Meme: O Que Você Jogou em… 2010!?

Olá meus caros, como estão?

Lembram do Meme legal que blogs/sites/canais fazem desde o fim do ano desde 2011, que foi proposto lá pelo blog Marvox Brasil? Então, resolvi pegar a ideia emprestada e colocar mais um post dentro da categoria, listando as coisas que eu joguei no ano de 2010.

Alguns de vocês devem estar se perguntando: “mas por que este idiota ele tá tentando lembrar o que jogou tem 8 anos?”

Bem, em 2010 foi o ano que eu voltei a jogar videogame pra valer, depois de um longo hiato. Durante a época do Playstation 2 eu só tinha o costume de jogar futebol e RPG, basicamente. E alguns jogos de ritmo. E em momentos bem dispersos, estava com outra coisa como “hobby principal”.

Aí então resolvi investir em um Playstation 3, e isso me incentivou muito a voltar a jogar. O boom de blogs e sites de retrogames na época também ajudou, pois eu gostava de ver as pessoas escrevendo sobre coisas que fizeram parte da minha infância, mesmo aquelas que não cheguei a botar as mãos pra jogar. Não foi a toa eu acabei criando este espaço aqui depois.

Este post é praticamente uma homenagem à época, à minha volta, à saudade que eu tenho desses tempos que pareciam difíceis e tavam mais para “melzinho na chupeta” de tão tranquilos que eram, em tudo quanto é quesito que possam imaginar.

Pra montar esta lista eu contei com a ajuda do Facebook, do Twitter e de troféus da PSN. A sincronização da conta online da Sony com as redes sociais ajudou bastante, inclusive consegui identificar até versões demo de jogos que acabei baixando na época.

Foi legal ver a minha empolgação naquele tempo, inclusive considerando que eu investi até em acessórios, como banda do Guitar Hero e o PS Move. Essa época eu ficava ligado em qualquer promoção que aparecia. Bons tempos! Hoje eu não posso monitorar nada, falta grana pra tudo! É a vida.

Deixando as lamentações e saudosismos de lado, vou listar os jogos jogados e tentar relembrar a experiência que tive com cada um deles. Espero que gostem!

Final Fantasy VII: Crisis Core (PSP)

Gênero: RPG
O que é: A bela história que acontece antes dos eventos do Final Fantasy VII original, com um protagonista bem mais bacana e uma trilha sonora épica.
Jogado em: Abril

Quem jogou Final Fantasy VII sabe muito bem como é que esse jogo deveria terminar, tendo o protagonista que tem. Mesmo assim, a Square Enix foi tão competente em todos os aspectos que até o esperado final consegue ser extremamente marcante. Baita trilha sonora, baita história, vários embates épicos entre personagens que já são bastante carismáticos, excelente mecânica e por aí vai. É difícil dizer alguma coisa que não seja pelo menos boa neste RPG meio que de ação que a Square lançou para o portátil da Sony.
Recomendadíssimo pra quem curte a história do sétimo episódio da franquia Final Fantasy e quer conhecer um pouco mais sobre o universo e seus personagens.

Super Mario Bros. Crossover (PC)

Gênero: Plataforma / Ação
O que é: Mistura muito louca do universo do primeiro Super Mario Bros. com personagens de outras franquias clássicas do NES.
Jogado em: Abril

Lá pra 2010 eu estava completamente viciado em alguns sites, e encabeçando eles estava o saudoso Gagá Games. Em um post foi mencionado este fan game que possui fases do icônico Super Mario Bros. de Nintendinho, mas também possui personagens de outras franquias. Quem não se empolgaria em tentar jogar as fases e desafios do grande clássico usando o Mega Man, o Simon Belmont, o Zelda Link, a Metroid Samus, o Bill (soldado do jogo Contra) ou até mesmo um Goomba?
Joguei a maior parte do tempo o Blue Bomber, claro. Mesmo que nessa época eu ainda não tinha terminado nenhum dos jogos clássicos do personagem, já tinha um carinho por ele. Sinceramente não me recordo se terminei o game, talvez sim. Como não tenho certeza, não coloquei ele na página de jogos terminados. Talvez eu devesse tentar de novo e colocar, é algo bastante divertido. Um pouco apelativo com alguns personagens, mas divertido mesmo assim!

