Troféus/Conquistas

Olá caros leitores, todos bem?

Depois de ver notícias sobre terem colocado nesta semana troféus no jogo Metal Gear Solid 4 de Playstation 3 e conquistas em jogos de Windows, resolvi dar uma pausa nos posts do Desafio Mega Man para trazer até vocês um assunto mais abrangente que tem me incomodado um pouco nos últimos tempos e que gera um pouco de polêmica, que é a existencia de Troféus/Conquistas nos jogos.

Antes de começar, quero dizer que no meu texto estarei me referindo a eles como troféus simplesmente pelo fato de estar mais acostumado ao termo, pois jogo no console da Sony. Reforçando, não é “ismo“, é costume, então peço por favor que não fiquem de picuinhas com este detalhe e vamos ao que interessa que é discutir a respeito da presença deles nos jogos. Vou começar contando um pouco da minha história.

Os troféus na vida do Gamer Caduco

Quando comprei o PS3 e comecei a conhecer seus jogos, logo percebi a existência dos troféus, embora de início não tenha dado importância a eles. Só que eu fui me acostumando, a curiosidade foi tomando conta e vira e mexe eu dava uma olhada na lista pra ver o que dava pra conquistar.

Depois que descobri a integração do console com o Facebook, a coisa meio que desandou. Para quem não sabe, é possível publicar na rede quais foram os troféus que você conquistou a cada vez que você sincroniza com o servidor. Acabei achando a idéia legal e até hoje mantenho dessa forma, já que sei que há outras pessoas interessadas em acompanhar quais troféus estão sendo conquistados pelos amigos (eu mesmo gosto de ver).

Sim, estou jogando Bayonetta. Julguem-me!

Infelizmente, chegou em um ponto que fiquei completamente viciado no assunto. Procurava pela Internet a lista de troféus de cada jogo, colocava em um arquivo de texto, imprimia e colocava em uma pasta. Conforme ia ganhando os troféus da lista, ia grifando com uma caneta marca texto. A paranóia ficou tão grande que criei um padrão de marcar com azul os que eu conquistei, com rosa ou outras cores quando havia auxílio de outras pessoas. Fora que não deixava ninguém jogar jogos single player no meu perfil principal pra não pegar os troféus por mim.

A prova do crime. Mas eu abandonei essa pasta já, fiquem tranquilos.

Com o tempo percebi que aquilo tinha virado uma obsessão e tinha deixado de ser uma diversão. Eu ligava o console com o objetivo único de caçar troféus. Pergunto pra vcs: qual a graça disso? E o jogo em si? Este pensamento fez com que eu parasse e só olhasse a lista de troféus depois de ter jogado o jogo até o final e, se algum valesse a pena pelo desafio, eu o encararia ou tiraria o jogo da minha imensa lista de jogos pra terminar. E venho mantendo este comportamento desde então.

O que penso atualmente sobre a existência de troféus

Meus caros, eu não me tornei uma pessoa contra os troféus/conquistas. Eu acho que a presença deles é bem interessante, o conceito em si é muito bom e poderia trazer uma porção de vantagens para nós, os jogadores.

Primeiro que alguns troféus fazem com que os jogadores experimentes mecânicas que não utilizou e/ou outras formas de jogar os jogos. Isto acaba fazendo com que o jogador se interesse em conhecer mais do jogo, procurando seus segredos e extras, encarando novos desafios, conhecendo side-quests interessantes, entre muitas outras coisas que ele não veria se jogasse apenas o modo carreira do jogo e em linha reta.

Outro tipo de vantagem que os troféus podem trazer é o fato de calar a boca de muito mentiroso que sempre existiu no mundo dos games, que eram mais frequentes nas gerações passadas. Sabe aquele seu amigo que jura de pés juntos que terminou Yo Noid! ou Battletoads e nunca provou isso pra você? Se existisse um troféu para tais façanhas, daria pra acreditar nele. Sei que existem formas de burlar o sistema de troféus que faz com que todos sejam liberados, mas não entrarei neste detalhe, nem vale a pena discutir.

Acabando com as fraudes nos games!

Percebi ao longo do tempo que tem pessoas que detestam a existência das conquistas nos jogos, mas acho que quem possui esse sentimento é porque de alguma forma se importa com eles. Baseando-me nisso, chego a conclusão de que talvez as pessoas não odeiam o conceito em si. Se a pessoa simplesmente não ligasse para os troféus, não haveria sentimento algum, não é verdade?

O grande problema é que este conceito tem sido muito mal utilizado. As desenvolvedoras parecem não estar muito preocupadas em elaborar troféus interessantes para os jogadores e tem colocado cada vez mais troféus babacas de serem conquistados ou que exigem muito tempo do jogador de uma forma que ele vai adquirir jogando mecanicamente, e não demonstrando sua habilidade. Vou elaborar melhor mais pra frente.

Imagino que as empresas fabricantes de consoles exigem que as desenvolvedoras coloquem uma quantidade mínima de achievements. Sei que pelo menos existe um Gamerscore que cada jogo precisa atingir. O problema é que isso faz com que estas empresas cheguem em um ponto que são obrigadas a inventarem qualquer coisa depois que o jogo está pronto. É aí que surgem os troféus babacas ou exagerados demais.

Troféus dispensáveis

Estes troféus babacas e exagerados aos que me refiro são aqueles que são pura encheção de linguiça e/ou são forçados demais na lista de troféus do jogo, talvez para tentar aumentar sua vida útil. Da pior forma possível, na minha opinião.

Um bom exemplo de troféu bobo é o que eu me deparei enquanto caçava os troféus do jogo DJ Hero. O nome do troféu é “Props!” e para conquistá-lo você precisa assistir os créditos do jogo até o final. Sério, galera, só isso! Quem conquistou esse troféu com certeza fez como eu, deixou os créditos rolando enquanto foi fazer outra coisa. Se a idéia da produtora era forçar o jogador a assistir os créditos, acredito que não tenha sido pensado da melhor forma. E outra, quem conquista este troféu pode ficar orgulhoso disso? Ao meu ver, não.

