Desafio Mega Man V – Parte 3

Olá meus caros, como estão?

Mais um post do Desafio Mega Man V no ar!

Pra quem não viu as partes anteriores, só clicar nos links abaixo:

Parte 1 – 8 Fases Iniciais
Parte 2 – Fortaleza do Proto Man

Uma pequena introdução, apenas para dizer a vocês que esta parte consegue ter quase a mesma quantidade de vídeos que as duas primeiras somadas e que o tempo dos vídeos é mais longo que a junção das outras partes.

Talvez isto mostre que o desafio dentro dessas fases e chefes é maior que tudo que rolou até então. Ou o número de patetadas da minha parte foi meio grande. Ou ambos. Vamos descobrir com os vídeos e descrições a seguir.

Fortaleza do Dr. Wily 1

Olha a sacanagem aí. Mal começa a fase e já temos um “labirinto vertical” pra baixo, em um caminho cheio de espinhos nas laterais. Mal cheguei na terceira tela e perdi uma vida. Na segunda vida passei pela parte sabendo o que tinha que fazer e pelo restante do caminho presumindo bem o que viria pela frente e com um pouco de sorte.

Agora em plataforma segura, logo percebi que o esquema aqui é não sair correndo feito um maluco ou acabaria tomando bastante dano. O que isso lembra? Mega Man! Parece que o jogo voltou mesmo a mostrar características da franquia, algo que já acontecia nas fases do Proto Man, mas ficaram ainda mais evidentes aqui no castelo do cientista doido.

Espinhos no teto e esteiras, com inimigos com catapulta? Interessante. O jeito é ficar o tempo todo com o tiro carregado e disparar no momento certo, tendo frieza pra não bater a cabeça e morrer.

Logo em seguida vem a parte com vários inimigos daqueles voadores que só podem ser atingidos enquanto em movimento. Tem que ter um pouco de frieza aqui também, mas é fácil de passar sem tomar danos. Um Rush Coil e podemos seguir em frente.

Aí vem a parte xarope: pequenas plataformas que são mini-esteiras, inimigos invencíveis rodeando algumas delas e um bicho que atira pra cima pra dificultar as coisas. Em baixo? Buraco! O que mais a gente poderia esperar de um jogo do robozinho azul? Tô gostando dessa fase! Ela é deliciosamente irritante!

Claro que não passei na primeira tentativa, errei um pulo e fui parar no centro da Terra. A boa notícia? O checkpoint era bem aí, então pude tentar de novo. O resultado? Passei, mas tomei um dano de bobeira no finalzinho.

A parte seguinte é um tanto quanto traiçoeira, com o teto descendo e subindo um pouco com possibilidade de esmagar o nosso herói em algumas partes. Inimigos no caminho, claro, daqueles de acertar na hora certa e depender de aproximação para sair do estado invencível. Além deles, algumas paredes pra quebrar. Tomei dano duas vezes do mesmo inimigo num momento de bobeira, mas o restante passei. Meio preocupado com o pedaço final, mas passei.

Na sequência, mais uma daquelas partes com “degraus” e uma galinha gigante que solta mini ovos. Foi benéfico, pois o jogo bonzinho me deu um item que encheu minha energia por completo. Tomei dano na parte seguinte, mas o jogo bonzinho me deu item pra recuperar quase tudo de novo. Em frente.

Aí o caldo engrossou. Inimigos com escudos e buracos com espinhos. Todo cuidado aqui seria pouco! Passei até de boa, tomando um leve dano. Finalmente cheguei na porta do chefe. O que será que me espera? Carreguei o tiro e entrei na sala.

Um chefe grandão apareceu, mas não dava para atingi-lo. Acabei soltando um tiro e ele me acertou com uma de suas partes. Por sorte caí em cima dessa parte e consegui dar dano nele também. Fiquei um tempinho esperando ele liberar a “plataforma” de novo e nada, enquanto desviava dos inimigos “paraquedistas” (eles não possuem paraquedas, mas não pensei em nome melhor).

Um pouco depois percebi que, para que a plataforma viesse na minha direção, eu precisaria dar um tiro nela. Fiz ele mover a plataforma mais baixa, em seguida a mais alta e dei dano nele de novo sem a menor dificuldade. Logo pensei: “esse aqui vai ser fácil”.