Kick Ass (PS3)

Gênero: Ação / Beat’em Up (3D)
O que é: Jogo de pancadaria inspirado no ótimo filme do mesmo ano.
Jogado de: Julho até Agosto

Aí um belo dia eu descobri que dava pra comprar jogos para PS3 via download. Aquilo foi uma explosão mental absurda pra mim, um console que vendia jogos online. E pensar que isso hoje em dia é super normal (na verdade, em 2010 já era meio que normal, mas tudo bem).
Estava bastante empolgado com o filme Kick Ass, então resolvi usar ele como minha primeira experiência de compra digital. Não que o jogo seja mil maravilhas, ele é bem mediano, pelo que minha memória permite me lembrar. Porém, valeu a pena por ter sido bem divertido terminar ele em dupla.
Pensem que trata-se de um beat’em up 3D onde controlamos os heróis do filme e enfrentamos, evidentemente, os vilões da história.
Nem sei se ainda é possível comprar o jogo na PSN, mas mesmo que seja, não sei se recomendo. Prefiro que joguem jogos mais indispensáveis.

God of War III (PS3)

Gênero: Hack’n Slash
O que é: Deus da guerra ainda tá bravinho com os demais deuses e continua detonando todo mundo, agora com melhores gráficos.
Jogado de: Julho até Dezembro

Um dos grandes motivadores pra eu ter escolhido um PS3 ao invés do X360 foi exatamente God of War III. Já tinha jogado os dois primeiros jogos da franquia no PS2. Inclusive foram as poucas exceções da plataforma que encarei e que não eram jogos de RPG, Futebol ou Ritmo.
No fim das contas eu acabei não curtindo tanto quanto os anteriores, achei ele meio fácil e a história não foi tão agradável, apesar do final poético que o jogo tem.
Notei a grande evolução que a franquia teve na parte gráfica, mas como isso nunca foi determinante pra eu gostar de um jogo, acabei não dando tanta trela.
Nunca vi o remaster que fizeram pra PS4, mas se alguém ainda não jogou e é fã da franquia, talvez valha a pena investir um tempo jogando.

Virtua Tennis 2009 (PS3)

Gênero: Esportes (Tennis)
O que é: Jogo de tênis com vários modos, inclusive um onde você cria um jogador e constrói sua carreira.
Jogado de: Julho até o ano seguinte

Bom, eu ainda estava me readaptando aos games, certo? Então eu precisava estacionar um pouco na zona de conforto e jogar algo de esportes. Lembro que eu achava o máximo ver a galera jogando Virtua Tennis nos Arcades, então resolvi investir nesta versão lançada para a geração da época.
Valeu demais a pena, adorei o modo carreira, fiquei viciado rapidamente e jogava pelo menos uma partida por dia. Quase todos os dias!
Deixei os maiores craques pra trás e me tornei número um do mundo, mesmo que eu não consiga rebater uma bolinha sequer na vida real.
Curti demais, mas recomendar o jogo nos dias de hoje talvez não seja uma boa ideia. Existem jogos mais recentes. Apesar que talvez eu ainda prefira o 2009, se querem saber a real. E pensar que ele vai completar dez anos em breve.

PES 2010 (PC e PS3)

Gênero: Esportes (Futebol)
O que é: Jogo de futebol, não tem muito mais o que falar.
Jogado em: final de 2009 até mais ou menos metade do ano no PC e de Julho até o ano seguinte no PS3.

Por falar em me apoiar em jogos de esportes, mais zona de conforto ainda seria eu jogar futebol. E foi o que fiz. Mais pro final do ano anterior (2009), precisava de um notebook para trabalho e estudos, acabei pegando um que tinha placa de vídeo só pra poder jogar a versão de PC do jogo. Não era um note lá muito bom (estava saindo de linha), tinha configuração mediana e esquentava pra caramba. Mas consegui me divertir com PES2010 dessa época até o meio do ano, sempre xingando o controle do X360, que usava pra jogar. Não levem a mal, eu nunca gostei dele.
Quando comprei o PS3, logo na primeira leva de jogos acabei investindo no mesmo PES2010. Aproveitei promoção. Recomecei a Master League feliz da vida e fiquei jogando loucamente até adquirir o PES2011, no ano seguinte.
Tenho saudades de jogar futebol às vezes, mas preferi interromper de vez pra dar vazão no meu backlog infinito. Isso foi começar lá pra 2011 ou 2012, agora não me recordo, mas me mantive firme e forte até os dias de hoje (mentira, tive leves deslizes, outros posts do Meme confirmam isso).

