Pecados Gamísticos: Mega Drive

Olá caríssimos pecadores leitores, como estão?

Chegou o momento de confessar os meus Pecados Gamísticos daquele que eu humildemente considero o melhor console de todos os tempos, o Mega Drive.

Estou aproveitando duas coisas para revelar esta lista pra vocês: primeiro que recentemente terminei Phantasy Star IV, um dos jogos que considerava como pecado gravíssimo do console, principalmente por ser fã do original lançado para Master System; e segundo que o lançamento do Mega Drive Mini está bastante próximo, acaba se tornando mais um motivador pra encarar a lista algum dia (ou uma ótima desculpa pra eu gastar dinheiro em um trocinho desses sem muita dor na consciência, só no bolso mesmo).

Aliás, o que dizer da lista abaixo? Não tem o que dizer. Desde que entrei para o lado azul da força na guerra dos consoles eu pude conhecer uma porção de jogos espetaculares, mas acabei deixando passar alguns que muita gente considera como grandes clássicos imperdíveis e que devem ser jogado por todos.

Dito isso, tomem um calmante, larguem suas pedras longe de vocês e preparem-se para sentir vergonha alheia como nunca sentiram antes. Lá vem a lista:

Shining Force I e II

Sou um grande fã de jogos táticos, os conhecidos como RPGs de quadradinhos. Não a toa, meu jogo favorito de todos os tempos é Final Fantasy Tactics. O duro é que o jogo da QuadradoMacio SquareSoft foi o primeiro do gênero que joguei. O que eu não sabia até então é que o meu amado Mega Drive tinha já uma série de jogos do gênero muito cultuada pelos fãs do gênero, um tal de Shining Force.

Só que eu só fui tomar conhecimento deles depois de adulto, depois que passei a seguir blogs. Meu único contato com a franquia é através dos posts de vocês. Vergonhoso, não?
Preciso muito corrigir isso e colocar pelo menos para experimentar algum dia. Meu receio é gostar demais e ficar horas e horas jogando. Tenho certeza que vai acontecer.

Pier Solar and the Great Architects

Eu sei, eu sei. Pier Solar foi lançado em 2010, muito tempo depois do Mega Drive ter sido descontinuado oficialmente. Talvez não devesse aparecer nesta lista, já que o console tem tantos clássicos importantes. No entanto, tem uma razão dele estar aqui.

Comprei este jogo quando foi anunciado o segundo reprint dele, lá pra 2011, 2012, nem me lembro mais. O jogo demorou uma eternidade para chegar, quando chegou eu botei ele no console duas vezes e nunca mais. Botei na minha cabeça que o jogaria depois de comprar um SEGA CD, pois é possível jogá-lo ouvindo as músicas do CD ao invés das presentes no cartucho. Parecia algo legal de se fazer. O chato é que o SEGA CD tá custando muito caro desde sempre. E sabem como é, né? Leitores de CD sempre dão problema, é muito difícil confiar em gastar uma grana lascada em algo que já tá capenga e que pode me deixar na mão em pouco tempo.

Vou tomar vergonha na cara e jogar ele do jeito normal. Posso apelar pra versão HD, mas o bacana mesmo seria jogar no Megão. De alguma forma prestigiar o trabalho da Watermelon!

Aliás, cadê o Paprium, hein Watermelon? Estou esperando o meu até hoje.

Gunstar Heroes

O quê? Você se diz fã da SEGA, se diz fã do Mega Drive e nunca jogou Gunstar Heroes?

Pois é, caro julgador leitor, eu só encostei nessa joia uma única vez na vida, literalmente. Naquele esquema de “xô ver como é essa bagaça aqui”, aí passa a primeira fase e manda um “legal, vou jogar pra valer algum dia”. E nunca mais encostei nele.

A verdade é que este é mais um caso que só soube da existência depois de velho, depois de passar a ler blogs. Despertou um baita interesse, mas por alguma razão eu ainda não tentei ele pra valer. Talvez minha preguiça de jogar no PC seja influência. Algum dia vou botar ele no Raspberry Pi e jogar pra terminar, sem dó. Ou quem sabe no Mega Drive Mini?

Aliás, este jogo está presente na lista do primeiro post de Pecados que fiz, junto com o Phantasy Star IV que eu mencionei no comecinho do post.