Que troféu difícil, hein? Só esperar 12 minutos e alguns segundos de braços cruzados!

Existem troféus que simplesmente pipocam conforme o jogador vai se iniciando no jogo, e são outros que considero dispensáveis. Por exemplo, muitos jogos possuem troféu para quem completa o tutorial. O que é ridículo, pois tem muito jogador experiente já com determinadas franquias ou gêneros e que acabam se forçando a jogar o tutorial só pra aumentar mais um troféu na sua coleção virtual. Precisamos disso mesmo?

Querem outro exemplo? “Artist“, de LittleBigPlanet. Para desbloqueá-lo, basta colar um sticker no cenário, algo que o jogador pode fazer a qualquer momento. E eu volto a perguntar, precisamos de um troféu pra algo tão básico?

Parabéns por este troféu TÃO difícil!

Tem muito jogo que possui uma porção de troféus que, para serem obtidos, o jogador precisa jogar online. Eu não sou um jogador que curte jogar online, a não ser que tenha sido combinado com amigos, colegas e/ou conhecidos. E sei que não sou o único. Entendo que as empresas se preocupem em fazer com que os jogadores joguem online, sabemos que elas investiram no desenvolvimento deste modo de jogo. Mas tem muita gente que acaba combinando com outros jogadores uma forma de conquistar esses troféus mais rapidamente. Por exemplo, combinam de perder de propósito pra depois ganhar e ambos saírem com mais conquistas em suas coleções. E eu questiono: isso é diversão? Para mim, não. Uma atrocidade dessas está longe de ser considerado como “jogo”. Não tem disputa, não tem jogo. Simples assim.

Pra finalizar, tem muito jogo que possui troféus que você pode conquistar sem usar sua habilidade, apenas repetindo ações totalmente mecânicas se tiver tempo pra fazer isso. Algo que muitos jogadores que já possuem certa idade e responsabilidades não possuem. Um exemplo disso seria algo do tipo “matar trocentos soldados” no seu FPS favorito, sendo esta uma quantidade muito alta, que exige jogar do começo ao fim pelo menos umas três ou quatro vezes. Quer aumentar o tempo de vida útil do jogo? Faça-o divertido e prazeroso de ser repetido, não precisa apelar pra um troféu assim.

Os problemas da existência dos troféus

Vejo que muitas pessoas ficaram viciadas nos troféus e passaram a caçá-los como se fosse um esporte. Na minha humilde opinião, isso acaba com a diversão da jogatina, já que muitos ficam focados em conquistar esses troféus ao invés de curtir mais a estória e a jogabilidade dos jogos. Tudo isso pra aumentar o seu level na PSN ou seu Gamerscore na XBLA e esfregar na cara dos amiguinhos que ele é o melhor. E tudo como se essas estatísticas fossem o parâmetro mais adequado para medir isso.

Outro ponto, que eu já mencionei, são as pessoas que usam ferramentas feitas para desbloquear automaticamente todos os troféus dos jogos. Eu não sei e sinceramente nem faço questão de saber como isso funciona, então insisto em dizer que não vou me aprofundar. O ponto é que a pessoa está com tanta preocupação em estar com mais score que seus amigos que acaba deixando de lado todo desafio que envolve conquistar alguns destes troféus. E lá se vão alguns momentos de diversão por uma trapaça barata alimentada pelo narcisismo do jogador.

E o que acho que é o pior de todos os casos. Tem muito jogo sendo jogado por aí simplesmente pelo fato de ser facilmente platinado (para quem não sabe, conquistar todos os troféus garante um troféu de platina). Casos de jogos de personagens totalmente infantis (Barbie, Ben 10, etc) jogados por barbados que só querem aumentar seu status. Ou então de jogos de karaoke jogados por pessoas que detestam cantar. Já vi ou ouvi falar de diversos outros casos. Não que eu seja contra estes jogos, mas fica evidente que é o ego falando mais alto que a própria vontade de se divertir. Eu não acho que seja certo, mas cada um sabe o que o faz feliz, não é verdade?

E você só fica resmungando aí, seu velho Caduco. O que sugere para melhorar?

Penso que duas coisas poderiam ser feitas para pelo menos amenizar essa briga desnecessária de ego que acaba rolando online. A primeira delas seria existirem troféus padronizados por tipo de jogo e a segunda elaborar os rankings pelo jogo e não geral da rede. Eu explicarei ambos. Prestem bastante atenção, executivos da área dos games que visitam este blog.

Os troféus padronizados não seriam como uma obrigação, mas uma sugestão para que todos os jogos pudessem ser aproveitados ao máximo, havendo algum tipo de equivalência. Além disso, esses padrões poderiam ser diferenciados por gênero. Até porque não faz sentido as empresas padronizarem um troféu “Beat the game” e tentar aplicar isso num jogo de corrida, por exemplo. Mas poderia existir, por exemplo, um troféu “Beat the career mode” ou algo similar.

Para complementar, se os rankings de troféus/conquistas fosse elaborado por jogo (ao invés de um ranking geral da rede), tal como são as Leaderboards que aparecem em muitos dos jogos dessa geração, faria com que as empresas não fossem obrigadas a atingir um gamerscore ou número de troféus pré-estabelecido, dando liberdade para elas focarem no que acham mais importante pro jogo e evitando troféus bobos. Além disso, do ponto de vista do jogador, isso os forçaria menos a jogar jogos fáceis de platinar apenas com o objetivo de aumentar a coleção de troféus. Fora que tornaria a disputa pelo maior gamerscore um pouco mais justa, cada um disputa nos jogos que possuem e querem, já que hoje quanto mais dinheiro você puder investir em jogos, maior a chance de você estar na frente nessa briga narcisista. OK, concordo que do ponto de vista das empresas pode não ser tão bom, mas acredito que as forçaria a melhorar a qualidade dos jogos pra atrair os jogadores, ao invés de apelar pra uma lista de troféus fácil de conquistar ou qualquer outro artifício similar.