DJ Hero (PS3)

Gênero: Ritmo
O que é: Jogo onde você se sente um DJ, mesmo fazendo coisas não muito a ver com o que um DJ de verdade faz, mas fazendo mais que muito DJ fake que tem por aí desde muito tempo atrás.
Jogado de: Agosto até o ano seguinte.

Já gostava de Guitar Hero na época do PS2, ainda estava na pegada dos jogos musicais. Olha a zona de conforto aí de novo. Enfim, desde o PSOne eu já jogava algo do gênero, mais pecisamente Dance Dance Revolution. Já tinha visto o Beatmania em Arcade lá em 2003 numa casa de Arcades enorme que tinha no RJ que chamava Gameworks (quem é da região deve lembrar, eu fui como turista mesmo). E naquela época tinha me apaixonado por jogos que você fingia estar tocando alguma coisa, ou criando música de alguma forma. Aí certo dia vi um tal de DJ Hero sendo lançado pela Activision. Fiquei pilhado pra ter um desses e em 2010 eu já consegui botar as mãos em um com a turntable, num preço muito baixo pra um jogo com acessório. Era quase o equivalente ao segundo ou terceiro preço que um jogo ficava depois do lançamento.
Joguei um bocado DJ Hero, até conseguir terminar todo modo carreira. E continuei jogando até o ano seguinte. Ainda arrisquei jogar vez ou outra em anos posteriores, mas nunca por longas sessões de jogatina. Às vezes até dá vontade de retornar, mas a minha ideia era vender tudo, até por falta de tempo pra conseguir jogar. Aposto que alguém seria mais feliz jogando mais do que eu jogaria nos dias atuais. Mas em 2010 eu joguei um bocado. E eu recomendo pra quem gosta de músicas mais variadas e misturadas. Tem vários resultados bem interessantes.

Guitar Hero 5 (PS3)

Gênero: Ritmo
O que é: Jogo onde você se sente um guitarrista, mesmo fazendo coisas não muito a ver com o que um guitarrista de verdade faz, mas fazendo mais do que eu quando pego algum instrumento de corda (que não seja um sino).
Jogado de: Setembro até Dezembro

Como falei no texto acima sobre o DJ Hero, eu já jogava Guitar Hero de monte na época do PS2. Eu inclusive cheguei a comprar uma guitarra e uma bateria não originais e mais uma guitarra original usada, além de um microfone USB ultra genérico. Vira e mexe conseguia reunir alguns amigos pra jogar (até um dia que tropeçaram no fio e destruíram o PS2, história que não quero relembrar).
Meio óbvio que eu ainda não conseguiria me desvencilhar dos jogos de ritmo e tentaria comprar um Guitar Hero pelo menos com a guitarra. Foi o que aconteceu com o 5. Foi outro jogo que consegui com preço bom se considerar um acessório que vem junto (e ainda por cima toda a moda que cercava este tipo de jogo na época).
E eu joguei um bocado no ano de compra, mas aos poucos fui largando. Hoje até já vendi o kit todo e não me arrependo. Foi bom enquanto durou, mas agora não tenho mais tanto tesão por jogos de banda. É estranho como as coisas mudam, não?

Super Street Fighter 2: Turbo HD Remix (PS3)

Gênero: Luta
O que é: Eu realmente preciso explicar o que é Street Fighter 2?
Jogado: a partir de Setembro até sabe-se lá quando.

Eu não lembro direito quando foi que fiquei sabendo da existência desse remaster (se é que posso chamá-lo assim) de Super Street Fighter 2. Muito provavelmente algum amigo falou e eu resolvi investir. Lembro de ter jogado um pouco com cada personagem e que joguei por várias vezes quando algum amigo visitava, mas não consigo lembrar muito bem como foi toda essa experiência.
Eu sei que gosto muito dessa versão, mesmo que eu seja até hoje um pereba em jogos de luta (e olha que em 2010 eu era muito pior).
Esse foi um dos jogos que no futuro me convenceram a comprar aquele controle com 6 botões na “face” que a Hori lançou para PS3 e X360 (Fight Commander 3). Controle que eu achava que ia me ajudar a aprender a jogar (por causa do controle de 6 botões do Mega Drive) e no final das contas só fez com que eu me frustrasse ainda mais tentando aprender a jogar com ele. Bons tempos.
O jogo? Óbvio que recomendo, louco eu seria se não o fizesse.

