres.

Começando pelo Sonic Classics, cartucho que possui os dois primeiros jogos do ouriço e mais o Dr. Robotnik’s Mean Bean Machine. O resultado me surpreendeu:

Funcionou como se fosse o Sonic 1, abrindo o Get Blue Spheres e permitindo que joguemos a partir do nível 1.

Sendo assim, que tal outro título do Sonic, só que sem numeração?

Sonic Spinball abriu com um código para uma fase específica. Não tentei terminar pra ver o que acontecia. Pensei em testar com o cartucho que contém o jogo do vilão da franquia.

Carregou outra fase específica, que acabei não conseguindo terminar. Interessante. Então testei com um jogo que saiu depois de Sonic & Knuckles, quis apostar que não funcionaria. Testando Sonic 3D Blast.

De fato não funcionou. Carregou o S&K normal. Era o que eu esperava, de fato.

Mas peraí. O que será que acontece se eu linkar Sonic & Knuckles com Sonic & Knuckles?

Era de se esperar que nada aconteceria, mas eu não podia perder a piada. Vamos deixar de besteira e testar com jogos que não são da franquia. O que vocês acham que acontece?

O sensacional Decap Attack abriu outra fase específica do Get Blue Spheres. Então é de se esperar que o mesmo aconteça com outros jogos, não? Que tal tentarmos colocar o Knuckles na Disney?

Fantasia deveria ter aberto uma das fases mais difíceis, mas eu não fui comprovar. Que tal o meu jogo favorito do Pato Donald?

Obviamente, o resultado saiu como esperado.

Sabendo que o Knuckles é porradeiro, vamos ver o que acontece se eu tentar colocar ele nas ruas controladas pelo Mr. X? Aposto que o bicho rosa imbecil ele cairia na lábia do pilantra e se juntaria aos vilões.

Nada disso, mais Get Blue Spheres. Eu já sabia, mas deixa eu viajar na maionese um pouco, poxa. Enfim, foi a fase mais fácil que joguei durante os testes, a única que passei de primeira.

O legal é que eu descobri que é só isso mesmo, você termina a fase e não pode continuar jogando outras com este cartucho. Que coisa!

Bom, e se testarmos o cartucho mais recente da TecToy encaixado, será que abre alguma fase?

Nada, como era de se esperar. E, se este não funcionou, Pier Solar provavelmente terá o mesmo destino.

De fato. Se é assim, serei ainda mais ousado e testarei um jogo de outra plataforma. Será que colocar o Knuckles no Sonic CD tira um pouco da leve birra que tenho dele?

É, não deu certo! Estranho…

A conclusão inicial que cheguei é que ele de alguma forma conseguia ler os jogos lançados antes dele, só não entendi porque não funcionou com Sonic CD. Porém, depois acabei pesquisando e vi que, na verdade, o jogo consegue gerar fases aleatórias para jogos que possuem até 2MB de tamanho de ROM.

Pena que Sonic & Knuckles & Knuckles não funcionou. Ainda assim, curti que Sonic Classics tem o mesmo efeito de Sonic 1.

Meus caros, já falei demais por um post só. Espero que tenham gostado, este post foi um mega especial que praticamente marca o encerramento dos considerados principais clássicos da franquia.

A Maratona Sonic vai seguir firme e forte, ainda tem jogos de Master System, Game Gear, 32X e até do próprio Mega Drive para encarar antes de fecharmos a era clássica da série. No fim dela, pretendo fazer um rankeamento de jogos. Vão pensando aí nos rankings de vocês para compararmos quando chegar a hora.

Despeço-me de vocês mais uma vez agradecendo a todos pela leitura!

Aquele abraço!

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Jogos, Maratona Sonic, Mega Drive, Sega, Sonic e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Maratona Sonic – “Lock On”: Sonic 1, 2, 3 & Knuckles

  1. Daniel Gamer disse:

    Console antigo, TV antiga e até micro-system… Massa demais!