Bom, galera. É só tudo isso. Como sempre, me empolguei bastante escrevendo aqui. Agradeço a todos que tiveram a paciência de ler tudo, vocês merecem um troféu de platina!

E vocês? O que pensam sobre os troféus/conquistas? Gostam? Não gostam? Não ligam? Não conheciam? Deixem suas opiniões nos comentários, sejam elas iguais, parecidas ou completamente diferentes das minhas. É sempre bom saber o ponto de vista de vocês.

Grande abraço a todos e até a semana que vem!

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Assuntos Aleatórios, Assuntos... err... polêmicos e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

31 respostas para Troféus/Conquistas

  1. Ataliba disse:

    Muito interessante seu texto, parabéns!

    De fato os troféus são um tema muito interessante de abordar, nós íamos gravar um podcast em nosso blog sobre o assunto por sugestão de um caster que acha que os troféus prejudicam a industria… o cast acabou não rolando, mas por conta disso acabei pesquisando um pouco a respeito e é muito interessante ver os dois lados da moeda. A Nintendo por exemplo não tem! E acha que recompensa seus jogadores de uma maneira mais significativa dentro de seus próprios jogos de acordo com um dos chefes da empresa. Segundo ele não há sentido nem diversão o jogador se aventurar e se matar em prol de um número, um status off game, se ele pode se aventurar e se matar por um item ou uma cutscene ou algo que tenha um valor dentro do jogo e dentro da experiência real a que o game se propõe.

    A mim pouco importa como jogador, não dou importância, mas olhando como um game designer (que sou por formação, mas não por profissão) é um conceito muito interessante como foi citado no texto, pois dentre outras é a maneira que os desenvolvedores tem para agradar a seu publico mais hardcore, obviamente se os troféus são bem feitos, pensados e planejados para isso. Digo isso porque hoje o desenvolvedor pode fazer um jogo mais acessível em termos de dificuldade, mas com grande foco na experiência e depois de ter entregue essa experiência recompensar o jogador mais hardcore com as dificuldades dos troféus.

    Quando isso acontece é interessante, mas o fato é que muitas empresas não se importam com isso e por fim acabam criando troféus totalmente sem sentido e idiotas pela simples obrigação contratual com o console em questão, ou até mesmo steam no caso de PC.
    Enfim, acho um papo muito interessante para se desenvolver a um nível de industria, mas a mim como jogador é indiferente, pois eu não vejo muita graça e não dou a mínima.

    Bom texto, grande abraço!

    • Gamer Caduco disse:

      Ataliba, valeu pela presença, pelos elogios e pelo seu ponto de vista, que achei muito interessante.
      Acho que um cast sobre isso ficaria muito interessante, já que o cast de vcs é sempre polêmico por sempre ter opiniões bem variadas. Eu apoio, espero que role um dia.
      Não sabia desse ponto de vista da Nintendo, achei bem interessante o que eles tem como proposta (investir em recompensas in game). Eu sinceramente acho que prefiro dessa forma, apesar de gostar do conceito dos troféus.
      Entretanto, seu ponto de vista como game designer realmente faz todo sentido. Somado com o fato das empresas não se importarem, chega exatamente no ponto que está me incomodando. É bem legal a idéia deles focarem na experiência e depois recompensarem os jogadores com troféus difíceis e/ou divertidos, sem abusar de certos detalhes (como mencionei no texto), problema é que eu não vejo eles fazendo isso e todo jogo tem pelo menos uns 5 troféus bobos. Normalmente tem mais mesmo.
      Quem sabe na próxima geração não pensam um pouco melhor sobre o assunto? Eu espero que sim. Nessa eu acho difícil mudar alguma coisa, vai ser um jogo ou outro que vai recompensar os jogadores que curtem troféus com coisas significativas.
      Valeu Ataliba.
      Abraço

  2. João Roberto disse:

    E aeh, Caduco! Beleza?!

    Gostei do texto. Me ajudou. Explico.

    Como você sabe, eu tenho apenas o Wii, e não rola nada dessas coisas nele, mas tem um amigo meu, que toda vez que falo com ele, logo diz: “Consegui ‘X’ troféus”. Isso quando não fala “Platinei tal jogo!” E eu respondo: “Legal!”, mas não faço a menor ideia do que seja isso (agora sei, hehe).

    Ok, eu imaginava que seria algo em recompensa por realizar alguma tarefa, mas não coisas tão bestas quanto o tal DJ Hero e seus créditos.

    Não sei, pode até parecer dor de cotovelo, mas não achei tão interessante isso, não. Mas não consigo deixar de pensar agora no Resident Evil 2, láááááááá atrás, no começo do meu PS1, em que eu era obrigado a terminar um cenário e passar para o outro, e ficar no Leon, depois Claire… É, poderia ter sido interessante algo assim na época, mas como você mesmo deixou claro, precisamos disso?

    Se for para aumentar a vida útil de um jogo que você compra por quase 200 lascas, termina no primeiro fim de semana e fica se lamentando por ele durar tão pouco, fazendo a relação custo x benefício pesar na consciência, ai sim, pra mim, é muito bem vindo…

    • Gamer Caduco disse:

      Fala João!
      Valeu pelo comentário, que bom que o texto te ajudou a esclarecer alguns pontos.
      Infelizmente tem muita coisa besta que rola nos jogos, esse exemplo que eu dei foi um dos piores. Mas acredite, tem outros tão ridículos quanto, pena que não vem nenhum outro em mente pra eu usar de exemplo agora.
      Como não manjo nada de Resident Evil, não sei avaliar precisamente se valeria a pena a presença dos troféus que vc citou, mas da forma como vc disse parece que seria sim interessante. O duro é que, pra chegar nesses troféus interessantes, apareceriam outros só pra “cumprir tabela”. Tipo “mate um zumbi usando a arma X” ou qualquer coisa que uma hora ou outra vc ia acabar fazendo pra conhecer uma nova arma ou tentar uma nova estratégia.
      Sobre aumentar a vida útil, eu acredito que se fizerem jogos decentes que não sejam o jogo inteiro a mesma coisa, que tenha uma dificuldade balanceada ou que seja tão bom que acabe valendo o replay, não precisaria desses troféus. O jogo pode ser curtíssimo pra quem sabe jogar, mas tem que apresentar alguns detalhes de design que prenda o jogador por mais horas.
      Dando um exemplo besta, estou jogando Bayonetta no PS3. O jogo não é fácil, raramente vc encontra item de cura, se apanhar muito uma hora vai acabar morrendo. E se morrer, ele deixa uma marca bem estampada lá no final da fase dizendo quantas mortes vc teve (até no máximo 5) e isso acaba com sua nota no final do capítulo. Eu já quase joguei de novo um capítulo inteiro por ter morrido muito e ter ido muito mal, pq não entendi de primeira o que eu tinha que fazer pra derrotar certos inimigos. Mas não pq vale troféu ou algo assim, mas pq o jogo esfregou na minha cara de que eu fui muito mal. E eu achei isso uma decisão de design ótima. Compare com um God of War da vida, que vc morre, morre, morre e sempre volta mais ou menos perto de onde morreu e o jogo não te pune nada por isso, no máximo te pergunta se vc quer diminuir a dificuldade. Não considero que o jogo esteja tirando um sarro do jogador, mas sim que ele quer tanto que vc termine o jogo que ele até baixa a dificuldade pra vc.
      O DJ Hero 2 também tem um troféu idiota que me lembrei agora. É vc colocar a música mais difícil na dificuldade mais alta e falhar… sim… FALHAR! Tudo bem que tem um troféu pra se vc passar, mas pô, pra quê um troféu pra vc tentar e falhar? Que ridículo! Isso é recompensa?
      Enfim, é isso! hehe
      Valeu João!
      Abraço

      • João Roberto disse:

        Cara, é o fim da picada e a cobra foi embora pra nunca mais voltar… que besteira isso que eu escrevi, rsrs.

        Troféu por perder? Ah se Battletoads tivesse isso, eu teria mais troféus do que o Michael Schumacher… Ridículo isso. E se bem entendi se você juntar todos esse prêmios de consolação pode platinar um jogo? Que beleza, hein?

        Agora, eu tava dando uma olhada, não é bem os troféus que vc mencionou, mas o NBA Jam do Wii tem uns prêmios para determinada vitória, vencer por tantos pontos ou terminar o tutorial. É, acho que o Wii tem algo assim também. E no Amazing Spider-man tem uma parte que eu perdi as contas de quantas vezes eu morri, mas foram mais de 20 vezes e apareceu um selo me parabenizando pela persistência…

  3. Dactar disse:

    OBS:
    corrigir “Virtuai” em -Troféus dispensáveis-
    “…forçando a jogar o tutorial só pra aumentar mais um troféu na sua coleção virtuai.”

    Eu não tenho condições de criticar ou fazer qualquer tipo de análise positiva ou negativa sobre este tema porque ele foge completamente a minha experiência como gamer.Conheço a última geração de consoles,leio sobre,acompanho sua evolução,seus erros e acertos,mas não faço o principal:Jogar.
    Pouco joguei o PS3 e muito menos WII e tenho um pouco mais de contato com o XBOX,mesmo assim muito pouco,por isso meu comentário é assim…suave he he he.
    Caduco concordo 100% com seu texto,mesmo sem a experiência real de gameplay,eu concordei com a lógica interna dos seus argumentos.Lia cada parágrafo e pensava…”-é o Caduco tem razão” he he he,com exceção ao final que vc propõe alternativas e soluções,aí fica muito específico e eu não posso tomar uma posição,aí é por sua conta e risco Caduco ha ha ha.Mas no geral concordo com vc.Por exemplo,quando cita que ao invés de ter que matar Um Zilhão de Soldados o melhor seria melhorar a diversão e o prazer do game para aumentar o fator Replay do mesmo ou quando cita o Narcisismo do jogador,isso mesmo,tem jogador que não é um jagador é na verdade um viciado mesmo,cheio de problemas que acaba externalizando no jogo,ou melhor, na mania de conquistar coisas inúteis.
    Ri muito quando falou dos “Barbados” jogando Barbie e/ou Ben 10 só para platinar…ha ha ha…caraca isso existe mesmo?!
    No final do texto eu tomo um susto!!!
    -O que é isso Caduco eu ganhei um…Troféu de Platina?!Ha ha ha não deixa de ser irônico não?He he he.Bom,pelo menos esta conquista não foi inútil,seu texto ficou ótimo.

    • Gamer Caduco disse:

      Pô, revisei o texto pra caramba e mesmo assim passou um “virtuai”? Ficou até parecendo texto bíblico (não só pelo tamanho, né?)… hahahahaha!
      De qualquer forma, obrigado pela observação. Já corrigi o texto aqui.
      Cara, acredite… existe SIM muita gente que encara jogos completamente idiotas só pra conseguir mais troféus/conquistas pra coleção e esfregar na cara dos amiguinhos que ele tem mais. Tem muita gente platinando Hannah Montana (e eu nem sei como é esse jogo) por dizer que é o mais fácil. Tem outros: Megamind, UP!, Kung Fu Panda, Madagascar Kartz, entre outros jogos da Disney ou similares. E pensar que antigamente os jogos da Disney eram de certa forma difíceis.
      Se vc jogar na grande ferramenta de busca da empresa que quer dominar o mundo, vai encontrar algumas pessoas falando sobre os jogos mais fáceis de platinar. Eu só não sei como elas não se envergonham e vão tentar platinar um jogo difícil ou que pelo menos seja divertido pra elas e não uma busca pura por recompensas virtuais.
      Cedo ou tarde vc vai acabar se deparando com o conceito. Torço pra que, se for na nova geração, isso tudo esteja corrigido e que os troféus tenham um valor mais significativo.
      De qualquer forma, é muito gratificante saber que vc concordou com a lógica interna dos meus argumentos. Fico sem a impressão de que falei um monte de abobrinhas… hehehe!
      Valeu Dactar!
      Abraço

  4. Caduco, adorei o post! Só tenho contato com os troféus pelo Game Center do iPad. Quase todo jogo possui conquistas lá, mas eu sou um daqueles que nem abre para ver quais conquistas posso fazer. De qualquer forma, creio que os troféus e conquistas não contribuem para o fator replay dos jogos, até por conta dos problemas que você levantou no post. São tarefas cansativas e que muitas vezes não fazem sentido, e sequer oferecem alguma diversão ou desafio.