Scott Pilgrim vs the World (PS3)

Gênero: Beat’em Up
O que é: Porradaria de rua inspirada em uma HQ, que também inspirou também um filme muito bom!
Jogado de: Outubro até 2013.

Meus caros, eu joguei muito este jogo. Muito! Eu não sei como não me empenhei em “platinar” ele (fazer 100%, não tem de fato um troféu de platina). Em 2010 eu joguei um tempão em dupla, tipo de coisa que sempre foi e sempre será muito divertida quando falamos em beat’em ups.
De verdade, não tem como não se apaixonar por este jogo. A jogabilidade é muito boa, a trilha sonora é fenomenal, a temática é super interessante e graficamente ele é lindo. Sei lá mais o que posso elogiar nele. Ele só não é perfeito por um detalhe: o online dele, que foi implementado depois do lançamento, é horrível. O jogo fica uma carroça de tão lento e nada funciona direito. Uma pena, mas faz parte.
Todo fã do gênero deveria dar uma chance ao jogo. Só é lamentável que ele não possa mais ser adquirido nem na PSN e nem na Xbox Live desde o final de 2014. Não consigo entender como uma joia rara dessas é removida de uma loja, mas faz parte da vida.
Mesmo caso de OutRun Online Arcade, que eu lamento até hoje não ter conseguido comprar por ter acabado a licença com a Ferrari. Mas essa é outra história…

Sonic the Hedgehog 4: Episode I (PS3 e iOS)

Gênero: Plataforma
O que é: Tentativa da SEGA em reviver os títulos em 2D do ouriço mais querido e amado do planeta.
Jogado de: Outubro até 2012.

Quando Sonic 4 foi anunciado eu fiquei super animado. Era a SEGA querendo colocar a sua principal franquia em evidência com um título que retornaria ao passado, era o fim do Ciclo do Sonic. É, não foi bem assim.
Sem me prolongar muito para não dar spoilers da Maratona Sonic, logo que o jogo saiu eu peguei para jogar tanto no PS3 quanto no meu iPod velho de guerra (que na época só tinha 1 ano de idade, mas é velho de guerra pois eu tô usando o mesmo até hoje). Eu de alguma forma gostei do jogo, mas alguma coisa nele me incomodava. Aliás, adorava que a tela girava nos loopings na versão do player de música (creio que se aplique à todas versões mobile).
Aí fui dar uma olhada na Internet pra ver o que o povo tava achando e vi que todo mundo reclamava da física. E então eu abri os olhos pro que estava me causando estranheza. Era isso. Mais pra frente percebi outro ponto: o level design muito apoiado no homing attack.
Engraçado que ainda assim eu gostei de jogar Sonic 4-1 em 2010. Tanto que entrei até em discussões em outros sites defendendo algumas coisas que eu achava boas na época. Não lembro direito o que eram, preciso jogar novamente pra dizer. Mas e a preguiça? Deixa pra quando chegar a vez dele na Maratona, né?

Street Fighter IV (PS3)

Gênero: Luta
O que é: Eu ainda acho que não preciso explicar o que é Street Fighter
Jogado de: Outubro até o ano seguinte.

Quem gosta de jogos de luta com certeza jogou Street Fighter IV. Eu gosto, embora eu insista que sou patético em qualquer jogo do gênero. Até contra a máquina eu arranco risadas de especialistas no assunto.
Fiquei um tempão tentando melhorar com o Ryu e o Guy, de alguma forma me identifiquei mais com o segundo. Mas me negava a jogar online, pois era só sabugada.
Com amigos até cheguei a jogar, mas meu negócio era jogar contra a máquina mesmo. Tentei desbloquear coisas, ganhar troféus, mas logo percebi que era muito trabalho e muito tempo investido pra pouca paciência de alguém que tinha acabado de voltar a se interessar por jogos. Complexidade alta demais. Nem hoje que eu estou apegado a jogos mais difíceis de novo eu consigo me empolgar com jogos de luta pra tentar aprender alguma coisa, imaginem na época.

Castlevania: The Dracula X Chronicles (PSP)

Gênero: Ação em 2D
O que é: Remake de um baita clássico da franquia Castlevania, com direito a uma versão de Symphony of the Nightdesbloqueável”.
Jogado em: Setembro (acho).