Mas ele é bem mais complexo do que parece, precisa coordenar bem os tiros na plataforma, com o desvio dos paraquedistas, além de atirar nele e cair sem bater nos espinhos laterais das plataformas ou esbarrar nos paraquedistas. Conclusão: morri de bobeira, pensei errado que seria fácil. Game Over.

Primeira vida eu já fui meio com “sangue nos olhos” (gasolina, no caso do Mega Man). Já sabia tudo que vinha pela frente, então passei tudo na maior tranquilidade, levei pouco dano no processo (a maior parte de bobeira) e cheguei no chefe para a revanche.

Nem entrei carregando o tiro, sabia que não precisava. A primeira vida foi um desastre, mas percebi algo importante: os paraquedistas morrem ao serem atingidos, não são invencíveis. Aí já pensei em uma estratégia nova, mas morri.

Segunda vida eu comecei muito bem, mas logo comecei a coordenar mal os ataques e desvios e comecei a tomar danos bobos, fiquei irritado e errei ainda mais. Quando faltava um dano pra morrer, fiquei nervoso e me suicidei, atirando na parte mais baixa a queima roupa (o chefe não usa roupa) e deixei a plataforma bater.

Na terceira vida, uma ideia: por que não carregar o tiro logo depois de ativar a segunda plataforma? Parecia uma ideia ótima, mais dano no chefe, menos tempo levando dano dele. Mas me atrapalhei um bocado, vira e mexe me confundia e carregava o tiro antes do tempo. Fora que tomar dano perde o tiro carregado, o que dá mais ódio. Os paraquedistas me tiraram do sério, ainda mais quando atrapalhavam tiros normais pra movimentar a segunda plataforma. Não demorou pra eu levar o Game Over.

Jogando irritado a coisa muda, né? A parte pré checkpoint eu passei aos trancos e barrancos, tomei dano a beça. Pós checkpoint eu perdi a primeira vida caindo no buraco da parte das mini esteiras. Ódio só aumentava.

Segunda vida eu tentei mais de uma vez me manter nas esteiras antes mesmo de chegar no buraco e caí de bobeira, efeito bola de neve aumentava minha irritação e me fazia errar mais, errar aumentava minha irritação e… o resto vocês sabem, morri caindo no buraco… DE NOVO!

Respirei fundo e a vida seguinte comecei super bem, desviando de tudo. Caí no buraco de novo, na mesma parte. Game Over.

Nível de stress alto me fez esquecer de separar os vídeos, então dei o Continue e fui em frente.

Parte pré checkpoint eu fui bem focado e nem levei dano, apesar de ter errado o Rush Coil de forma ridícula. Mas cheguei no checkpoint sem problemas. Passei a parte do buraco de primeira, mas levei um pouco de dano, como sempre por desespero.

Só perdi a concentração na parte do foco e acabei morrendo esmagado em uma parte. Só que estranhei, pois é uma parte que parece dar a altura certinha do personagem, não sabia que era um pedaço mortal. Beleza, vamos em frente.

Vida seguinte eu levei bastante dano até a parte antes dos buracos com espinhos, mas acabei restaurando a energia completa com um item deixado com um inimigo e gritei uma palavra bem bonita (só que não). Fiz quase tudo certinho nessa parte pré chefe e cheguei no corno miserável.

No primeiro ataque eu quase esqueci o tiro carregado, mas acertei. E a batalha alternou entre momentos de calma, sabedoria e ataques certos e partes em que eu tava fazendo absolutamente tudo errado. Quando faltava bem pouco pra derrotar ele e somente um risco de energia para o Mega Man, fui atingido pelo maldito paraquedista e perdi a primeira vida.

Na segunda vida fiz a lição de casa toda direitinho e acertei 3 ou 4 ataques sem levar dano. Até que levei o primeiro e comecei a me afobar, levando um pouco mais. Respirei e tentei ir com calma, esperei pra sincronizar com os paraquedistas e reiniciei a investida de ataques, até que sobrou um risco só de vida para o chefe e eu acertei o último tiro meio desesperado. Era o fim do chefe!

Comemorei e fui para a próxima fase.

Fortaleza do Dr. Wily 2

Mania besta de andar carregando tiro me fez tomar no começo dessa fase. Nenhum dos inimigos iniciais precisa de tiro carregado. Pelo contrário, o melhor seria atirar rapidamente neles. Primeira vez que a gente encara uma fase sempre nos ensina bastante, não?