    As melhores soluções para aumentar o replay estavam no Super Mario World, na série Donkey Kong Country e até na trilogia do Crash Bandicoot, onde tentávamos fechar 100% ou mais do jogo encontrando passagens secretas, novas saídas de fase e itens escondidos. Aquilo sim aumentava o replay do jogo! E olha que tem muito jogo que nem precisa disso e possui um fator replay absurdamente alto!

    Abraços.

    • Gamer Caduco disse:

      Fala Adinan.
      Então, cara… as conquistas do Game Center do iOS e de alguns jogos de celular/tablet nunca me incomodaram. É engraçado que eu nunca dei a menor bola pra elas também, elas pipocam na tela e eu nem leio o que foi que desbloqueei.
      Concordo plenamente com o lance das melhores soluções de fator replay estarem dentro do jogo. Esses que vc citou são bons exemplos. Vale para New Super Mario Bros, tanto do Wii quanto do DS. E pro Super Mario 3D Land do 3DS. Engraçado que a grande maioria dos jogos citados são da Nintendo (ou pelo menos de franquias dela), o que acaba exemplificando bem o que disse o Ataliba no comentário dele.
      Ainda acho que troféu/conquista é um conceito bacana que pode sim aumentar o fator replay do jogo se forem troféus bem planejados. Não adianta forçar a pessoa a ficar na repetição. Teriam que ter troféus mais criativos, como por exemplo algo tipo “terminar o jogo sem ser visto” num Metal Gear da vida, ou “terminar o jogo sem usar armas”, sei lá. Seriam novos desafios pra quem curte muito o jogo e quer jogar ele novamente de uma forma diferente mas não tem idéia de como. Serviria como incentivo. Ou não, já que tem muita gente que ignora os troféus.
      Valeu Adinan.
      Abraço

  5. kanonclint disse:

    Tô quase platinando Infamous 2 Cadu, isso porque acabei de platinar o Soul Calibur 5 hehehehehe.
    Bom, sobre o tema, é bastante abrangente e gera até uma certa polemica.
    Vem ai mais um “biblic post” by KanonClint.
    Em primeiro lugar, acho o sistema de trofeus/conquistas absolutamente fantastico, por um simples motivo: Eles não são obrigatorios. Quem quiser caça-los, eles estão ai, quem não quer joga o jogo normalmente, eles não tem qualquer influencia na experiencia do jogo propriamente dito, é apenas mais um feature , nada mais.
    Minha historia com os trofeus tem uns dois anos mais ou menos.
    Tudo começou quando um amigo meu, que começou a jogar videogame na geração do Playstation 1, e que também tem o Playstation 3 platinou Final Fantasy XIII.
    Este amigo sempre foi uma especie de rival, e ainda que seu contato com os consoles da chamada “era de ouro” ( 8 e 16 bits ) fosse quase nulo, admito que ele é um grande jogador.
    Eu não ligava para troféus na época, mas ele sim.
    Um dia ele veio até minha casa para um almoço, ai depois ele me pediu para dar uma olhada nos meus troféus, e ai veio uma pergunta que para mim soou mais como um desafio:
    “Nossa , você tem o Playstation 3 a bem mais tempo que eu, e não tem NENHUMA PLATINA ??? ”
    Pronto……..contei até dez e disse para ele: ” Não acho que isso seja diferencial para apontar se um jogador é bom ou ruim, mas tudo bem então, vou ver se platino um.
    Eu tinha terminado Demons Souls a uns 2 meses, e apesar de achar o game SENSACIONAL , eu não o joguei uma segunda vez.
    Para que não sabe, Demons Souls é considerado um dos jogos mais difíceis dessa geração, e isso me instigou ainda mais para fazer deste game minha primeira platina.
    Eu tinha um save do new game + , pois como disse, tinha terminado o jogo uma vez. Vi alguns guias de troféus do game, e descobri, que se o jogo já era difícil, platina-lo era ainda BEM mais difícil,……pronto …. era a platina ideal para esfregar na fuça do meu ” amigo”.
    Só para se ter uma ideia, para conseguir essa platina, era necessário que eu termina-se o jogo pelo menos mais umas 3 vezes, com dificuldade crescente a cada playtrhough.
    No fim, além de uma agradável sensação de dever cumprido, eu constatei uma coisa muito mais importante que a própria platina: Eu estava com um puta jogo encostado em casa, o qual eu havia terminado uma unica vez, mas que tinha MUITO, mas MUITO conteúdo ainda inexplorado por mim.
    Graças a esta caça à platina, eu desfrutei do jogo em sua plenitude, e constatei o quão grandioso era aquele game.
    Assim, eu constatei que platinar jogos, também tem haver com o fato de aproveitar o jogo de forma completa, e não apenas a campanha principal.
    Alem disso, os trofeus ajudam os games a venderem mais. Será que se alguns relançamentos não tivessem esse feature, eles venderiam mais??? Acho impossível .
    Desde então, eu me proponho a platinar estritamente os games que mais me agradam, e não aqueles que tem troféus fáceis como Terminator Salvation, e Hanna Montana por exemplo, só pra ficar me exibindo. O que vale mais que a platina, é o game que você platinou.
    Na teoria, uma platina de Ben10 , tem o mesmo peso de uma platina de Ninja Gainden Sigma 2, mas NÓS , gamers de fato, sabemos que não é bem assim. Nesse caso, uma platina de Ben 10, pode até ser constrangedora para seu dono, ao passo que uma platina de Ninja Gaiden Sigma 2, é motivo de aplausos e porque não até de admiração, pois trata-se de um feito realmente para poucos.
    Bom, pra fechar, eu acho que os troféus estão ai para quem quiser, quem não quiser, joga os games como quiser.
    Cadu, to pensando em platinar o Ninja Gaiden 2 cara, o preço tá bem em conta, e o melhor, o jogo é muito bom.
    O convite tá feito Cadu. se quiser me ajudar nas team missons , é só avisar hehe

    Abração cara !!!