    • Gamer Caduco disse:

      Putz, eu nem me atentei que o som véio saiu nas fotos! hahahaha!
      Eu me divirto jogando no console, me ajuda a carregar algumas memórias a mais durante a jogatina. Nada contra emulação, uso pra caramba. Mas prefiro. E achei que seria legal fotografar os momentos.
      Valeu Daniel!

      • Daniel Gamer disse:

        Eu sei que vc usa emulador, amigo. Vc me ajudou muito, há uns 4 anos, com dicas sobre emuladores portáteis. É que mudei meu nick e vc talvez nem se lembre de mim. Em todo caso, acho muito massa jogar num cenário verdadeiramente retro, embora não seja algo que valha para mim atualmente, até porque não dou conta nem de longe do backlog, sendo que a tendência é piorar (doutorado se aproximando). P.S.: Não faço mais comentários gigantes, mas continuo acompanhando o blog. Vlw.

        • Gamer Caduco disse:

          Agora que vc falou que eu me liguei quem é! haha! Pô, foi mal não reconhecer de primeira.
          Doutorado próximo? Esquece o backlog, ele vai crescer exponencialmente… vish!
          Valeu Daniel!

  2. smariobr disse:

    Fala Cadu, Tudo certo parceiro??? Embora eu nunca tenha jogado Sonic e nem ser fã, admito que foi um belo post. Com certeza matou a curiosidade de vários gamers da antiga com esse lance de testar outros cartuchos no Sonic Knuckles! Eu era uma criança/adolescente do tipo curioso, gostava de abrir brinquedos e eletrônicos pra ver dentro. Com certeza ia morrer de curiosidade se tivesse esse cartucho em mãos. E com certeza eu iria cagar para a compatibilidade e tentaria enfiar cartuchos de Atari, Nes e Snes nele…eheheh…

    Como eu não posso comentar sobre os jogos em si, vim para comentar outras coisas que me chamaram atenção em seu post e que me remeteram àquela época!
    Primeiramente, as fotos que vc tirou da tela dos jogos….Tá sensacional! Cara tá igual à umas revistas bem antigas onde podíamos reparar nas scanlines na tela. Tipo lá da época da Supergame e início da Ação Gamese e Videogame. Engraçado que tempos depois eles conseguiam editar as fotos de tal forma que a gente nem via essas scanlines mais. Nem sei como faziam isso, se era técnica de fotografia, photoshop ou os dois. Parecia até um print da tela. Lembro que tirei foto do meu save de 103% no Donkey Kong Country 2 pra mandar pra alguma revista. Tirei foto, mandei o filme de 24 poses pra revelar (eita!), maior ansiedade até ficar pronto e quando saiu ficou bem mais ou menos. No tempo que levou pra revelar a foto, acho que outro cara mandou uma foto com a mesma porcentagem, mas em menor tempo, aí desisti de enviar a minha. ☹
    Segundamente (nem sei se essa palavra existe), procurar rom na internet e baixar com o Getright…que sofrimento que era. E no meu caso era pior, já que eu tinha conseguido com um amigo cds de emuladores de snes, nes e mega drive. Então o que eu catava pra baixar eram roms de cps 1 e 2 e de neo geo. Eram uns arquivos lazarentos de 20, 30 , 40 megas pra baixar numa velocidade de 4 kbps. Levava até quatro horas pra baixar e isso quando não estava em uns 50% a conexão caia. Lembro que usava o Getright e o DAP (Download Accelerator Plus). Com eles a gente podia “prender” o link e não perder o arquivo ao cair a internet. Futucando esses programas descobri que dava pra fazer conexões múltiplas no mesmo arquivo pra acelerar. A versão gratuita do getright permitia 4 conexões e acho que usei pra baixar Marvel vs Capcom ou algum King of Fighters. Rapaz a conexão “voou” a 9 kbps!!! Levei só 2 horas pra baixar 40 mb!!! Loucura!!! Eheheheh!
    Terceiramente, o ICQ ! Por mais que não seja nada relacionado aos games, me lembra muito aquela época. Eu usava mais o AIM (Aol Instant Messenger) da AOL. Eram várias instalações daqueles cds de 100, 200 horas grátis da Aol. E aí que foi meu primeiro contato com a internet e consequentemente emuladores. O ICQ mesmo eu não usava pq não tinha nenhum amigo que usasse ele! Não se popularizou no Brasil. Só anos depois fui saber o significado de ICQ. A pronúncia da sigla em inglês soa “I seek you”, portanto “Eu procuro você”, “Eu busco você” e por aí vai. Quando entendi tive uma explosão mental tipo aqueles memes!!!
    Ah, nada a ver com o post, mas aproveito pra informar que zerei Bloodborne recentemente. Mas fiz o final ruim. Primeiro,deixei de ir em algumas áreas. Segundo, enfrentei o último chefe sem saber que era o último chefe (embora desconfiasse). Aí já fui jogado pro New Game + e não pude explorar o que faltava. Recomecei Bloodborne novamente, mas não o new game + e sim o normal. Queria prestar atenção na ordem que certos itens vão aparecendo e não começar com tudo que já tinha. Essa segunda jogada tá muuuito melhor que a anterior. Fiz em dois dias de folga o que antes levei semanas. Sem contar que eu tinha dado mole e não vi que aqueles Mensageiros no Sonho do Caçador vendiam outros itens como armas e etc.
    Mas é um jogão sensacional! Desde março (quando ele saiu na psn) que eu praticamente não jogo outra coisa. Até joguei um Rayman, The last of us, comprei Guilty Gear, mas nenhum outro jogo me segura como Bloodborne! Tu não viu o vídeo que fiz apanhando pra Fera Sedenta de Sangue né? Depois te mando!!! Abração Cadu!!!