Duas telas pra frente e já tenho o prelúdio de que teria sofrimento pela frente: fase da água. Pior, além da água, que já muda a física do personagem, especialmente do pulo, várias armadilhas e pegadinhas pela frente.

Capacetes, esteiras, espinhos e buraco. Tudo foi passado de primeira. Ao mesmo tempo que a primeira vez nos ensina, na primeira vez a gente vai com todo cuidado do mundo e normalmente consegue feitos que depois demoram pra se repetir, pois achamos que sabemos tudo, não? Triste realidade.

Enfim, continuei a paranoia de carregar tiro até ver que não precisava. Aí vieram aqueles capacetes que soltam capacetinhos. Do nada param os normais e vem esses grávidos. Sacanagem, é pedir pra levar dano no primeiro deles por bobeira. A vantagem é que são mais inimigos para derrotar e mais chance de itens deixados, já que o jogo é bonzinho. Não a toa segui em frente com energia cheia.

Parte com morcegos e ratos eu deveria ter passado correndo, mas tentei matar alguns ratos pra recuperar danos que ocorreram ao longo do caminho. Deu certo, o último encheu a energia completamente. Pra nada, pois na tela seguinte já tinha um item desses para ser obtido.

Passei a galinha que solta ovos nos degraus e na tela de cima entrei em pânico: um daqueles gigantes que pulam em cima da gente em um espaço curto de reação, espaço insuficiente para derrotarmos ele antes que ele nos dê dano. Eu desesperei, tomei metade da energia de dano e desci a escada no susto.

Subi de novo, consegui derrotar ele antes de ser derrotado (pura sorte) e vi aquele cenário com espinhos e uma plataforma mais alta. Fui trocar de arma e dei aquela esbarrada básica na maldita “tela de toque” do DualShock 4. Entrei no menu e fui ver o que selecionar pra passar a parte. Rush Coil? Não vai dar. Rush Jet? Acho que é esse. Soltei, subi no cão, não deu, caí no espinho, Game Over. Orelhas de burro cresceram na minha cabeça, pelo menos na minha imaginação.

Comecei o Continue carregando tiro, aí lembrei que não adiantava de nada e segui sem carregar, destruindo todos os robôs que parecem lâmpadas sem levar dano. Chego na água, parece que tá tudo bem. Derroto um capacete e erro o pulo, fui pro buraco. Vida perdida.

Vida seguinte comecei mal, tomei dano numa das lâmpadas, mas enchi a vida nas seguintes. Tudo ia bem até eu tentar mudar de tela e errar o pulo, fui pros espinhos. Outra vida perdida. Ódio crescendo.

Depois de dar um chilique de uns 10 segundos eu fui em frente, matei o primeiro inimigo e ganhei uma vida. Gritei de felicidade e continuei. Entrei na água, derrotei o primeiro capacete tomando dano, fui prosseguindo até chegar no segundo que fica depois de buraco, matei ele e caí direto. Outra morte besta.

Respirei fundo e fui, passei toda parte das lâmpadas sem danos. A última delas soltou outra vida extra, que caiu direto no buraco. Eu fiquei alguns segundos sem reação, pensando se gritava e acordava a vizinhança inteira ou se continuava jogando. Tomei distância pra pular pra próxima tela e caí nos espinhos. Game Over. Elogiei a mãe do programador/designer que criou esta parte do jogo.

Logo na primeira vida, tudo bem. Eu pensei bastante antes de pular aquela parte bendita do filho da boa mãe que lembrei no Game Over anterior. Passei e cheguei na água. Passei totalmente concentrado, sem tomar danos e sem erros. Um pouco de sorte, confesso.

Cheguei na parte dos morcegos e logo nos primeiros passei vergonha, errei uns 389 tiros no último deles e tomei dano. Matei ele e caiu um item pequeno de restauração de energia. Voltei e peguei, dois morcegos reapareceram. Lógico que fiquei revoltado, que burrice. Quase passei vergonha no mesmo, mas consegui acertar no centésimo oitavo tiro ou algo próximo disso.

Passei correndo a parte de ratos e morcegos, matando os inimigos terrestres. Um deles me deu uma vida extra. Sorte mudando? Espero que sim.