    • Gamer Caduco disse:

      HAHAHAHA!
      Pô, KanonClint, já começa o comentário me chamando pra briga de troféus justamente neste post? Aí é sacanagem, hein? kkkkk
      Digamos que eu também acabei me viciando em troféus por causa de mensagens que pareceram desafiadora de amigos, não tranquilizei enquanto não ultrapassei todos que falaram alguma coisa… hahahaha!
      Pelo visto a história de todo mundo que começa a caçar troféus começa assim. Tem que ter adversários pra ter disputa, né?
      Enfim, eu ainda não joguei Demon’s Souls, sinceramente nem cheguei a ver video nem nada. Mas tenho muita curiosidade pra conhecer ele e o Dark Souls, ainda mais por todo mundo dizer que é o jogo/série mais difícil dessa geração. E se vc platinou esse, vc tá de parabéns!
      Inclusive acho que vc levantou um ponto de vista interessante com seu comentário, que foi que isso te incentivou a rejogar o jogo. O fator replay funcionou nesse caso. Só que eu imagino que os troféus dele não sejam apelativos ou bobos demais, devem ser tarefas que devem precisar de habilidade pra conseguir e não ficar amassando botões por horas e horas sem pensar no que está fazendo. Estou errado? Imagino que não, e se realmente não estiver, está aí um caso de troféus bem planejados, algo que eu valorizo bastante. Não vou conferir as listas pra não ter nenhum spoiler, ainda vou encarar estes jogos! Mas se tiver troféus bobos pode responder que não tem problema… hehe.
      Sobre as vendas, eu acho que venderiam mais sim se fossem relançados com troféus ou se fossem colocados troféus no jogo. Cheguei a trocar jogo por não ter troféu e acredito que todo mundo que goste dos troféus também devem ter feito o mesmo. Vi alguns comentários em redes sociais de pessoas que vão (re)jogar o Metal Gear por causa dos troféus lançados esta semana.
      Fechou seu comentário com chave (ou troféu?) de ouro: “eu acho que os troféus estão ai para quem quiser, quem não quiser, joga os games como quiser.”. Isso é uma grande verdade, não adianta ficar de “mimimi odeio troféus mimimi”, videogame é entretenimento, as pessoas as vezes passam nervoso demais discutindo ao invés de se divertirem.
      Ninja Gaiden 2 é difícil? Esse eu nem cheguei a ver. Se ele for como os jogos clássicos, deve valer a pena. Tem team missions? Parece interessante.
      Valeu pelo “biblic post”!
      Abraço

      • kanonclint disse:

        Em relação ao games, Demon´s e Dark Souls , uma coisa eu devo frisar: Trata-se de dois dos jogos mais difíceis DESSA geração.
        O fato, é que para um jogador que teve sua formação gamistica, forjada em jogos dos consoles de 8 e 16 bits, os games citados acima teriam uma dificuldade eu diria “normal”.
        O que acontece, é que até os jogadores mais veteranos acabaram ficando meio que mau acostumados com as facilidades que só aumentaram desde o fim daquela época.
        Soma-se a isso, a inclusão de alguns jovens jogadores, e pronto …….esta ai o jogo mais dificil dos ultimos tempos.
        Na minha opinião, existe um certo “exagero” .
        Em relação aos troféus, não me lembro de nenhum com objetivo “ridículo” não, ao contrário. Pelo menos nestes games, os troféus são bem bolados, mas também BEM trabalhosos.
        Quando for encarar os games uns avisos apenas:
        1- Ou voce vai amar, ou vai odiar
        2- São jogos muito, MAS MUITO trabalhosos
        3- Prepare-se para morre MUITO, mas MUITO mesmo
        4- Sua vida social pode ser GRAVEMENTE afetada

        • Gamer Caduco disse:

          Ah sim, imagino que sejam dessa geração. Nem quis comparar com as gerações passadas onde o desafio era sem dúvidas maior.
          Só que eu tô na dúvida se vou encarar mesmo eles, fiquei meio preso em uma parte do Bayonetta e acabei meio que largando o jogo por não conseguir passar. Fico imaginando o que não vai acontecer com Dark/Demon’s Souls! hehehe
          Sobre os troféus, se eles são bem bolados e trabalhosos, parece ser um desafio bem interessante também. Aí sim é o caso onde os troféus acabam aumentando a vida útil do jogo pelo desafio proposto por ‘fatores externos’, sem ter que fazer coisas bobas. Aí vale muito a pena.
          E eu fiquei com medo do item 4! huauhahahuahu
          Valeu Kanon!

  6. Willi Weiss disse:

    Eu acho que os troféus são algo simplesmente desnecessário. Minha opinião sobre eles vem do modo como eu jogo: gosto de jogar apenas para me divertir e me descontrair, não gosto de cumprir objetivos extras, nem nada do tipo. Antigamente, dos 8 aos 16 bits, a maioria dos jogos tinha apenas a “linha principal” e a gente completava eles várias e várias vezes. Hoje em dia os jogos tem diversos modos de jogo e extras, e não temos paciência nem de zerar a campanha duas ou três vezes… sabem por que? Porque naquela época completávamos o jogo por puro prazer e diversão, porque queríamos. Hoje, é o jogo que quer que o completemos, pedindo isso através de troféus que exigem o “zeramento” várias vezes. E como tudo que é mandado não é prazeroso, acaba se tornando maçante.