Pulseman

De todos os jogos que os sites/blogs da Internet me apresentaram, esse aqui é o que mais desperta minha curiosidade. Eu acho que li reviews de Pulseman em três ou quatro sites diferentes já e todos falam muito bem do jogo, que é uma joia desconhecida do Mega Drive, etc etc etc.

Agora, sabem o que é engraçado? Eu nunca coloquei ele pra rodar em lugar nenhum. É inexplicável. E olha que eu prometi nos comentários de todos esses posts que li que iria jogar este jogo em um futuro próximo. Vão ver se algum desses posts não faz pelo menos um ou dois anos que foram colocados no ar.

Que vergonha, senhor Caduco, que vergonha.

[UPDATE (20/10/2019)]: Acabei colocando Pulseman pra experimentar, me empolguei e joguei até o fim.

Castlevania: Bloodlines

Vocês que leram o post sobre os meus Pecados no NES devem se lembrar que meu primeiro Castlevania foi o Symphony of the Night e que eu quase ignorei o restante da série, salvo Lords of Shadow que eu gosto bastante (lidem com isso) e o primeiro que saiu pra PS2 (joguei pouco ele e odeio com todas as minhas forças, que jogo chato).

Meio óbvio então que Bloodlines passou batido pelas minhas aventuras gamísticas, correto? Bem, eu experimentei o Bloodlines numa época distante, outro que acabei deixando para o futuro que nunca chega. Preciso perder essa mania, gente. Socorro!

Sei que o jogo tem bom desafio e é interessante por um bocado de motivos, então não poderia deixar ele de fora da minha lista pecaminosa. Vou dar atenção a ele algum dia. Prometo a mim mesmo. Vocês ficam de prova.

Rocket Knight Adventures

Caramba, eu lembro de ver esse bicho em revistas da época. Lembro de ver imagens, elogios e tudo mais. Lembro de ver elogios da galera da Internet também. Como não despertar alguma curiosidade pelo jogo, especialmente o primeiro que é exclusivo do Mega.

Acho que é suficiente pra colocar num emulador e sair jogando, certo? Pois é, e eu só fui fazer isso a primeira vez em 2018, no Raspberry Pi. Só que mesmo assim eu joguei um pouco, senti que o jogo não era nada fácil e coloquei naquela lista eterna de “um dia eu jogo ele pra valer”.

Foi mal, Konami. Eu vou jogar ele sim, algum dia na vida. O jogo é bem bonito e desafiador, merece muito estar nessa lista aqui.

Contra: Hard Corps

Se até pouco tempo atrás eu não tinha jogado Contra nem do Nintendinho, que dirá encarar uma pedreira dessas no Mega Drive. Não que eu tenha visto na época ou que eu soubesse da existência dele antes da popularização de emuladores e ROMs. Eu vi sim e me parece ser um belo jogo. E difícil também. Só que eu literalmente nunca joguei ele. Mesmo. Tem explicação?

Isso me lembra que eu joguei um pouco foi o Hard Corps: Uprising no PS3, em algum momento da história ele ficou gratuito na PS Plus. Não tentei jogar ele a sério, mas vou. Então parece que tenho dois desafios enormes pela frente. Por enquanto vou manter a promessa pro de Mega, já que é o foco do post aqui.

Se eu vou conseguir terminar é outra história, provavelmente ele vai sair da lista aqui e vai entrar na lista de Algozes do console. Confere, produção?

Wonder Boy in Monster World / Mônica na Terra dos Monstros

Engraçado, eu não sabia da existência de um jogo da Mônica para o Megão até encontrar a ROM dele por acaso, lá no começo dos anos 2000. Aliás, nem sabia que tinha um Wonder Boy para o console, devo ter descoberto isso  na mesma época que soube que os jogos da Mônica para o Master eram ROM hackings e não jogos feitos do zero.

Aí entra a parte xarope da história: nunca me empolguei pra jogar uma possível continuação no console de 16 Bits porque levei muito tempo pra terminar o Turma da Mônica em o Resgate (ou Wonder Boy The Dragon’s Trap). Fui fazer isso em 2018, no Switch, a versão remasterizada.

Com o relançamento do cartucho da Mônica de Mega aqui no Brasil, aí bateu a vontade de jogar. Acabei comprando e me comprometi a jogar até o fim. Só não consegui encaixar o jogo na minha lista ainda, mas vou fazer e não vai demorar muito. Espero.