    • Gamer Caduco disse:

      Opa, grande Mario! Belo comentário, gigante, como nos tempos dourados dos blogs! \o/
      Eu também era dos adolescentes que desmontavam as coisas. As vezes consertava algumas e normalmente deixava algumas peças de fora depois de montar. Curiosidade é um troço doido demais! hahaha
      Tentei linkar o S&K com o Sonic CD, mas não deu muito certo. Que pena. Acho que seria legal escalar as coisas com o Knuckles naquelas fases quebradas do Sonic CD… rs
      Vc mencionou as fotos de revistas, os caras mandavam bem na edição, não faço ideia de como eles faziam pra deixar a coisa certinha lá. Aqui eu gostei da ideia de tirar fotos e publicar, fica algo meio “rústico” (pegando termo da moda culinária), tenho usado a estratégia tem alguns posts. No passado eu tentei também tirar fotos com câmera de filme, ficaram horríveis, postei algumas aqui. Ficaram com uma telinha minúscula, pq eu lembro que li em alguma dessas revistas que tinha que ficar a não sei quantos metros da TV num quarto escuro e mimimi, no fim todas as que tirei ficaram bem meia boca. Será que era a câmera, o fotógrafo ou a TV? Provavelmente os 3! huahahuahuhuhua
      Cara, eu lembro sim do DAP, não sei dizer pq não gostei de usar na época. O GetRight tinha a limitação e tal, mas eu nem ligava pra isso, era um pirateiro de primeira e usava a versão crackeada! kkkkkkk… o Cadu de hj não aprova muito isso, mas na época eu não ligava.
      O porque da sigla ICQ eu soube na época, me falaram. A maioria das pessoas que eu conhecia usavam, até pq muitos eu acabei conhecendo online mesmo em sala de bate papo. Era engraçado pq no começo as pessoas me perguntavam se eu tinha ICQ e eu não fazia ideia do que elas estavam falando. Fiquei triste quando a galera começou a sumir e passou a usar MSN, eu odiava aquela bodega. O AIM nunca me chamou muito a atenção, ainda que alguns amigos que trabalhavam na AOL tenham tentado me convencer.
      Sobre o Bloodborne, não sei se comentei (acho que não diretamente, mas no post do que joguei em 2017), eu também não fiz o melhor final. Fiz tudo que tinha que fazer e [PARE DE LER AQUI SE AINDA NÃO SOUBER O QUE É E ESTIVER COM RECEIO DE SPOILER, POR FAVOR, VÁ PARA O PARÁGRAFO SEGUINTE] não usei os itens no último chefe, então acabei pegando o segundo final. Fiquei bem incomodado, pensei em começar de novo, mas desencanei e fui tentar diminuir ainda mais a lista interminável de backlog.[FIM DO SPOILER, ESCREVENDO UM MONTE DE GROSELHA AQUI PRA VC NÃO LER SEM QUERER OS SPOILERS E LALALALA VIVA EU VIVA TUDO VIVA O CHICO BARRIGUDO LALALALA FIM DO SPOILER].
      Não vi o vídeo, manda sim que fiquei curioso! Esse jogo é maravilhoso, de longe o melhor da geração até agora. Prefiro ele do que Zelda Bafo de Catuaba. Tá, prefiro Sonic Mania, mas aí é o monstro fã de Sonic dentro de mim batendo forte, Bloodborne é melh…. ARGH O MONSTRO TÁ ME DEVORANDO!
      huahuahuahuhuahuahua
      Valeu Mario! Abraço!
      PS: ODEIO Lastófus com todas as minhas forças, então nem vou falar pq é que vc preferiu voltar pro Bloodborne do que tentar jogar essa coisa aí supervalorizada dos infernos! rs! Foi mal, falar mal desse jogo é mais forte que eu…