    Eu particularmente não gosto dos troféus, e no meu PS3 procuro nem olhar pra eles, procuro ignorá-los, porque se abro o Trophy Set de um game e vejo as coisas insanas que eles pedem, já me dá nos nervos. Eu acho que se as desenvolvedoras querem que seus jogos sejam jogados mais tempo, tem é que fazer jogos divertidos e bons como antigamente, e não impôr ordens de zerar o jogo aos jogadores. A “ordem” que o jogo nos dá para zerá-lo mata toda a diversão, todo o prazer em terminar a aventura. Nos 8 e 16 bits terminávamos a aventura porque o jogo era divertido e porque queríamos, diferente de hoje em dia, onde diversão é um privilégio para 3 em cada 10 jogos.

    • Gamer Caduco disse:

      Fala Willi, tá sumido, cara! Que bom que reapareceu! 🙂
      Sabe que vc disse algo muito interessante no seu comentário que foi “tudo que é mandado não é prazeroso”. Rapaz, é uma grande verdade! Nunca tinha feito a ligação disso com jogos, mas faz sentido que algumas pessoas ignorem os troféus por conta disso. Acho que esse motivo também ajuda as pessoas a odiarem tanto os tutoriais… hehehe! E, no meu caso em particular, tem troféus que me nego a conquistar sem saber pq e essa teoria explicaria muito bem.
      E eu concordo totalmente com o que vc disse sobre como a empresa deve fazer pra segurar um jogador no seu jogo por mais tempo: faça-o divertido! Parece que ninguém mais está preocupado em fazer o design de um game baseado em jogar na cara do jogador que ele não é capaz de passar pelos trechos do jogo. Acabam usando textos (dos troféus) para desafiá-los. Será que é a melhor maneira mesmo? Penso que não. Vamos torcer pra que na próxima geração isso seja melhor pensado, nessa acho que não tem mais solução.
      Valeu Willi, continue aparecendo!
      Abraço

      • Willi Weiss disse:

        Fala Cadu! Pois é, ando meio sumido e o Point tá criando teias, kkkkkk. Coisa da escola, preciso dar uma estudada a mais. Mas não parei agora nem jamais pararei minhas atividades na internet, pode deixar que na medida do possível, mesmo que eu não atualize meu blog, leio e comento nas matérias de vocês.

        Grande abraço Cadu!

        • Gamer Caduco disse:

          Putz, fase corrida da escola é complicado, eu sei bem como é. Mas é importante continuar priorizando as atividades pessoais, as atividades de Internet aos poucos vc vai resolvendo quando interessar.
          Mas ainda aguardo os posts lá no Point, hein?
          Abraço e boa sorte aí!

  7. Meu contato com troféus/conquistas é praticamente nulo, só fui ver na prática recentemente quando eu comprei o Indie Humble e rodei no Steam. E o que você disse é fato, no Limbo por exemplo eu ganhei um troféu por ter ido pro lado errado da fase no começo do jogo: POR TER IDO PARA A ESQUERDA AO INVÉS DA DIREITA! Isso realmente é muito “paia” 😦

    Na minha opnião, os troféus deveriam resgatar algo que era muito comum nos jogos antigos e que quase não existe hoje, que é o lance de te recompensar por coisas realmente difíceis. Hoje pra habilitar um personagem em jogo de luta é só gastar alguns dólares, mas pelo menos coloca um troféu do tipo “‘zerou de perfect’ todas as lutas no ‘very ultra hard'” ou “achou 100% dos itens”, que seja.

    • kanonclint disse:

      Mas esses objetivos que você citou por ultimo existem Rafa, e são a maioria. Se você possuí o PS3, ou Xbox360 você sabe.
      O que rola, é que a galera que não curte, ou no seu caso, não tem contato, tendem a achar que TODOS os troféus são ridículos, o que na verdade é um GRANDE equivoco.
      E isso é uma coisa que acontece muito, o pessoal não tem conhecimento das coisas e sai criticando, pegue a lista de troféus do Demon’s Souls, e veja se existe algum objetivo ridículo ali.Objetivo ridículo no geral existe ???? Sim existe, mas em maior proporção existem os troféus de grande desafio.
      Outra coisa, li o pessoal comentando que os produtoras deveriam ao invés de investir em “troféus ridículos” , deveriam investir na diversão dos games,…outro equivoco.
      Troféu, e Conquistas, são coisas impostas pela Sony e pela Micro$oft, as produtoras só acatam essa imposição.
      Troféus e conquistas, em nada influenciam na experiencia do jogo propriamente dito, é um feature feito para “estreitar” o relacionamento dos usuários com a sua comunidade, na caso PSN ou XLive, apenas isso.
      Até mesmo a “santificada” Nintendo já afirmou que trara um sistemas de Conquistas/Troféus para seu novo console, o WIIU, seriam cogumelos, ou cascos de tartaruga ??? XD ,sera que realmente é algo “desnecessário” ???
      Além disso como citei, esse feature aumenta o volume de vendas dos jogos.
      Honestamente não sei aonde isso pode não ser legal.

      • Hum, acho que não me fiz entender muito bem. Eu não tenho nenhum dos gêmeos HD e Steam só vai rolar de verdade pra mim quando sair a versão para Linux, então não é que não goste de troféus/conquistas, é que realmente nenhum console que eu tenho tem esse sistema. E a minha crítica foi aos troféus ridículos apenas, enquanto o que eu disse que deveria ser não diz que não existe no mercado e sim que é o que deveria ser sempre. Você deu exemplos específicos, mas sabemos que nem sempre é assim, há muito “desperdício de energia” em muitos jogos por conta disto, imposição das fabricantes ou não.

        Sobre não influenciar na experiência do jogo eu discordo, se está lá no jogo então faz parte dele. É como as sidequests de um RPG, você pode até ignorá-las, mas elas estão lá como conteúdo. Fora que eu particularmente me sinto insultado intelectualmente (ui, rzs) quando aparece que eu ganhei uma parada tipo essa que eu falei de Limbo.

        Troféus/Conquistas aumentarem o número de vendas? Talvez, mas creio que isso tenha um impacto muito pequeno atualmente, não vejo esse peso na decisão de compra de alguém, uma boa lista de troféus/conquistas, mas de fato agrega conteúdo.