Chakan: The Forever Man

Sei que este jogo é controverso em opiniões: há quem ame, há quem odeie. Agora o que é inquestionável é que este jogo era muito citado em revistas. Ou sou eu que lembro de ter visto bastante. Ou talvez eu tivesse a revista que fala dele e a lia muito. Vai saber.

Querendo ou não, esse jogo é bem conhecido entre os jogadores do Megão. Agora perguntem: o Caduco jogou este jogo? Claro que não! Mas nem pra conhecer? Tá, tá bom, talvez uma vez ou duas, mas eu não me lembro de nada dele.

Independentemente dele ser difícil, sacana e sei lá mais o que, me sinto na obrigação de jogá-lo algum dia. Mas jogar mesmo, pra ver até onde chego em alguns dias de jogatina.
Não prometo nada, mas quero fazer esta tentativa. Não acho que seja um dos maiores pecados aqui, mas não deixa de ser um.

Mega Man: The Wily Wars

Lá pra meados de 2012 eu me tornei fã assumido da franquia Mega Man depois de terminar o terceiro jogo do NES e criar uma seção dedicada a uma espécie de diário de bordo das minhas experiências com os jogos do Blue Bomber.

Aí que eu sempre escutava falar do Mega Man no Mega Drive e não colocava pra experimentar. Resolvi fazer isso em algum momento deste ano, usando o emulador do PSP para a tarefa. Comecei com a versão europeia e fiquei assustado com a velocidade do jogo. O negócio é tão lento que eu senti que dá até pra usar como treino pra identificar como derrotar os Robot Masters dos jogos inclusos nele (não façam isso, é sacanear demais).

Então fui experimentar a versão japonesa. Quando comecei a me empolgar com ela, o emulador travou e eu descobri que ele não gravou o meu progresso (não, não save states, o cartucho tem sistema de saves, pra quem não sabe). Alguns meses mais tarde o mesmo aconteceu com Phantasy Star IV, descobri que era bug do emulador que eu uso. Enfim, isso me fez largar o jogo e deixar pra jogar mais pra frente. E eis o motivo pelo qual ele se encontra nesta lista.

Quem sabe eu não descolo o Mega Mini e jogo nele mesmo? Pelo menos lá deve funcionar tudo direitinho.

Pior que agora eu me dei conta que fora isso eu não joguei até o fim nenhum Mega Man em 2019. Pior, ano passado terminei o 6 e nem escrevi o texto sobre isso. Vergonhoso! Eu já fui uma pessoa melhor.

Shinobi III: Return of the Ninja Master

Eu tenho um bloqueio mental que me persegue desde sempre. Não consigo jogar uma continuação de um jogo que nunca joguei ou terminei. Este tipo de coisa, inclusive, acontecia com Mega Man. Só perdi o bloqueio com a série quando um amigo sugeriu outra ordem para seguir, já que eu não conseguia por nada terminar o primeiro. E então comecei do 3. O mesmo fiz com Ninja Gaiden no ano passado (joguei até o fim apenas o 2 até hoje).

Por falar em ninjas, com Joe Musashi o bloqueio veio com tudo e fiquei segurando Shinobi III enquanto ainda sofria pra terminar o II por anos. Muitos anos. Lembram que ele era um Algoz Gamístico meu até o ano passado? Então.

Até me lembro de experimentar o jogo, mas aí veio o bloqueio e eu fechei a ROM antes de continuar porque precisava terminar o II antes. Que besteira! Que trava mental estúpida! Deve ser algum tipo de transtorno isso, não é possível.

Pior que mais de uma pessoa me disse que este jogo é muito mais fácil que o II. Vou ver se jogo ele de uma vez e me redimir deste pecado.


E por falar em lista de Algozes, ficam como menções honrosas boa parte dos jogos que estão naquele post. Strider e Streets of Rage 3 principalmente. Devia já ter dado mais atenção para estes jogos depois de velho, depois de ter adquirido talvez uma maior maturidade em jogos difíceis e ter talvez mais paciência e persistência para terminá-los. Quem sabe?

É isso, galera!

O que acharam da lista? Sofreram muito? Querem me matar? Ou compartilham de uma ou outra destas vergonhas? Não fique tímido(a) aí e compartilhe a sua lista de pecados do Mega também. Eu sei que você tem uma!