  3. Hyper Emerson disse:

    Sobre o lance das super formas, dizem que nos documentos internos da Sega é proibido personagens que não sejam ouriços machos se transformarem (só o Sonic e o Shadow então, já que o Silver é elenco-de-apoio). A Blaze nos Rushes era “Burning Blaze” e usava itens diferentes e por isso não conta, imagino. Com o Sonic Mania eles acabaram quebrando essa regra por bondade do Iizuka (mesma coisa com o retorno do Mighty e do Ray, que ele considera personagens “selados”), mas eles ainda acham exagero trazer de volta o Hyper Sonic, que alegam ter sido uma adição de última hora para o S3&K e que portanto a Sega tá nem aí pra ele.

    Sobre complicações para ports do S3&K, geralmente alegam que a Sega não quer lidar com a burocracia por conta das músicas que o Michael Jackson compôs para o jogo, apesar da primeira versão lançada para PC ter faixas substitutas para fases como a Ice Cap e a Launch Base.

    E eu acho que a Sonic Team já era megalomaníaca desde o princípio e só tava esperando a tecnologia necessária para concretizar suas maluquices.

    • Gamer Caduco disse:

      Curti toda explicação, não sabia de todos estes detalhes (embora lembro bem da Burning Blaze). Só uma dúvida: não tem um terceiro personagem que vira Super em algum dos jogos? Achei que fosse o Silver no 06 (único dos modernos que não joguei absolutamente nada, mas vi alguns vídeos). Será que era fanfic e eu fui enganado? kkkkkkkkk
      Uma pena o lance do Hyper Sonic, adoraria vê-lo de volta. Mas faz todo sentido, assim como os ports de S3&K. Inclusive eu não sabia que o port pra PC tem músicas diferentes. Não sabia nem do port pra PC pra falar a verdade… rs. Agora me bateu essa curiosidade, mas vou apelar pro YouTube pra ver, deve ter milhares de vídeos mostrando as diferenças (achei alguns numa busca simples).
      E eu acho que vc tem razão sobre o Sonic Team ser megalomaníaco desde sempre… huahuahuahuahu.
      Valeu Emerson!

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s