Redenção Gamística: Super Mario 64 (Nintendo 64 / DS / Switch)

Olá caros leitores, como estão?

Ter uma lista recheada de Pecados Gamísticos é absolutamente normal na vida de qualquer pessoa que ame videogames, independentemente de quando ela começou a jogar.

O número de pessoas que tiveram acesso a todas as plataformas na época em que elas foram lançadas é muito baixo, videogame sempre foi um hobby caro. Ainda mais em nosso país com toda carga tributária e mais uma infinidade de coisas que acabam se tornando limitadores para os jogadores brasileiros ao longo desses anos todos (e continuam sendo).

Mas eu não vim aqui para discutir essas questões, mas sim contar pra vocês como foi a minha história de redenção de um dos maiores pecados que tive na minha vida gamística: Super Mario 64, o primeiro game 3D do encanador bigodudo.

01-Super-Mario-64_-_Title-Screen

Eu nunca tive um Nintendo 64 na vida. Nem na época, nem depois. E continuo não tendo. A verdade é que eu tive pouco contato com a plataforma de maneira geral, pois quando os emuladores começaram a se popularizar, os computadores da maior parte das pessoas não tinha capacidade de emular com perfeição seus jogos. Foi o meu caso.

Não vou entrar no mérito se emulação é algo legal ou não, isso é uma discussão que rende muito pano pra manga e eu estaria fugindo muito do tópico. Contudo, além de usar algumas plataformas em sua originalidade, uma das formas de eu costumo jogar jogos antigos é através do Raspberry Pi 3, que também não tem capacidade de emular o N64 muito bem. Quase todos jogos que testei apresentaram slowdowns, ou acabam tendo alguns “soluços” no áudio, entre outros problemas que acabam desanimando quem busca se divertir da forma mais próxima da experiência original.

Somado a isso, eu preciso confessar algo que pode chatear alguns fãs: eu nunca consegui me apegar a Super Mario 64. Pelo menos até 2021, quando eu finalmente consegui jogar ele até o final e coletando todas as estrelas. Já adianto pra vocês que foi uma experiência sensacional.

Sempre tive muito respeito pelo jogo, mesmo não curtindo ele tanto assim. Desde sempre eu sei da importância que ele tem para a indústria. Muitas ideias tanto técnicas quanto de design que surgiram em Mario 64 foram copiadas ou reaproveitadas e até melhoradas em games que foram lançados após ele, por diversas empresas e para diversas plataformas. Tem coisas que são padrão na indústria até hoje.

02-Super-Mario-64_-_Lakitu

Por exemplo, ele foi o primeiro jogo que teve algum tipo de movimentação dinâmica de câmera em jogo 3D, controlada pelo próprio jogador. Ao contrário dos demais que fixavam a câmera em alguns pontos do cenário ou ficavam nas costas do protagonista. Mesmo com a inovação, ainda não era a mesma movimentação totalmente livre que temos nos jogos atuais, mas foi um primeiro passo. Ainda que pequeno, foi importantíssimo para chegarmos no ponto da indústria de games que estamos atualmente considerando os jogos em três dimensões.

Preciso repetir que digo em muitos posts: eu não gosto desse negócio de “envelheceu mal”, pra mim soa como uma grande desculpa para não conseguir analisar um título considerando a época em que ele foi lançado. Em muitas das vezes que escuto ou leio isso fico com a impressão da pessoa estar sendo preguiçosa, não querendo fazer uma análise mais completa comparando com tudo que havia sido lançado até então e simplesmente colocando no mesmo balaio de coisas que surgiram anos e gerações depois. No fim, torna-se uma análise bastante injusta.

Mesmo assim, ao contrário do que alguns insistem em dizer, vejo Super Mario 64 como um dos jogos de sua geração que resistiram muito bem aos efeitos do tempo. Em diversos aspectos. Vou tentar separar em “camadas” nos próximos parágrafos, muito embora eu acredite que o que realmente conta é a experiência geral.

03-Super-Mario-64_-_Castelo

Graficamente o jogo continua bonito, mesmo que os gráficos sejam um pouco poligonais, meio “quadradões”. Gosto da forma como foram modelados o próprio protagonista, os inimigos e boa parte do cenário. Tudo é bastante “simpático”. Tudo bem que o estilo cartunesco do jogo ajuda bastante.

A parte sonora é inquestionável. O jogo tem uma trilha sonora genial, mantendo o alto nível da franquia. Além das músicas, os efeitos sonoros também são incríveis. Tudo isso somado à outra grande novidade apresentada em Super Mario 64 juntamente com o ambiente 3D, que foi a adição da voz do mascote da Nintendo. Um trabalho impecável do simpatissíssimo Charles Martinet. Eu adoro esse cara!