Vou ser bem sincero, eu joguei ele até desbloquear o Symphony of the Night. Quando desbloqueei eu larguei o sofrimento pela dificuldade do remake e fui jogar aquele jogo lindo que todo mundo ama de paixão ou está muito errado na vida.
Confesso que não lembro nada, mas encontrei um diálogo via Facebook com um amigo que eu chamava os chefes do remake de “esquisitos”.
E pensar que eu fui encarar o original de NES pra valer só em 2018. E não consegui terminar por nada. Mas esse é assunto pra outro post, logo chega o OQVJ2018!
O SotN? Fiquei jogando só no soquinho até cansar! Não demorou muito, foi uma das poucas vezes que larguei o jogo sem chegar ao fim. Se bobear foi a única.

Brain Challenge (PS3)

Gênero: Puzzle
O que é: Mini games para treino cerebral que pode (ou não) deixar as pessoas mais inteligentes.
Jogado de: Outubro até Dezembro.

Aí eu achei que um jogo de videogame pudesse me tornar inteligente. Quanta inocência.
Mas vou falar pra vocês, fazer desafios diários meio que na surpresa do que viria e com dificuldade progressiva era divertido.
Joguei Brain Challenge por um tempo razoável, até cansar e focar em outras coisas. Até tentei voltar num passado não tão distante, mas bem depois de 2010, e não me empolguei nada.
Sei lá o que via neste jogo. Pelo menos paguei barato. Me diverti na época, mas não sei explicar porque. Importante é que me diverti. E paguei pouco. Devia ter comprado um pastel e um caldo de cana com esse dinheiro, droga.

SEGA Mega Drive Ultimate Collection (PS3)

Gênero: Coletânea
O que é: Coletânea de jogos incríveis lançados para o melhor console de todos os tempos (e outros de outras plataformas como bônus simbólico).
Jogado em: Novembro

Oi, eu sou o Cadu e resolvi voltar a jogar videogame em 2010. O que eu vou colocar na lista de coisas pra ficar jogando alucinadamente? Mega Drive, claro! Eu não poderia negar as minhas origens.
Curioso que não peguei pra terminar nada pra valer (tirando Dr. Robotnik’s Mean Bean Machine), mas eu fiz questão de platinar a coletânea.
Se eu bem me recordo, foi o primeiro troféu de platina que consegui, diga-se de passagem. Se você que é o “hardcorezão dos troféu” tá aí dando de ombros e dizendo que é fácil, eu não tô nem aí, tô é feliz da vida de ter conquistado troféus com a maravilhosa coletânea de jogos do Mega Drive. Faria tudo de novo!
Peraí, tem uma coletânea pra PS4, né? Hum…

Tiger Woods PGA Tour 11 (PS3)

Gênero: Esportes (Golf)
O que é: Simulador de Golf pra nós que somos pobres e nunca vamos jogar isso de verdade num campo de ricaços.
Jogado de: Novembro até 2012.

Rapaz, eu nunca joguei Golf na vida, mas deve ser difícil pra diabo. Com o controle eu já não era grandes coisas, aí resolvi testar com o Move. Aliás, o grande motivo pelo qual eu comprei este jogo foi o Move, foi a recordação que eu tinha do Wii Sports e do jogo de Golf super divertido dele.
PGA Tour 11 com sensores de movimento é divertidíssimo, especialmente em galera. Não que seja fácil, mas talvez é justamente isso que arranca gargalhada de todo mundo. Isso e aquela pancada na cara do amigo que passou atrás na hora errada. Se você não for nenhum dos dois envolvidos, claro.
Até deu uma saudade de ter jogado há tantos anos atrás, mas eu não me arrependo de ter vendido quase tudo que tinha de movimento do PS3.

Guitar Hero: Warriors of Rock (PS3)

Gênero: Ritmo
O que é: Jogo onde você se sente um guitarrista, baixista, baterista ou vocalista, mesmo fazendo coisas não muito a ver com o que esses caras de verdade fazem, apesar que a bateria faz quase a mesma quantidade de barulho pra irritar os vizinhos.
Jogado de: Novembro até 2012