Esqueci da maldita tela com o gigante pisador, tomei um susto e desci a escada com tudo. Tomei dano na galinha da tela anterior. Que burrice. Voltei pro gigante e entrei em pânico enquanto ele me pisoteava e me tirava uma vida. Fiquei tão feliz quanto alguém que está sendo torturado por demônios por toda eternidade.

Mostrei eficiência na vida seguinte ao derrotar todos os três morcegos iniciais com um tiro carregado só. Toda parte seguinte decorada, eu só tomei dano na galinha xarope porque sou um imbecil. Cheguei na parte do gigante pisador e, na segunda subida, o derrotei.

Aí chegou a parte de testar armas. Lá pela quinta tentativa descobri a tal da S. Arrow, que era o que eu tava procurando (e o que eu poderia ter usado em outra parte do jogo, que mencionei no post anterior). Claro que eu fiz burrada e morri porque não sabia usar a arma direito. Soltei três muito próximas uma da outra e não deu pra chegar no topo da plataforma. As flechas sumiram da parede e eu fui que nem uma bigorna em direção aos espinhos. Vida perdida. Sem grande ódio dessa vez, só a frustração de saber que teria de enfrentar o pisante de novo.

De novo o jogo resolveu ser bonzinho comigo e me deu outra vida em um rato derrotado. Cheguei no pisante e errei tudo que eu tinha planejado para derrotá-lo. Dei um pouco de dano e me escondi na escada. E agora, o que fazer? Descer e subir de novo e ter que tentar tudo outra vez, sendo que só dele espirrar do meu lado eu morria? Não, ideia melhor. Vou tentar as armas especiais.

Lembrei que uma das que eu tinha testado, a C. Eye atirava algumas bolinhas e que elas se espalhavam pelo cenário. No primeiro tiro o pisante morreu. Comemorei, escolhi a S. Arrow, me preparei para finalmente passar a maldita parte e… morri! A primeira flecha saiu rápido demais e a anta pulou direto nos espinhos. Ainda bem que tinha mais vidas.

Precisei respirar fundo, mas fui e passei por tudo meio que de boa, cheguei na véspera da parte que estava me trollando forte com a vida cheia. Já subi com C. Eye e derrotei o pisante sem tomar dano. Meio inconformado, resolvi testar outras armas. Nenhuma parecia fazer sentido, então mandei um Rush Coil e ia tentar com ele mesmo. Cheguei na beiradinha da plataforma, chamei o cão, pulei nele e fiz o movimento mais retardado da história de jogadores de Mega Man V. Caí nos espinho. Ainda tenho mais uma vida.

Cheguei na parte dos morcegos e o primeiro derrubou uma vida extra. Motivo de comemoração? Não, motivo de ódio! A vida caiu nos espinhos. Famosa situação “prefiro morrer do que perder a vida”. Preferi perder e seguir em frente (chiliquei um pouco antes).

Fui um pouco menos rebelde e subi a escada da área do pisante com o tiro normal carregado. Dei uns tiros nele antes de voltar pra escada e escolher a C. Eye. Derrotei ele tranquilamente. Escolhi a S. Arrow, tentei começar bem longe dos espinhos e ALELUIA! Consegui passar o diacho da parte. Tenho quase certeza que ouvi fogos de artifício.

Chiliquei e subi as escadas, dei de cara com outro pisante em frente à porta do chefe. Deu aquele pânico. Será que ia perder a última vida antes de chegar no chefe e ver quem era? No desespero eu acabei levando mais dano do que podia, desci, subi de novo, levei mais dano e saí correndo pra porta. Chego no chefe com uns 40% da vida, dou aquela conferida pra ver quantas vidas extras eu tinha (zero), entrei na sala, mal peguei o padrão do chefe e morri. Game Over. Ódio imperando mais uma vez!

Sério mesmo que eu teria que passar por todo esse trauma de novo? OK, vamos em frente. Toda calma do mundo e de primeira cheguei no checkpoint, tomando algum dano no processo. Passei tudo de primeira, aliás, até o primeiro pisante sem danos. Tentei bolar uma estratégia pra passar pelo segundo sem danos, mas levei. Entrei de novo correndo na sala do chefe.

Morri a primeira vida sem entender nada do padrão dele. Na segunda vida entendi algumas coisas, como a movimentação dele e como fugir disso enquanto o acerta. Mas não entendi como fugir dos ataques dele, nem dos tiros e nem das bolonas.