Não que aconteçam vários diálogos ou algo assim. As poucas palavras são ditas pelo personagem ao pular, bater em alguma parede, executar algum movimento especial, entre outras situações bem específicas. Estas vozes somadas às maravilhosas músicas e efeitos sonoros que sempre dão feedbacks certeiros tornam Super Mario 64 um título muito rico. O game não seria tão brilhante se todo este trabalho sonoro não tivesse sido tão bem executado.

Em questões de jogabilidade, Super Mario 64 é bastante competente também. Porém, é importante eu fazer uma ressalva aqui. Como disse anteriormente, tive pouco contato com o Nintendo 64 de forma geral, eu até hoje tenho uma bronca enorme do controle dele, sempre achei um trambolhão. Mesmo assim lembro que os controles são super competentes quando o game é jogado em sua plataforma original.

04-Super-Mario-64_-_Primeira-Fase

Cabe dizer que eu joguei a versão lançada para o Switch, na coletânea Super Mario 3D All Stars. Enxerguei como a oportunidade perfeita de tirar este pecado da minha lista e ao mesmo tempo conhecer o Sunshine, que eu sequer passei da abertura numa época onde o legal era colocar jogos no HD externo do Wii achando que um dia iria jogar e lá eles ficavam encostados para toda eternidade.

Quando a coletânea foi lançada eu encontrei muita gente detonando a Nintendo por várias razões, mas eu nem pretendo entrar neste mérito aqui. Podem pensar o que quiserem. Para mim o importante é que a aquisição de fato foi suficiente para que eu atingisse metade dos meus objetivos, listados no parágrafo anterior. Ou seja, valeu o investimento. Vai valer ainda mais em um futuro próximo, quando eu encarar o Sunshine pra valer.

No Switch os controles respondem muito bem. Eu gostaria de ressaltar também que os meus Joycons estavam com problemas de Drift durante a jogatina, o que resultou em muitas vidas perdidas das maneiras mais patéticas que possam imaginar.

05-Super-Mario-64_-_Super-Mario-3D-All-Stars

Não é a famosa desculpa “foi o controle”, eu tenho consciência de que faço várias patetadas em jogos plataforma 3D naturalmente e aconteceu diversas vezes durante a jogatina, mas o fato é que os controles estavam com problemas mesmo e isso só tornou tudo mais difícil. O analógico esquerdo puxava pra cima e para o lado depois que largava o direcional.

Eu não sei vocês, mas em jogos de plataforma 3D eu tenho o costume de sempre deixar a câmera numa posição mais atrás do personagem, de uma forma que eu consiga progredir indo pra frente. Ou seja, eu parava o personagem e ele continuava andando. Muitas vezes em direção a inimigos, precipício, fogo e o que mais puderem imaginar.

Se não estão acreditando, eu cheguei a fazer alguns vídeos na época para mandar os controles para a assistência técnica. Vou colocar aqui para vocês verem, acreditando ou não.

Pior que acabei jogando a maior parte do tempo no modo portátil do console híbrido da Nintendo, principalmente pelo fato da TV estar ocupada ou mesmo porque algumas fases me deram Motion Sickness. Pode parecer loucura isso acontecer em jogos antigos, mas nessas TVs modernas eu diria que tudo é possível.

No fim das contas encontrei uma solução. Deixei a tela do portátil em pé numa mesinha enquanto eu jogava com o Pro Controller, que foi uma das melhores aquisições que fiz pro Switch. Depois disso consegui jogar bem o suficiente pra pegar as estrelas mais difíceis. Por incrível que pareça não ficou tão desconfortável quanto parece. Provavelmente profissionais de fisioterapia discordam de mim, mas vamos deixar isso pra lá.

Lembram que eu falei que eu nunca consegui me apegar à Super Mario 64? Nas poucas vezes que eu tentei jogar, mal eu coletava 15 ou 20 estrelas e largava o jogo. Acho que em quase todas as vezes eu parei logo depois de derrotar o Bowser na primeira batalha contra ele. Ou tentei alguma das fases novas e elas me assustaram o bastante pra eu mandar aquela velha frase “depois eu volto” e nunca mais voltar.

Desta vez quando eu menos esperava já tinha coletado 50 estrelas, sendo que meu recorde acho que não chegava a 30. Foi muito natural, de verdade. Até me espantei quando percebi o número, pois não estava dando muita trela pra este número. Simplesmente estava entrando nas fases e explorando cada uma delas, tentando descobrir os objetivos. O que prova que eu estava sim me divertindo e bastante.