Herói da Guitarra: Guerreiros da Rocha. Que título bacana, não? Ainda mais na Terceira Estação de Jogo.
Palhaçadas a parte, outro Guitar Hero que eu me matei de jogar. Só que este aqui eu comprei o kitzão com guitarra, bateria e microfone. Gastei tudo que não podia gastar, mas valeu a pena. Eu adorei jogar na bateria, os vizinhos já não tiveram a mesma opinião. Uma pena que eu abandonei tudo isso depois que deixei de morar em casa e passei a morar em apartamento, tanto é que até já vendi o kit completo. Esse aqui de alguma forma também me bate a nostalgia de jogar em turma, mas provavelmente a minha lombar danificada não iria curtir muito que eu ficasse me matando na bateria como eu fazia em 2010.
Ah, claro, nem preciso dizer o quanto era hilário quando alguém se empolgava no microfone com toda aquela barulheira plástica em volta. Quem via de fora devia não entender nada do que tava acontecendo no meio daquele bando de gente maluca com brinquedos fazendo uma baita algazarra.
É, bons tempos.

Sports Champions (PS3)

Gênero: Esportes (Vários)
O que é: Coletânea de esportes não tão populares que na verdade é mais um tech demo do PS Move do que qualquer outra coisa.
Jogado de: Novembro até o ano seguinte.

Sim, não contente em jogar Golf e outras maluquices com o Move, eu resolvi comprar a “tech demo” do acessório também.
Curioso que eu adorei os jogos de Sports Champions, achava eles bem divertidos. Mas nunca senti que as pessoas que foram em casa jogar tiveram a mesma opinião.
No máximo as pessoas jogavam o jogo de arremesso de discos. Eu adorava era o combate medieval, ainda mais com dois Moves. Cheguei a ficar com dores musculares no ombro num certo dia de tanto que joguei na noite anterior. Pelo que me lembro foi isso que me afastou de continuar jogando. E eu nem era tão sedentário assim na época, vai entender.
Voltaria a jogar se alguém se empolgasse a jogar junto, mas acho que prefiro outros jogos. Inclusive o Wii Sports. Mais simples e mais divertido. Muita gente deve concordar.


Outros jogos experimentados

Em 2010 eu baixei uma porção de Demos. A integração da PSN com o Facebook denunciou tudo que baixei. A lista é realmente grande, então não vou postar tudo. Vou mais destacar alguns jogos que eu me recordo.

Encabeçando a lista entra Castlevania: Lords of Shadows, que eu curti pra caramba. Eu sei que você tá me julgando agora, e eu ainda acho um dos melhores jogos da geração e não ligo pra opiniões rasas que só conseguem fazer comparações com God of War.

Kung Fu Rider foi outro que gostei, mas depois peguei uma bronca enorme do jogo (por conta dos controles de movimento).

Mega Man 9 e 10 também adorei, só não comprei porque ambos acabaram vindo de graça na Plus algum tempo depois. Enslaved eu curti, comprei e o jogo deixei lacrado até hoje. Sacanagem!

Heavy Rain entra na lista dos que eu detestei a Demo mas depois comprei o jogo e curti. Bayonetta então eu achei sem graça e quando joguei completo me apaixonei. Coisas que não dá pra entender.

Eu acho que são esses que se destacam. O resto nem vale a pena mencionar. Em especial as demos que vieram com o Starter Kit do PS Move.

Tiveram outros três jogos que eu experimentei. O Batman: Arkham Asylum, que acabei jogando no ano seguinte. Bioshock 2, que comprei e acabei trocando por Assassin’s Creed antes de dar uma chance (só porque eu achei que era um simples FPS, hoje me arrependo um pouco). E o Final Fantasy XIII, outro que comprei. Usei ele tantas vezes pra mostrar como a TV que eu tinha adquirido no mesmo ano fazia imagens tão bonitas com o PS3, mas jogar que é bom nada! Até hoje. Só que esse eu não me arrependo não, vai ficar em hiato aqui até eu realmente ficar sem opções melhores.

É isso, galera! Espero que tenham curtido esse post que tenta relembrar como foi a minha volta definitiva aos games há oito anos. Praticamente nove.

E vocês? Se lembram o que estavam jogando em 2010? Tiveram um hiato também nos videogames? Quando foi isso? Como foi a volta? Contem suas histórias também, estou curioso!

Mais uma vez agradeço a todos pela leitura!

Grande abraço!

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Memes e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Meme: O Que Você Jogou em… 2010!?