Na terceira vida eu durei mais tempo, fui pegando o jeito aos poucos de como as coisas funcionavam e só não o venci por ter tomado bastante dano no começo do combate e porque dei algumas vaciladas no fim. Mas já estava sacando como desviar de tudo e atacar no momento certo. Mas ainda faltava um detalhe. Talvez no próximo Continue.

Lá vamos nós mais uma vez. Pra poupar vocês de mais caracteres, digo que cheguei no chefe sem problemas.

Na batalha contra ele eu acabei levando um bocado de dano, até que descobri o último detalhe que faltava: onde me posicionar. Depois que peguei esse ponto, só tomei dano mais uma vez e consegui derrotar o chefe ainda nesta primeira vida.

Maravilha, que venha a próxima fase!

Fortaleza do Dr. Wily 3

Começa a fase e lá vou eu andar com o tiro carregado. Anda, anda, anda e de repente um canhão, derrotado no reflexo. Um teleporte e eu percebo que estou na fase das revanches. Ótimo, que venham os 8 Robot Masters!

Sem saber qual das cápsulas de teleporte escolher, acabei caindo na luta contra o Wave Man. Demorei pra lembrar qual era o esquema e no fim o derrotei quando eu tinha apenas um risquinho de energia. O próximo, por coincidência (foi exatamente a sequência de fases que fiz), foi o Stone Man. Este só me atingiu uma vez porque eu vacilei, mas o derrotei numa boa.

Em seguida caí na luta contra o Star Man, que derrotei sem tomar dano. Tava indo muito bem, tudo isso foi só usando a Buster. Só que caí na batalha contra o Crystal Man e acabei derrotado, pois esqueci que não é saudável ficar longe dele. Voltei lá na vida seguinte e o derrotei, embora tenha sido um show de horrores a quantidade de tiros que errei.

Napalm Man foi o próximo e o derrotei de primeira com a Buster também, lembrei rápido qual era o esquema. Aí veio o chato do Charge Man e eu perdi uma vida nele, não lembrei o esquema e só fiz patetadas.

Desisti dele e a próxima vida retomei do Gravity Man, que eu perdi um pouco o “ritmo” no começo e acabei levando um bocado de dano, mas derrotei. Só não tive a mesma competência contra o Gyro Man, adversário seguinte. Um dos chefes mais fáceis e eu não lembrava o que tinha que fazer. Era o Game Over. E eu achando que derrotaria todos só usando a Buster numa boa.

Problema é que numa dessas a gente fica ao mesmo tempo com excesso de confiança contra os que foram facilmente derrotado e irritado pelo que acabou acontecendo. A soma disso não é muito boa.

Com ódio, fui no Gyro Man e tentei derrotar ele na força bruta. Resultado? Morri. Não só uma, mas duas vezes. Foi patético. Voltei tão empenhado na vida seguinte que o derrotei com Perfect.

Tentei o outro algoz, o Charge Man, achava que não ia muito longe com uma vida só. O derrotei meio que com força bruta e fiquei super confiante, já que só faltavam os chefes que eu já havia derrotado. Fui direto encarar o Wave Man e tomei um Game Over na fuça.

Fui direto no que mais me deu trabalho, Charge Man. Na primeira vida, me desesperei e morri nele. Pensei em desistir da Buster e tentar armas especiais aqui. Voltei no trenzinho lá pra testar e antes de descobrir qual a correta para dar mais dano nele, morri.

Na vida seguinte, logo na primeira tentativa descobri qual é a arma: P. Stone. E quando achei que o derrotaria, tomei outro Game Over. Triste.

Voltei no “Chato” Man com a P. Stone em “ritmo de treino” e logo percebi a minha incapacidade de acertar um tiro dela no chefe xarope. Acabei morrendo a primeira vida. Dei um tiro no além pra me certificar de como a arma funciona e voltei a encarar o trenzinho chato. Quando estava quase morrendo, consegui derrotá-lo. Aquele pequeno teste deu algum resultado positivo.

Fui direto no Gyro Man, o outro que deu algum trabalho. Na primeira tentativa acabei morrendo de bobeira, na segunda dei outro Perfect nele usando a Buster. Próxima vítima foi o Wave Man (que eu quase morri), seguido do Stone Man (fácil como sempre) e acabei morrendo a última vida no Star Man, que tinha parecido mais fácil antes. Game Over. Outro.