Eu acredito que todo mundo conhece Super Mario 64 e seus objetivos, mas talvez valha a pena fazer um overview bem breve de como o jogo funciona.

08-Super-Mario-64_-_Quadro

Começamos no Castelo da princesa Peach, sabemos que ela foi raptada mais uma vez pelo Bowser e que precisamos coletar estrelas para abrir caminhos e fazer o resgate. As estrelas estão espalhadas dentro de alguns mundos, que são acessados através de quadros. Cada mundo é basicamente uma fase do jogo, sendo quinze no total. Ainda existem algumas estrelas secretas em outras sub-fases ou com alguns Toads que dão dicas dentro do Castelo.

Cada uma das fases tem sete estrelas para serem obtidas, sendo: seis com objetivos bem definidos e que o próprio jogo te dá uma dica do que é preciso fazer para conseguir cada uma delas; e mais uma ao coletar 100 moedas dentro da fase. O total são 105 estrelas para serem obtidas nas fases e tem outras 15 que são as secretas que comentei anteriormente. Ao todo são 120 estrelas para serem coletadas, mas com 70 já é possível enfrentar o Bowser pela última vez e terminar o jogo.

O primeiro contato que tive com Super Mario 64 foi na casa de um amigo que teve o Nintendo 64 bem próximo da época de lançamento e chegada aqui no Brasil através de importadores. Lembro de ter tentado jogar um pouco a primeira fase pra entender como funcionava, mas não fiquei muito tempo com o controle em mãos. Preferi ficar mais  assistindo ele jogar, ele sabia o que estava fazendo e eu ainda tinha uma certa resistência à jogos em três dimensões. Pura bobagem minha.

09-Super-Mario-64_-_Estrela

Alguns dias depois ele me chamou para ir na casa dele para que eu visse o quanto ele tinha progredido. Antes de ligar o videogame ele me disse que agora o Mario voava. E então ele me mostrou. Foi a primeira vez que vi uma das áreas secretas e que dava para acessar ela somente mudando a câmera para acompanhar a visão do personagem e olhar pra cima. Com ele mexendo a cabeça conforme mexemos o analógico. Aquilo foi sensacional, ficou marcado na minha memória.

Porém, o que se seguiu me assustou muito. Aquele negócio de voar parecia difícil demais. Pareceu ainda mais complexo quando ele entrou na primeira fase para ser arremessado por canhões e continuar voando para pegar moedas. Foi quando eu soube da estrela extra que é obtida ao coletarmos as 100 moedas. Ficar voando coletando moedas em um ambiente 3D para mim era muito intimidador.

Daquele dia em diante eu peguei um receio enorme do jogo. Toda vez que eu chegava na parte onde precisava voar para pegar alguma coisa eu desistia do jogo. Foi outra das desculpas que eu usava para não me apegar a Super Mario 64. Neste caso se aplica mesmo o termo “desculpas”, o Caduco do presente sabe que o do passado arrumava motivos não tão justificáveis assim pra fugir do jogo ao invés de simplesmente tentar, aprender e conseguir. Que é quase a cartilha básica dos videogames.

10-Super-Mario-64_-_Voando

Engraçado que tantos anos mais tarde eu quase desisti de novo ao chegar na primeira missão de voar. A técnica ainda não é tão trivial assim pra mim, mesmo depois de terminar com as 120 estrelas eu ainda me embanano um pouco. Apesar que tenho muito mais controle hoje do que tinha quando comecei. Muito mais.

Por falar em controle, vocês nem imaginam o quão complicado é voar com Drift nos dois Joycons. Do nada o personagem acaba subindo ou indo pro lado, ou então a câmera muda para um ângulo que não ajuda em nada (normalmente comigo ela ia para baixo do Mario). Quando não eram os dois juntos. Ainda bem que mudei os controles no tempo certo, ou eu não teria terminado o jogo e este post não existiria.

Não estou culpando os controles por parte das minhas falhas, realmente aconteceu. Tanto é que até nos canhões o Drift atrapalhava. Toda vez que eu dava um leve toque pra cima para fazer algum ajuste fino, a câmera subia insanamente e eu tinha que ficar corrigindo dando alguns toques no analógico pra baixo. Ou seja, já dava problema antes de começar a voar de fato.

De qualquer forma eu aprendi a me virar com o lance de voar no jogo e parei de sentir aquele sentimento que parecia medo ou raiva. Comecei a achar que tudo bem com a técnica, inclusive me diverti um bocado no processo. Até ri de alguns dos Drifts que aconteceram. A minoria deles.