  1. Marvox disse:

    Desacredito no que estou vendo, você realmente fez um Meme de 2010! hahaha, sensacional! Quer dizer que você também teve seu hiato gamístico? Tem sempre um momento que acontece aquele desapego. Gostei dos jogos da sua lista e me lembrou muita coisa que eu também estava jogando/fazendo. Esse Scott Pillgrim é muito bom, até hoje não entendo o motivo dele não ter aparecido no PC sendo que o jogo teve o maior número de downloads pela M$ e Sony. Esse SF Turbo HD Remix não sei o que eles fizeram mas a imagem é muito chamativa, as cores os traços dos personagens, os olhos brilham mesmo. E cara, joguei muito esse Super Mario Crossover, gostava mesmo!

    • Gamer Caduco disse:

      HAHA! SUPRESAAAAAA!
      Cê viu? Eu imaginei que vc iria pirar quando visse. E eu achei que a ideia seria legal pra adicionar um conteúdo ao mesmo tempo diferente e ao mesmo tempo comum aqui no blog! rs
      Todo mundo vive um hiato, né? Incrível. O mais engraçado é que a maioria das pessoas que conheço vivenciou na mesma geração, a do PS2. Queria saber a explicação disso ou se é só aquele “efeito bolha” (vivemos dentro da bolha da galera que ignorou o PS2).
      Me dá uma tristeza profunda saber que o Scott Pilgrim foi retirado das lojas online. Por mais que eu já tenha virado ele de ponta cabeça, na minha humilde opinião é um jogo que todo mundo deveria conhecer. Pena que não é o que vai acontecer. Vai entender.
      O Crossover foi uma bela descoberta da “blogosfera” gamística da época. Comecinho de sucesso de fangames. Que saudades de 2010, nunca imaginei que diria isso! hahaha
      Valeu Marvox!

  2. Guilherme disse:

    Boa Cadu! Ainda bem que teve esses auxílios pra lembrar tanta coisa boa!
    E a lista 2018, já começou a preparar?

    • Gamer Caduco disse:

      Opa se já, desde Janeiro já venho anotando os jogos e fazendo algumas anotações em paralelo pq a memória já não é mais a mesma! rs
      Janeiro vai aparecer por aqui, já te adianto que a lista ficou grande, prepare seus olhos! kkkkkk
      Valeu Guilherme!

  3. Tchulanguero disse:

    Quando eu vi o e-mail desse texto tomei dois sustos: 1) já estão postando sobre o meme? 2) como assim 2010? Hwa hwa hwa.

    Mas achei legal a ideia, embora não tenha tenha muita condição de fazer o mesmo… talvez alguma análise ou outra que tenha publicado na época, mas enfim, deixa para lá, rzs.

    É engraçado ver a sua lista, ela não é muita surpresa para mim, já que a gente se conhece tem um bom tempo, mas é engraçado ver como ela é bem um fruto do seu tempo, dessa primeira leva de jogos pós Wii nas outras plataformas.

    Bom, agora já tá na hora de pensar na versão 2018 né? Logo mais a gente se esbarra, abraço Caduco!

    • Gamer Caduco disse:

      Rá, surpresa!!! hahahaha
      Nada, o Meme vai demorar um pouco ainda, esse foi pra aquecer os motores da galera e ter um pouco de nostalgia mais recente. É sempre gostoso reviver as épocas de alguma maneira, não importa quais.
      Eu tenho quase certeza que 2010 foi o ano que começamos a trocar ideia, ou 2011, que seja, mas a gente sabia bem o que o outro tava jogando nessa época de ver os posts e pelas conversas por fora mesmo. Outras coisas que dão saudades.
      É bem legal lembrar o que tava no auge naquela época, desde as coisas de Wii que já estavam no mercado há algum tempo quanto uns jogos malucos de PS3. Da hora!
      Lista de 2018? Tá no forno! Prepare seus olhos, a lista tá gigantesca este ano, a produtividade de jogos foi boa! hahaha!
      Valeu Tchula!

  4. aki é rock disse:

    Lista boa essa só jogo interessante ai kra desse ano viu.