    • Gamer Caduco disse:

      Esse troféu do Limbo eu peguei também, na verdade tem um troféu pra cada uma daquelas luzes que vc encontra, não achei que estes troféus sejam exatamente bestas pq algumas dessas luzes estão muito bem escondidas. Talvez o nome do primeiro não ajudou muito.
      Existem troféus mais bem bolados como estes que vc mencionou. Mas, infelizmente, não é a maioria dos jogos que fazem isso, tem muita empresa que coloca só pra cumprir o contrato com a Microsoft ou a Sony, então a gente vê umas atrocidades.
      Parece que o Xenoblade possui achievements internos, se um dia vc for jogá-lo no Wii, pode ser que te empolgue um pouco pra quando vc tentar outro console da geração (ou se o Wii U também possuir e vc um dia tiver na coleção também).
      Valeu!

      • Ei, eu tenho Xenoblade, só que to deixando ele pro final da fila porque ele é enorme, rzs. Mas esses dias eu tava matudando, e o meu problema é que atualmente a não ser que algo altere o final do jogo (como os 100% de Metroid Prime) eu não tenho vontade nenhuma de procurar. To jogando Donkey Kong Country Returns e a única coisa que estou fazendo questão é abrir todas sa fases, os Time Attacks e peças de quebra cabeça não to nem esquentando. Creio que com troféus/conquistas seja a mesma coisa, só animo se eles fizerem alguma diferença real no jogo.

        • Gamer Caduco disse:

          “… que algo altere o final do jogo” pode ser algo que faz acrescentar algo na estória, cutscenes a mais ou algo do gênero? Ou é só o final mesmo?
          Recompensas “in-game” realmente fazem muito mais sentido que a guerra narcisista dos troféus/achievements. Apesar que acho que alguns acrescentam bastante na jogabilidade e te faz descobrir coisas novas e legais. O DKC eu não joguei nem os de SNES, e sei que ele é cheio dos coletáveis. Esses nem sempre me empolgam, acho que depende do jogo (aquele lance de pegar as Star Coins nos Mario atuais por exemplo eu faço).

  8. Pingback: Maratona Sonic: Sonic the Hedgehog (Mega Drive) | Gamer Caduco

  9. João Roberto disse:

    Fala, Cadu!!

    Olha eu aqui de novo. Eu não pensei que 2013 seria tão puxado, com tão pouco tempo pra escrever e acompanhar meus sites favoritos, mas já tem uns dias que eu queria voltar à este texto…

    Primeiramente, esqueça aquela besteira que eu escrevi obre o Wii…

    “Segundamente” rsrsrs – Como você sabe, eu comprei um PS3 e com ele entendi o que são os troféus. Eu não tenho tantos jogos para disputar com ninguém, mas também não é meu intento. Eu já vi algumas coisas idiotas como “PEGAR FEZES COM AS MÃOS” em Duke Nukem Forever, ou Melhorar as armas em God of War Origins (coisa que eu faria de qualquer jeito). Neste caso eu acho que a tal obrigação da inclusão de troféus que você mencionou é mais gritante, já que se trata de um jogo (2 na verdade) para PSP que originalmente não tinha troféus…

    “Outro tipo de vantagem que os troféus podem trazer é o fato de calar a boca de muito mentiroso que sempre existiu no mundo dos games, que eram mais frequentes nas gerações passadas. Sabe aquele seu amigo que jura de pés juntos que terminou Yo Noid! ou Battletoads…”

    Eu ainda não platinei nenhum jogo, mas não é por incompetência (tá, talvez um pouco) , e sim por falta de tempo. Adorei Batman Arkham Asylum, o jogo é sensacional, quero jogar as sequências, mas depois de terminar a história principal não me vejo tentado a voltar e fazer tudo de novo. Pelo menos não agora. Não sou um jogador compulsivo que tem que descobrir tudo que tem no jogo, derrotando o chefe e vendo o final do game já está bom pra mim. E nem precisa ser na dificuldade mais alta. Um exemplo disso é o Final Fantasy XIII. Tirando o Final Fantasy Tactics do PS1, que eu joguei até o fim com minha esposa, e o Crisis Core Final Fantasy 7 que eu travei no Genesis Evolved, nunca fui muito longe em jogos da franquia, mas o 13 eu queria jogar. Achei o jogo lindo, normal da série, e bacana o sistema mais linear, sem enrolação, mas a obrigatoriedade de, a cada dois passos assistir a vídeos de 10 minutos enche o saco. Não sei para quê tanto vídeo e pouco jogo. Aí não tem troféu que me faça jogar.

    Enfim, não sou narcisista, não quero jogar tudo a todo custo, só me divertir. Mas o que me fez voltar à este texto foi um atitude que tive com meu primeiros jogos. Quando vi meus primeiros troféus pipocarem na tela e pude compartilhá-los no Facebook, achei muito legal, mas eu tenho aqui 2 jogos sem troféu algum: Fight Night Round 3 e Gran Turismo 5 Prologue. Este último emprestado, e eu quero comprá-lo, mas quando vi a ausência de troféus torci o nariz. Foi quando bateu um momento de lucidez: Com tão poucos jogos que tenho, vou deixar de jogar um jogo apenas por não ter troféus? Não é bem por aí…

    Pensando bem, troféus são um adicional bacana aos jogos, mas nem de longe são mais importantes do que o game em si. Talvez a coisa toda devesse ser melhor pensada, como você mencionou, mas parece que tudo deve descambar de vez, já que até emuladores de Snes e Mega Drive têm seus troféus. Falando nisso, você já conseguiu seus achievements jogando Sonic 2? kkkkkkkkkkkkkkkk

    De novo, muito bom o texto, que agora entendi de verdade, rsrs

    Agora quero ver se tenho mais tempo pra jogar e visitar o sites que sigo…

    Chega! Escrevi demais…

    T+

  10. Pingback: Aniversário de 3 anos do Gamer Caduco | Gamer Caduco

  11. Pingback: Review: Shinobi (3DS) | Gamer Caduco

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s