Nos vemos no próximo post, provavelmente volta a Maratona Sonic por aqui.

Obrigado pela leitura!

Abraços.

Anúncios

Sobre Gamer Caduco

Menino novo, com mais de 30 anos de idade, fanático por games de todas as gerações.
Esse post foi publicado em Jogos, Mega Drive, Pecados Gamísticos, Sega e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Pecados Gamísticos: Mega Drive

  1. celsoaffini disse:

    Por quê alguém te mataria, meu caro Caduco… Todos perderam alguns jogos de algum console, ainda mais na época do HYPE. Saia um novo console, praticamente era o fim pra ele, pois muitos já ficavam salivando pelo próximo console.
    Desses jogos ai que você menciona, Pulseman, Turma da Monica e Megaman eu nem cheguei a ver na época, ainda no meu caso tem o RISTAR que fui jogar anos depois, não se acanhe não, se todo mundo joga-se todos os jogos de uma geração toda, que seria meio estranho.
    Abraços!

    • Gamer Caduco disse:

      Então Celso, sabe como é a comunidade de fãs, né? Pessoal não para pra pensar em tudo isso que vc falou e mais nas coisas da vida que a gente normalmente não menciona, mas que tira todo nosso tempo! haha
      Aí só vem pedrada! Do tipo “como vc se diz fã do Mega e [não gosta | nunca jogou] ______ ?”.
      Então já deixei o texto com uma porção de escudos levantados! kkkkk
      E vc tem total razão, impossível conhecer tudo de uma geração. Nem se a gente dedicasse 100% do tempo pra isso, sem dormir, sem comer, sem tomar banho, sem nada… haha! Pior ainda: tiraria a graça! É sempre bom conhecer uma coisa “nova”, por mais antiga que seja.
      Valeu Celso!

  2. smariobr disse:

    Pô cara, alguns desses até eu já joguei!
    Castlevania Bloodlines joguei no emulador . tinha uma matéria sobre ele em uma revista Videogame, mas até então eu nem tinha jogado Castlevania. Anos depois, após ter jogado o Dracula x do Snes e de posse de um emulador eu resolvi jogar de curiosidade. achei bem legal, nada a dever ao de snes e eu já saí jogando com o cara do tridente que na revista falava que era melhor eheheh.
    Tenho curiosidade nesse Contra hard Cops! Se no snes já era difícil imagina com a velocidade do “blast processing” do mega drive?!
    Mega man Willy wars…um dos primeiros remakes eheheh. Pô ficou lento? Estranho né? Lembro que meu amigo do mega drive alugou.
    Cara tu jogou Beyond Oasis ou é pecado gamístico tb? Achava esse rpg sensacional! lembro até hj do detonado na Supergamepower. Era um rpg de ação onde tinha que fazer comandos pra dar os golpes. Achei isso muito original na época! Tb dei uma jogada rápida no emulador por curiosidade , mas não fui mt longe.

    • Gamer Caduco disse:

      Opa, fala Mario!
      O Castlevania se vc falar isso pra fã fervoroso da Nintendo dá até briga! kkkkkkk
      Mas eu não duvido nada que seja um grande jogo, tanto quanto o de SNES. Aliás, preciso jogar nos dois consoles pra ver! Tem um pouco de tempo aí pra me emprestar? Aqui tá faltando! haha
      Mega Man eu confesso que não sei a história do pq ter ficado lento na versão Europeia. Tem a ver com a frequência utilizada nas TVs, mas não sei explicar direito o pq. É uma pena, mas ainda assim, dá pra jogar a japa numa boa.
      Não joguei Beyond Oasis. Minto, joguei um pouco pra ver como era depois de ver uns posts elogiando barbaridade o jogo. Descobri que não é pra mim. Eu tenho uma dificuldade enorme pra jogar jogos com visão de cima (ou seja, os Zelda da vida) e que não sejam de tiro (tipo MERCS… esses eu gosto). Não critico o jogo pq aposto que deve ser muito bom mesmo, eu é que sou o chato! kkkkkkkkkk
      Agora olha só que heresia da minha parte né? Até vc que cresceu com Nintendo jogou alguma coisa que eu que tenho o Mega até hj não joguei. Que absurdo, mereço umas chicotadas! Cadê os Belmont? kkkk
      Valeu Mario!

Deixe seu comentário sobre este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s