11-Super-Mario-64_-_Canhao

No final das contas obter todas 120 estrelas foi um processo muito divertido. Foram poucas as missões em que eu tive algum tipo de bronca ou achei que o design não ficou tão bacana. Essas poucas foram as que achei que ficou “místico” demais.

Não é tão fácil deduzir o que é preciso fazer para coletar cada uma das estrelas. Confesso que tiveram algumas que eu acabei pesquisando qual era o objetivo, mesmo que eu não goste de fazer este tipo de coisa. Eu fiz depois de tentar diversas possibilidades que tinha imaginado e todas elas falharem. Não vejo problemas em agir desta forma, tem umas missões que eu nunca descobriria mesmo o que precisava fazer. E também não ligo para julgamentos, sei que muita gente abusou de detonados e de dicas de colegas e amigos na época. Se ainda assim acharem um absurdo e quiserem reclamar a respeito, recomendo que façam a leitura deste post antes de sair esbravejando.

Ainda neste assunto, está tudo bem de você ter terminado com detonado, dicas de amigos, walkthrougs, vídeos daquela plataforma famosa que não patrocina este blog te ensinando como fazer em cada um dos casos ou seja lá como você resolveu jogar independentemente da época. Importante é você ter se divertido no processo, essa sim é premissa de qualquer videogame. E é bom dizer que Super Mario 64 tem motivos de sobra para proporcionar diversão para todo tipo de jogador.

Claro, desde também que você não julgue o jogo de forma errada, ou seja, se apoiando em alguma artimanha que utilizou e não percebendo toda a maestria dos designers do jogo, seja nas coisas escondidas ou em puzzles que estão lá justamente pro jogador entender e se sentir bem depois que conseguiu fazer. Entre tantas outras situações. Tem muita ideia genial no game, algumas inclusive que não foram pensadas por nenhum jogo antes dele e que foram repetidas ou serviram de inspiração para tantas ideias de jogos posteriores, inclusive alguns bem atuais.

12-Super-Mario-64_-_Slide

Em momento algum da vida joguei tentando pegar todas as estrelas. Em todas as tentativas me esforcei para pegar somente o mínimo necessário para dar continuidade e terminar logo. Contudo não foi o que fiz desta última vez. Joguei muito mais cadenciado, tentando aproveitar cada fase da melhor maneira possível, procurando pacientemente por detalhes nas fases que me levassem aos objetivos.

Em Abril de 2012 eu resolvi comprar a versão de DS de Super Mario 64. Em todos estes anos eu tentei jogar no 3DS algumas vezes e em todas elas acabei parando bem cedo, antes de coletar 10 estrelas. Só que, diferente das desistências do passado, desta vez o que acabou me fazendo largar foi o fato de não ser exatamente igual à versão original, com a inclusão de outros personagens e outras diferenças que não vou citar por não ser o foco deste texto.

Já no Switch, em onze dias de jogatina eu tinha 65 estrelas. Isso considerando que eu estive com tempo bastante reduzido para jogar videogame, e ainda assim eu já tinha passado da metade do jogo. Tudo bem que comecei focado nas que pareciam mais fáceis, mas sem deixar de completar as fases das áreas do Castelo pelas quais já havia passado.

Super Mario 64 é perfeito? Não, ele não é. Nenhum jogo é.

Tem alguns pontos de atenção que eu acho que vale a pena mencionar. Entretanto, adianto que o jogo é sim perfeito à sua maneira, ainda mais considerando a época em que foi lançado. Na minha humilde opinião ele se aproxima bastante da tal perfeição.

Sei que não deveria dizer isto, mas a câmera do jogo me incomoda um pouco. Ela é ótima em relação a tudo que tinha surgido até então, mas em 2021 já tendo a experiência de diversos outros jogos (inclusive da própria série) eu tive alguns pequenos momentos de stress. Tem horas que você briga bastante pra deixar onde quer para no segundo seguinte o jogo ajustar a câmera sozinho e você se ferrar. Chega a dar um leve desespero.

Porém, não é nada que não dê para nos acostumar. Dá para dizer sem medo que ela é muito melhor que em diversos jogos do Sonic que saíram muito tempo depois. Quem acompanha a Maratona Sonic sabe da minha bronca da câmera dos jogos do ouriço.