  5. smariobr disse:

    Pô cara, em 2010…tive que quebrar minha cabeça aqui, fazer as contas, lembrar onde estava trabalhando pra ter idéia de que época de minha vida se tratava. Nessa época estava jogando meu ps2 em seu fim de vida. Mas admito que não aproveitei tão bem o ps2 como aproveitei o ps1, mesmo baixando alguns jogos via torrent. Se me permite, não falarei apenas sobre 2010, mas sobre essa época. Até pq não lembro nem o que comi ontem…como dizem. Nessa época do Ps2 eu jogava só jogos mais simples e casuais ( tá sei que vc não concorda com esse termo e tem até um post sobre isso rs) que não demandavam muito trabalho mental, eu passava longe de rpg’s, adventures e coisas do tipo. No máximo joguei Residente Evil Code Verônica, aí empaquei em um chefe lá na frente por falta de munição e não joguei mais.
    Nessa época eu e a patroa tínhamos entre 1 e 2 anos de namoro, então a jogatina da época era principalmente Guitar Hero 1, 2, 3 e tinha um no meio tipo melhores do gh 1 e 2, não lembro o nome. Ah e jogamos aquele outro que é mais light e pop, acho que era Band Hero. Tinha Evanescence, Marron 5 e outras coisas mais light. A gente jogava no joystick mesmo, mas um belo dia esta linda mulher me deu a Guitarra! Ah meus olhos brilharam!!! Pior foi tentar jogar a primeira vez na guitarra. Eu crente que era o fodão por jogar no expert no controle, ao jogar na guitarra tomei um sacode e tive que recomeçar do easy pra pegar o jeito. Requer muita coordenação motora…misericórdia!
    Eu era vidrado na série Need for Speed! Comecei no Carbon, fui pro Underground 2, voltei pro Underground 1, Most wanted e por fim o Undercover. Interessante que nessa época (mas antes de comprar o ps2) eu chegava do trabalho por volta de uma da manhã e estava passando algum programa sobre games. Quando vi a matéria sobre algum Need for Speed, mostrando os drifts, olhei e pensei: “Nossa como os videogames evoluíram! Como deve ser difícil dar esse tal drift! Os comandos devem ser complicados!”. Ahahah…é que (como sempre) demorei a adquirir meu ps2, então pra mim era uma grande revolução técnica, eu viajava na maionese mesmo kkk! Mas voltando, quando não tinha nada pra fazer, lá estava eu jogando algum NFS. Ás vezes eu empacava em alguma pista, largava de mão uns dias, ou apenas horas, ou meses como no Underground 1 , e depois tava jogando de novo!!!
    Outro que me agradou por ser sensacional mas também por não ter quebra-cabeças mirabolantes foi God of War. Aquela violência visceral, aqueles gráficos, jogabilidade perfeita e uns poucos puzzles pra diminuir o ritmo. Quando joguei Gow 2 copiei de um daqueles dvds de 9gb com camada dupla assim como o original. Que frustrante ao chegar no Ícaro e ver que o jogo travava, não entendi nada. Depois que pesquisei e entendi que uns ps2 desbloqueados não faziam a transição entre as camadas, por isso travava. Tive que baixar uma versão com as animações em baixa qualidade pro jogo caber num dvd comum de 4.7 gb. Tu passou por isso tb?
    Joguei um pouco do Marvel Ultimate Alliance, cara não gostei da jogabilidade, eu não sentia que estava batendo, fora a zona de trocentos personagens na tela. Gostei bem mais do Justice League, era bem melhor não sei dizer por que. Só que tinha que se decidar, a gente evoluía o personagem, não consegui.
    Joguei bastante também Def Jam Fight for NY. Era de luta com rappers. Mesmo não sendo fã do estilo musical me amarrei no jogo. Dava pra customizar o personagem (que no final fica sempre com a mesma cara) , tinha uns golpes bem loucos e uns especiais mais loucos ainda.
    Joguei bastante Pro Evolution Soccer com um abestado que não é mais meu amigo. Tentei jogar Black mas não dá difícil bagarai, fazes longas e com um save point na metade das fases!!! Joguei um pouco do Final Fantasy 10, joguei, joguei, mas não apeteceu, não curti e larguei de mão.
    Quanto aos que vc jogou, eu queria muito esse Street Fighter HD Remix!!! Ele é lindo!!! Não tem pra ps4!!!
    Com certeza estou aproveitando o ps4 muito mais do que o ps2, e lembrando que pulei a geração do ps3. Agora estou com mais paciência pra me dedicar à jogos mais trabalhosos como Bloodborne (coisa linda), The Last of Us e agora Dark Souls 2(desgraça), que eu jogo de madrugada com meu filho dormindo no meu colo…a vida é muito louca. Tô envelhecendo, tudo mudando, mas a jogatina continua!
    Se eu lembrar de mais jogos relevantes eu comento novamente.
    Abração Cadu.

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s