Aí lá vou eu “p da vida” tentar mais uma vez. Consegui tomar dano do canhão na primeira tela, resmunguei alto e segui em frente mais irritado ainda.

Seleciono P. Stone, entro pra enfrentar o Charge Man, sucesso (embora quase tenha morrido). Seleciono a Buster de volta, derrotei o Gyro Man com algumas patetadas. Perdi uma vida de bobeira no Wave Man, mas melhorei o entendimento que tinha do combate contra ele e na vida seguinte o derrotei com certa tranquilidade.

Depois veio o Stone Man, que é fácil, mas eu no ódio acabei tomando algum dano. Porém, o derrotei. Sincronizei a dança com o Star Man e o venci também. A mesma coisa aconteceu com o Crystal Man, na sequência. E logo depois dele o mesmo ocorreu com o Napalm Man. O item deixado por ele me rendeu energia cheia.

Deixei por último justamente o que mais precisa ter paciência pra derrotar ou a “dança” perde a sincronia e a gente acaba morrendo. E quando tudo levava a crer que eu perderia ali mais uma vida, acabei o derrotando com quatro pauzinhos.

Sobrou então só o chefe final da fase. Demorou quatro ataques do chefe para que eu entendesse como eu dava dano nele. Parecia fácil atingir a vitória. E realmente foi, já que bastava manter a calma. Talvez eu esperasse um pouco mais dele, mas logo imaginei que o pior ainda estava por vir: a última fase e o último chefe.

Fortaleza do Dr. Wily 4

Se eu enfrentei as revanches, certamente esta é a última fase. O mapa que aparece antes já denuncia isso, mas vai saber se não estão tentando enganar o jogador, né?

Começa a fase e eu já dou de cara com um ED209. Mal sinal. No susto acabo recuando e tenho que derrotar ele e a versão respawn logo em seguida. Desço para o próximo nível e destruo um canhão completamente no susto. Ainda bem que, pra variar, estava com a arma carregada.

Desci todo restante e andei um pouco mais, ciente de que apareceria outro ED209. Ele apareceu, me deu dano, fiquei com uns 60% da energia e cheguei na porta do chefe. Mal consegui entender como a coisa funcionava e acabei morrendo.

Fiquei na bronca a hora que percebi que tinha voltado toda a fase. TODA A FASE. Sério, quem foi o sádico que fez isso? Ao invés de voltarmos na porta do chefe como normalmente acontece, a gente é jogado para o começo da fase, tem que tomar cuidado com os ED209 e chegar bem de saúde pra encarar o suposto último chefe.

Fui com todo cuidado do mundo e consegui chegar nele sem levar dano. Fiquei naquela tensão de tentar aprender os ataques dele sem ficar parado pedindo pra apanhar e morrer antes de bolar uma estratégia. Apesar de algumas patetadas, consegui achar um jeito de derrotá-lo e… espera um pouco, tem mais uma forma para derrotar?

Aí lascou, fiquei com pouquíssima vida! Eis que o bigodudo desaparece em sua cápsula e aparece diretamente acima do Mega Man, atira uma bolona nele e foi o suficiente para destruir o nosso simpático herói. Game Over. Não que faça diferença, com ou sem Continue a gente volta pro começo da fase mesmo.

Primeira vida: tentei ter cautela mas tomei um dano do segundo ED209. Derrotei a primeira forma até que bem, mas fiquei com 60% da energia. Quando percebi que a segunda forma era uma tremenda de uma sacanagem, tentei ver se havia um padrão na movimentação do chefe e acabei morrendo.

Segunda vida: cheguei no chefe sem levar dano, mas tive um desempenho pífio e morri na primeira forma do chefe final, deixando ele com um risquinho de vida. Ódio.

Terceira vida: tive a infelicidade de ativar o segundo ED209 duas vezes e acabei levando dano nele. Errei tanto na primeira forma que me deu desânimo e deixei que ele me atingisse o último dano sem reagir. Game Over.

Primeira vida: Fiquei ultra irritado por ter levado dano duas vezes do primeiro ED209 e passei o resto da fase tentando dar carrinho nos inimigos e no chefe. Suicídio ridículo.

Segunda vida: cheguei no chefe sem dano. Até tentei me virar na primeira forma dele, mas acabei morrendo mais uma vez de forma bem ridícula.