Achei que a ideia de ter uma estrela extra para 100 moedas é bacana, mas a implementação disso não sei se ficou tão bacana assim, dependendo da fase. Em algumas delas se você cometer um pequeno deslize já não consegue mais coletar 100 ao todo e vai precisa reiniciar a fase. Isso é um pouco chato, mas dá para relevar e a sensação de alívio e recompensa que a gente sente ao conseguir é enorme.

13-Super-Mario-64_-_100-Coins

Fora que é bastante frustrante quando você tá bem próximo do número e acaba morrendo de besteira. Pior ainda quando está cansado e ainda tenta insistir de novo, e acaba perdendo outra vida de forma mais besta ainda. Eu sei, eu sei, isso é normal em qualquer jogo, até nos menos desafiadores. Neste ponto não estou culpando o jogo, só lamentando as várias vezes em que isso aconteceu.

Tem algumas estrelas que ficaram um pouco “tentativa e erro” pra conseguir. No estilo de que o jeito é decorar pra passar. Um exemplo bom é o vulcão da Lethal Lava Land onde temos que pegar carona em uma plataforma que se move sozinha e seguir em frente. Você acaba perdendo umas três ou quatro vidas caindo em pegadinhas até que decora tudo e eventualmente consegue passar (se não estiver irritado o bastante pra cometer bobeiras).

Não tenho nada contra este tipo de design nem de jogo e nem de nível, eu adoro muitos jogos que possuem esta característica. O que me incomoda é o lance de “dois pesos, duas medidas”. Já vi análises de jogos com momentos neste estilo que foram massacrados pela pessoa que escreveu o texto justamente por esta razão. Só que a mesma pessoa afirma em outro texto que Super Mario 64 não tem nenhum tipo de defeito ou qualquer coisa que gere algum tipo de sentimento negativo, por menor que seja.

O jogo é genial sim, concordo, não é a primeira vez que escrevo isto neste post. Porém o pessoal parece que não toma cuidado e acaba usando medidas diferentes para avaliar as coisas que gostam só pra “bater” nos jogos que por alguma razão elas não gostaram. Esquecem que os sites são acessados por bastante gente. E que algumas prestam atenção nos detalhes, como é o meu caso.

14-Super-Mario-64_-_Volcano

Um outro ponto é que achei as batalhas contra chefes meio “sem sal”. Todas elas. Eu juro que entendo que era uma novidade sensacional o lance de você girar um analógico do controle e isso se repetir na tela com o herói carregando o vilão e arremessando ele longe. Só que acertar as bombas é um lance meio chato, difícil de pegar o momento certo de fazer o arremesso. Especialmente no último chefe, no último hit dele quando as bombas ficam mais distantes da plataforma.

Apesar que não é só isso, outros chefes que aparecem em algumas fases e possuem outro tipo de design também são um pouco sem graça. O da pirâmide da Shifting Sand Lands por exemplo. Não vi nada de mais nele. Apesar que aqui pode ser a cabeça do Caduco de 25 anos após o lançamento não tendo a capacidade de enxergar qualidade nisso. Não descarto esta hipótese.

Em contrapartida, praticamente tudo que envolve as fases é muito divertido e criativo: fase que altera o nível da água; ou com águia tentando roubar seu chapéu; ou mesmo uma em que você fica minúsculo ou gigante em relação ao restante; entre tantas outras ideias bacanas que o jogo proporciona. Faz com que você simplesmente esqueça qualquer “micro coisa” que possa te incomodar. Talvez eu entenda sim os avaliadores com pesos e medidas diferentes que falei anteriormente.

15-Super-Mario-64_-_Last-Stage

As fases onde enfrentamos o Bowser são espetaculares. Vários desafios de plataforma bacanas e o lance de ter que pegar as oito Red Coins deixa tudo ainda mais divertido. Não é só passar correndo. Gostei demais de todas, especialmente a última.

Como disse antes, apesar de tentar dividir o jogo em camadas e até achar um ponto ou outro de resmungo, o que vale mesmo é a experiência geral. E neste ponto Super Mario 64 é quase indefectível. É legal como o jogo te desafia de diversas maneiras, seja com explorações, sequências de plataformas, inimigos bem posicionados, coisas escondidas, moedas escondidas, outros tipos de segredos e por aí vai.

É um game que te faz sentir como se estivesse o tempo todo “ligado”, prestando atenção nos arredores para saber o que tem para descobrir naquele mundo fantástico. Você fica constantemente se perguntando o que tem em cada cantinho dos cenários, o que acontece se tentar alguma coisa diferente, entre outras indagações que surgem enquanto jogamos. Relaxado mesmo você fica só quando está no Castelo da Peach. E olhe lá, porque até nele ainda tem coisa pra tentar descobrir.