Terceira vida: Mais uma vez cheguei no chefe sem levar dano, Se não fosse por um erro bobo, eu teria vencido a primeira forma dele sem levar dano também, mas acabei levando uma bolada. Aí veio a forma cretina.

Pra quem não sabe como ela funciona, o Dr. Wily está em uma cápsula que desaparece e reaparece em qualquer lugar da tela, atirando uma bola de energia pra baixo que, ao atingir o solo, se divide em duas energias que percorrem o chão até saírem da tela.

Eis que o cretino ficou uma década aparecendo na parte mais alta da tela, onde eu não poderia revidar os ataques. Quando apareceu embaixo, apareceu me esbarrando e dando dano que não permitiu nenhuma reação. Sério mesmo, Capcom? Pra quê? O resto da luta tava indo bem, até que mais uma vez ele apareceu praticamente raspando o capacete do robozinho azul e um tiro a queima aço foi disparado para o fim de mais uma tentativa.

Eu não estou gostando deste chefe. Game Over.

Primeira vida: antes de qualquer coisa, testei cada arma especial que este raio de jogo te dá ao derrotar os Robot Masters. Tive uma ideia de qual usar no chefe e fui em frente. Voltei para a Mega Buster e fiz patetada no primeiro ED209. Fiquei irritado, pra variar, e me suicidei.

Segunda vida: cheguei no chefe sem levar dano. Na primeira forma, tudo ia bem até eu levar o primeiro tiro. Aí levei mais dois ou três, mas tentei manter a calma e derrotei a forma. Antes da segunda forma aparecer, selecionei a G. Attack (Gyro Man), que atira hélices para cima. Era minha chance de acertar o apelão quando estivesse lá na parte superior da tela.

Apesar de ter errado no começo, dei dano no chefe diversas vezes. Mas cada ataque tira um risquinho de vida do chefe, o que torna o processo muito demorado e o risco de acabar levando dano e morrer só aumenta a cada reaparecimento do sem vergonha. Resultado: morte!

Terceira vida: mais uma vez chegando no chefe sem levar dano. Fui bem contra a primeira forma e, antes de aparecer a segunda, entrei no menu de armas e reparei que a G. Attack não estava com muita carga. Resolvi tentar a C. Eye. No primeiro tiro percebi que não havia paredes para o tiro ricochetear e voltei pra Mega Buster me sentindo um asno.

Fiz uma boa batalha contra ele, salvo que mais uma vez ele me acertou algumas vezes no jeito que não dá pra ter reação e mais uma vez ficou um tempo passeando pela parte alta da tela só diminuindo minha paciência. Lógico que morri, Game Over.

Primeira vida: passei mais uma vez os ED209 sem levar dano. Cheguei no chefe e fiz um começo ótimo contra a primeira forma dele, mas errei um pouco no final e fiquei com aqueles famosos 60% de energia.

Contra a segunda forma, consegui desviar de uma tentativa de esbarrar no robozinho azul e ainda revidei, foi algo mágico. No ataque seguinte ele repetiu a dose de sacanagem e me acertou. Alegria de jogador das antigas dura pouco mesmo.

A batalha tava indo super bem, até que ele fez mais dois dos ataques apelões e eu acabei morrendo, deixando ele com pouco de vida. Sem falar que mais uma vez ele passou um tempão na parte alta, embora tenha passado algumas vezes pela mais baixa possível e permitiu ser atingido.

Segunda vida: acabei vacilando e levando dano no primeiro ED209. Até esbocei um suicídio ou uma revanche rancorosa contra ele quando ele sumiu da tela, mas acabei desistindo e indo em frente. Chego no chefe e tenho um desempenho perfeito contra a primeira forma. Que pena que levei dano do ED209. Tudo bem, mais um treino contra a segunda forma.

Tentei manter a calma contra ele, mesmo que a primeira vez que ele me atingiu ele apareceu acima do Blue Bomber e o atingiu com a bola de energia duas vezes. Ainda apelou mais duas e acabou me derrotando mais uma vez. Eu já tava ficando bastante cansado daquilo tudo.

Terceira vida: passei a parte inicial sem tomar dano, ainda ganhei uma vida extra de presente do segundo ED209. Comemorei com um palavrão, mas que diferença faria esta vida, se a fase sempre começa do mesmo jeito? Enfim, chefe.

Cometi dois erros bobos contra a primeira forma e cheguei, pra variar, com 60% da energia na segunda forma. Sinal de que seria derrotado mais uma vez.

Comecei a batalha super bem, acertei o chefe algumas vezes sem levar dano, até que comecei a ficar naquele estágio de nervosismo com aqueles pensamentos “está dando certo, está dando certo” e consegui apertar o botão de pulo segurando pra baixo ao invés de soltar o de tiro, levei dano na patetada.

Continuei a batalha esperando as chances certas de continuar atingindo ele, mas acabei levando mais um dano no processo. Os dois ficaram com o mesmo tanto de energia: cinco risquinhos. Era um acerto dele ou dois ou três meus. A esta altura do campeonato o meu coração estava saindo pela boca já.

Mais duas vezes que ele apareceu em área “atingível” e eu finalmente o derrotei. Nem usei a tal vida extra. Era isso, era o fim do jogo! O cientista maléfico sai da cápsula antes que ela seja totalmente destruída e tem um ataque de Robotnik, saindo correndo feito louco enquanto um herói azul corre atrás dele sem sucesso, pois não consegue atingir sua incrível velocidade (exatamente igual no jogo da SEGA).

Dr. Light salvo, base começa a explodir, cientistas correm desesperadamente para um lado e para o outro, o teto cai e o Mega Man segura (o que me deixou cabreiro dele não ter feito isso na fase que tem esta mecânica como quebra cabeça), vem o assovio (original) do Proto Man, abre um caminho nada a ver, todo mundo foge. Final feliz.

Cena final com o cientista bom e o robozinho azul stalkeando a base do Dr. Wily e sendo stalkeado pela cabeçona vermelha do Proto Man, enquanto o Dr. Wily foge em sua navinha.

Todos os Robot Masters são apresentados com seus respectivos designers, mais créditos aparecem, fim de jogo. Cinco episódios de Mega Man na conta do Gamer Caduco. Devo comemorar? Claro que sim!


Antes de finalizar eu quero opinar sobre a última batalha.

Achei que a forma final do último chefe tem um design que considero ruim. Poder aparecer em qualquer lugar da tela (inclusive na área onde está o Mega Man e dar dano pelo esbarrão, sem nenhuma chance de fugir) algo apelativo demais, acaba gerando uma dificuldade um tanto quanto injusta, já que desta forma o jogador acaba não tendo nenhuma chance de reação em algumas situações. Não sou fã deste tipo de coisa.

Sem falar no fato de que ele as vezes surta na aleatoriedade e fica uma eternidade só aparecendo lá em cima, em um lugar impossível de atingir com a Mega Buster. Se existe uma arma específica para derrotá-lo de forma mais fácil (que não seja o Beat, que deixa a coisa muito sem graça, vi um vídeo mostrando isso), eu nem quis saber. É apelativo de qualquer maneira. Sem falar que a música parece que está debochando da nossa cara (eu peguei birra dela por causa do chefe, independentemente dela ser boa ou não).


E é isso, galera. Valeu demais a pena ter jogado Mega Man V, embora seja muito perceptível que ele fica aquém dos quatro primeiros jogos da franquia em quase todos os aspectos.

Espero que tenham gostado dos posts deste Desafio e contem como foi ou foram as experiências de vocês com o game. Acham que ele possui todos os problemas que fui relatando e que está mesmo abaixo dos demais ou eu exagerei em algum ponto? Não deixem de comentar pra que eu saiba.

Mais uma vez agradeço a todos por todo apoio que vocês dão a este blog. Muito obrigado mesmo!

Grande abraço a todos e até o próximo post!

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Desafio Mega Man, Desafios, Jogos, Mega Man 5, NES e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Desafio Mega Man V – Parte 3

  1. aki é rock disse:

    Me lembro de ter um pouco de dificuldade na última parte do castelo do Protoman bem no boss que era meio chato para derrotar tirando isso foi de boa para vencer o Wily em seu castelo.

    • Gamer Caduco disse:

      Sério que pra vc foi tranquilo vencer o Wily? Eu usei continue pra caramba nele! ahahahah!
      Talvez eu não tenha dado sorte ou tido paciência o suficiente pra derrotar ele com mais tranquilidade… rs
      Valeu Rock!

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s