Tem muitos momentos legais até pros dias de hoje. Eu vou destacar um que eu até então não conhecia que foi o do espelho. Achei aquilo sensacional. Tanto o lance do quadro escondido quanto ver o Lakitu te seguindo com a câmera. Ali fica totalmente evidente, pois não é sempre que você se lembra deste detalhe. É legal demais, a Nintendo caprichou com este jogo e não adianta hater querer espernear. É tanto carinho dos desenvolvedores com a obra que qualquer reclamação alheia chega a se tornar ridícula, inclusive as minhas de alguns parágrafos acima. O famoso esmero da Big-N com suas criações.

16-Super-Mario-64_-_Espelho

É legal dizer que este foi o primeiro jogo de Nintendo 64 que eu tive o prazer de colocar na minha lista de jogos terminados. Não poderia ser outro, né?

Curioso dizer isto 25 anos depois dele ser lançado no Ocidente. Sim, 25 anos! Quanto tempo, não? O aniversário de lançamento aqui deste lado do planeta ocorreu justamente na semana passada, no dia 29 de Setembro. Lembrando que no Japão ele saiu bem antes, em 23 de Junho de 1996. Mesmo dia em que a franquia Sonic the Hedgehog estava completando 5 anos. Claro que eu vou dar preferência pro ouriço, mas não dá pra descartar a genialidade da estreia do encanador em um universo de três dimensões. Tipo de ambiente onde o ouriço sofre um bocado.

Nunca é tarde para conhecermos um grande clássico, então eu me perdôo por ter demorado tanto. Gosto de pensar que aconteceu no momento correto. Tanto é que tentei outras vezes no passado e não consegui me divertir. Sendo assim, qualquer julgamento alheio sobre a minha demora eu ignoro, tanto quanto o uso de dicas. É sempre bom lembrar que ser o gênio dos videogames e/ou a pessoa que jogou e terminou tudo na vida não muda nada no mundo, então continuo tranquilo. Nem todo mundo usa videogames para competições, né?

17-Super-Mario-64_-_Box-Art

Para quem ainda não percebeu, este post é uma declaração de amor atrasada a um grande clássico da indústria dos videogames. É algo muito similar ao que aconteceu com Super Mario Galaxy, jogo que eu fiquei refutando e satirizando durante muitos anos e quando peguei pra valer pra jogar fiquei completamente apaixonado. Entendo que esta deve ser a tal da magia que a Nintendo possui e que os fãs da empresa sempre gostam de lembrar.

Já quem não consegue enxergar isso vai continuar com os argumentos clichês de sempre, como o famoso “só faz jogos para crianças”. Fico contente de ter quebrado este paradigma na minha cabeça ao longo destes anos, muito por conta deste blog e de muitas pessoas que conheci ao longo dos anos de existência dele. Vocês sabem quem são e eu sou muito grato a vocês. Quebrei vários tabus e me diverti pra diacho no processo.

Super Mario 64 é um jogo genial, assim como Super Mario Galaxy que veio tanto tempo depois. Cada um é uma representação da genialidade da empresa e seus funcionários em determinado momento do tempo.

Espero em breve poder conferir Super Mario Sunshine. Sei que é um título com alguns problemas, mas eu ainda tenho uma expectativa razoavelmente boa de como será minha experiência com ele. Gente, eu passei por Sonic Heroes, Sonic 2006 e Shadow the Hedgehog, ele não pode ser tão sem graça como o primeiro ou tão terrível quanto os dois últimos.

Isso me faz pensar que eu deveria ter feito era uma “Marioatona”, e não uma Maratona Sonic.

18-Super-Mario-64_-_Ending

Se por acaso você está no time do Caduco do passado e inventou zilhares de desculpas para não encarar Super Mario 64, faça como o Caduco do presente e se permita conhecer este grande clássico dos videogames. Você não vai se arrepender, tenho plena certeza. A não ser que você seja hater da Nintendo ou de Mario. Aí não tem jeito, a mente já está fechada, você não vai jogar com o coração aberto o bastante para entender toda a magia da qual falei.

Enfim, chega, hora de encerrar.

Obrigado a todos por estar comigo em mais esta aventura tridimensional.

Abraços a todos e até a próxima experiência!

19-Super-Mario-64_-_End

Sobre Gamer Caduco

Apenas mais um cara que nasceu nos anos 80 e que desde que se conhece por gente curte muito videogames, não importa a geração.
Esta entrada foi publicada em DS, Jogos, Nintendo, Nintendo 64, Redenção Gamística, Super Mario, Switch com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

12 respostas a Redenção Gamística: Super Mario 64 (Nintendo 64 / DS / Switch)

  1. Pingback: Pecados Gamísticos | Gamer Caduco

  2. Fala Cadu, fico super feliz em ver seu comentário sobre esse game. É um dos games mais épicos que joguei na minha vida. Ela é uma constelação de boas memórias não somente do jogo como fora dele lá em 1996-97 quando comprei meu N64 com ele.

    Engraçado que eu me pergunto até hoje como fiz as 120 estrelas sem olhar qualquer revista. Bom, eu só tinha esse jogo na época e sinceramente era CEGO para qualquer outro jogo de N64 com esse jogo na minha casa… eu simplesmente não queria olhar NADA além desse jogo.

    A primeira vez que vi ela foi no shopping em uma loja. Estávamos eu e um amigo passeando quando vimos ele rodando em uma TV dentro da loja e ea a versão japonesa… a americana nem tinha saído. E a única vez que tinha visto esse game ou algo dele foi no programa Stargame que vou colocar o link aqui para você ver. Falei até disso no blog:

    “Logo na abertura do StarGame foi mostrado rapidamente algumas cenas de Mario 64 em exclusividade (indicando que teríamos uma reportagem sobre ele!). E ali sabíamos que eramos os felizardos em ver na TV o Nintendo 64 pela primeira vez no Brasil. Acrediteee! Passar algo assim na TV pode parecer comum e bobo hoje, mas antigamente era algo para comemorar como uma conquista de Copa do Mundo. O programa começou e depois de alguns minutos a matéria especial mostrou o Nintendo 64, seus controles inovadores e por fim o Mario 64… e todos aqueles garotos naquele quarto ficaram MUDOS e ARREPIADOS. E por acaso fazendo esse texto, acabei encontrando esse programa do StarGame lá no grupo do Facebook do StarGame. Você pode conferir abaixo:”

    [ https://youtu.be/gPUZhl4MNFA?t=863 ] coloquei na hora certa para você ver.

    E tenho que te confessar uma coisa. Eu nunca mais joguei esse game ou pelo menos tentei fazer 120 ou 70 estrelas nele. Não é por algo dele como câmera, envelheceu ruim e cia… É que lembrança dessa época e tão querida por mim, foi tão grande, tantas boas lembranças que quando jogo ele não consigo suprimir mais isso jogando novamente.
    Sabe quando tu vivenciou um game e ele e isso foi tão definitivo ao ponto de você não querer mais vivenciar aquilo pq você tem as melhores lembranças possíveis. Isso é Mario 64 para mim!

    Me chame de louko ou que seja! Mas isso é Mario 64 para mim. Eu tenho ele aqui completo com manual, encartes, caixinha e tudo novo desde 1996 e nunca mais joguei ele. Eu peguei o esse All Stars e tentei jogar…. mas fracassei hauaauauhhauhuau!!

    Bom é isso Cadu, falei um monte! Abração.
    Se quiser conversar mais de Mario 64 estamos aqui =)

    • Olha, se vc realmente passou meses jogando somente Mario 64, dá pra ter uma ideia de como vc conseguiu a façanha sem revista! rs
      Tem umas estrelas que eu acho que não são tão fáceis de descobrir o que fazer, embora a grande maioria seja algo mais óbvio e tenha alguma dica ou nas descrições das fases ou nas dicas dadas pelos Toads.
      A que a gente tem que entrar na montanha eu nunca descobriria sozinho. Talvez na época, com mais tempo e tal. Mesma coisa pro lance da fase da água que quanto mais alto vc pula no quadro, mais alto é o nível “alagado”. Demorei pra entender isso, depois vi que algum Toad falou algo similar.
      Meio que comentando seu blog por aqui (olha a loucura! haha), ver coisas na TV era bem difícil mesmo naquela época. Pena que nem todo mundo entende isso nos dias de hj. A gente tá realmente velho de perceber esse tipo de coisa e lamentar! kkkk
      Mas muito legal que vcs conseguiram ver o Stargame e mais o lance de assistir na TV do Shopping o jogo em japonês muito antes de pintar aqui no Ocidente. Deve ter sido mágico mesmo, tipo, “isso é videogame de verdade”? Lembro de ter ficado boquiaberto ao ver na casa do amigo também.
      Sério que vc nunca mais jogou de novo? Caramba!
      Eu não sei se tenho um jogo que cai nesse conceito de que prefiro ele na minha mente do que revisitar. Talvez Quackshot, sei lá… kkkkk
      Mas isso pra mim é novidade, se vc me perguntasse eu diria que Mario 64 é um dos jogos que vc não cansa de jogar, junto com Mario Kart 64, alguns Mega Man, Mario RPG e a biblioteca do 3DO. Tá, esse último foi zoeira! kkkkkkk
      O All Stars do Switch vc pegou e não jogou? Por causa desse lance de preferir o jogo na sua memória ou pq cansou ou algo assim?
      Vamos falar de Mario 64 sim, com certeza tem uma infinidade de coisas que eu não sei sobre o jogo. Por muitos anos ignorei notícias e curiosidades dele, pq por alguma razão eu não conseguia me apegar ao jogo. Felizmente 2021 veio pra mudar este paradigma na minha cabeça.
      Valeu Ivo!

  3. Thiago Lopes Rodrigues diz:

    Comunicado oficial da Gamer Caduco ltda:

    “Pedimos desculpas pela afirmação feita pelo nosso colaborador, afirmando que deveria ter feito uma “mariotona” ao invés da Maratona Sonic. Não subscrevemos de forma alguma tal afirmação e o responsável já não faz parte de nossos quadros de colaboradores, sendo entregue às autoridades competentes para as devidas providências (decapitação da mão ou 1500 horas de Sonic 2006, o que for pior)”

    Pensou que ninguém iria chegar ao fim do texto, hein? kkkkk.

    • Ri alto do comunicado! kkkkkkkkkkkkkkk
      Acho que é melhor perder a mão do que jogar Sonic 2006 de novo, acredito que num futuro não tão distante vai dar pra colocar uma robótica no lugar. Já o trauma de jogar 2006 duas vezes não tem como curar, deve sobrar até pra alma… hahahaha!
      Mas dado que o dono do blog adora um trocadilho horroroso, é maior a chance de promoção do que de punição pelo termo péssimo que foi colocado… rs
      Valeu Thiago!

  4. Pingback: The Ghost in the Shell | Impressões - Arquivos do Woo

  5. Diogo diz:

    “Se por acaso você está no time do Caduco do passado e inventou zilhares de desculpas para não encarar Super Mario 64, faça como o Caduco do presente e se permita conhecer este grande clássico dos videogames.”

    Poxa, eu literalmente faço parte desse time, HAHAHA! Cheguei a comentar no meu vídeo da coleção do N64 que não tinha tanto apego ao jogo, apesar de saber de toda a importância. Sempre que tento jogar ele me vem o pouco contato que tive no passado e me desanima, porque fico com a impressão de que não seria um bom tempo dedicado a ele.

    Sua analise me fez enxergar o game de outra forma e até terminei a leitura pensando aqui em pegar ele e também terminar de uma vez por todas. Se não me falha a memória, to com um save logo após derrotar o King Bob-omb.

    Como sempre, um texto incrível, Cadu!

    • Confesso que esperei conseguir ver seu vídeo sobre a coleção de N64 para vir responder o comentário, fiquei curioso pra ver se o Super Mario 64 apareceria na lista! haha
      Se é que posso sugerir, pega um momento que vc sabe que vai poder jogar um pouco por dia e vai experimentando o jogo. Quando menos esperar já vai estar lá feliz da vida. Pelo menos foi isso que aconteceu comigo, tive que insistir um pouco a princípio.
      O bom é que vc tem o save bem no comecinho, então vai dar pra pegar todo o jogo de cabo a rabo. Tenho certeza que vc vai adorar ele a hora que conseguir dedicar o tempo necessário (e, eu sei, esta é a parte mais difícil).
      Valeu Diogo!

  6. Pingback: Dragon Quest III: The Seeds of Salvation | Análise - Arquivos do Woo

  7. aki é rock diz:

    Não sou muito fã desse jogo do Mario mas sei que graças a ele os jogos em 3D foram para outro patamar e serviu como exemplos para outras empresas de jogos seguirem a linha tiro o chapéu pela sua inovação e ambiente feito nele. Esse jogo tem belas trilhas sonoras que grudam que nem chiclete em sua mente como a Dire Dire Docks que é o tema da fase da água sensacional viu.

    • Tudo que vc falou é pura verdade, Rock!
      Agora, eu também não era fã do jogo e ainda assim ele acabou me cativando na enésima tentativa minha de gostar dele ao longo da vida. Quem sabe esse cenário não muda pra vc também um dia? Tomara que sim, tem muita diversão nele.
      Valeu Rock!

  8. Pingback: Maratona Sonic: Sonic Riders: Zero Gravity (Wii / PlayStation 2) | Gamer Caduco

Deixe uma Resposta para Gamer Caduco Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s